Petrobras: estatal informa que consórcio em parceria com a Shell irá devolver área Sudeste do bloco de Libra

LinkedIn

Petrobras informa que o consórcio de Libra, constituído pela Petrobras (40%), em parceria com a Shell Brasil (20%); Total E&P do Brasil Ltda (20%); CNODC Brasil Petróleo e Gás (10%) e CNOOC Petroleum Brasil (10%), tendo a Pré-Sal Petróleo (PPSA) como gestora do contrato, notificou a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) sobre a devolução da área Sudeste do bloco de Libra, na Bacia de Santos. 

O comunicado foi feito pela estatal (BOV:PETR3) (BOV:PETR4) nesta sexta-feira (16).

Desde o início das atividades de avaliação do Bloco de Libra, a área Sudeste, um compartimento distinto das demais, era identificada como área de baixo potencial. A conclusão do processamento dos dados obtidos confirmou esta expectativa.  

A devolução está de acordo com o Plano de Avaliação de Descoberta (PAD) do poço 3-BRSA-1267-RJS, que abrange as áreas Central e Sudeste do bloco de Libra, remanescentes após a Declaração de Comercialidade da área Noroeste de Libra que deu origem ao atual Campo de Mero, terceiro maior campo produtor do pré-sal. A fase exploratória de avaliação da descoberta dessa área continuará até março de 2025.

A Petrobras pretende divulgar os resultados do 1T21 no dia 29 de abril.

Lucro líquido de R$ 7,1 bilhões em 2020, queda de 82,3%

Petrobras registrou lucro de R$ 7,1 bilhões em 2020, queda de 82,3% em relação ao montante de 2019. A redução foi atribuída a alguns fatores como a queda de 35% do preço do petróleo, maiores perdas de valor de ativos, menores ganhos com desinvestimentos e desvalorização de 31% do dólar frente ao real.

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, afirmou em sua provável última Carta do Presidente na divulgação do resultado do exercício de 2020, que entregou a recuperação em “J” que havia prometido, e que a empresa teve um desempenho excepcional em 2020, apesar do ambiente desafiador da pandemia de covid-19.

Deixe um comentário