Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Petrobras inicia manutenção da Repar e provoca greve sanitária entre petroleiros por aglomeração

LinkedIn

A Petrobras (BOV:PETR3) (BOV:PETR4) iniciou a manutenção da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, o que provocou uma greve sanitária em protesto contra o aumento de efetivo na unidade. De acordo com a Federação Única dos Petroleiros (Fup), 1.250 pessoas já trabalham diariamente na Repar, entre empregados e terceirizados. Com as obras de manutenção, mais 2 mil pessoas entrariam na unidade.

A Repar processa cerca de 200 mil barris diários de petróleo e produz diesel, gasolina, QAV, coque, asfalto e óleos combustíveis. A unidade está na lista de desinvestimentos da estatal e teve sua venda reiniciada em fevereiro deste ano, depois que as propostas apresentadas ficaram abaixo da expectativa da empresa.

Até o momento, a Petrobras vendeu apenas uma das oito refinarias ofertadas ao mercado desde 2019, a Refinaria Landulpho Alves (Rlam), na Bahia, por metade do preço estimado para o fundo de investimento Mubadala, já aprovado pelo Conselho de Administração da estatal.

Na manhã desta segunda-feira ocorreu o primeiro corte de rendição de turno dos trabalhadores, às 7h, e a orientação do Sindipetro PR/SC foi para os petroleiros não irem à refinaria, por se tratar de uma greve sanitária.

A Repar tem 750 trabalhadores próprios, e atualmente 300 deles estão trabalhando em regime de “home office”. A refinaria ainda tem 800 trabalhadores terceirizados. Em dias normais, portanto, já são 1.250 pessoas trabalhando presencialmente na unidade, informou a Fup.

“O Brasil está em um período crítico da pandemia, com o sistema de saúde colapsado em praticamente todo o País. Já estamos registrando mais de 4 mil mortes diariamente por causa da incompetência do governo federal em proteger a população e fornecer vacinas. Mesmo assim, a gestão da Petrobras insiste em manter essas paradas de manutenção, que duplicam ou até triplicam a quantidade de pessoas nas refinarias”, disse em nota o coordenador geral da FUP, Deyvid Bacelar,

Segundo informações do Sindipetro-PR/SC, já foram registradas três mortes de trabalhadores terceirizados na Repar por covid-19. De acordo com o último Boletim de Monitoramento da covid-19 do Ministério de Minas e Energia (MME), divulgado na segunda-feira passada, a Petrobras já registrou 20 mortes de trabalhadores próprios pela doença. Pelas informações recebidas pela Fup e seus sindicatos, porém, esse número é pelo menos três vezes maior, com 60 mortos.

Outro lado

A Petrobras diz estranhar o movimento noticiado pelo Sindipetro PR/SC, “visto que o Acordo Coletivo de Trabalho 2020-2022 foi pactuado há cerca de 6 meses e vem sendo rigorosamente cumprido, constituindo um dos melhores acordos entre todas as categorias do País”, argumentou a companhia em resposta ao Broadcast.

A empresa informou que a produção da unidade não foi afetada e que para evitar a grande concentração de trabalhadores, foi dividida em duas etapas, com a manutenção de equipamentos e unidades sendo realizada de forma escalonada. A estatal lembrou que a manutenção seria feita em 2020, mas foi adiada por causa da pandemia.

“Em linha com as recomendações das autoridades sanitárias, a Petrobras tem adotado protocolos robustos para mitigar os efeitos da pandemia em suas unidades. A companhia é responsável por prover serviços essenciais, como o fornecimento de combustíveis e energia que abastecem ambulâncias, hospitais e veículos de carga e transporte”, informou a estatal.

Segundo a empresa, medidas estão sendo adotadas para proteger a saúde dos seus colaboradores e mitigar a propagação do vírus na companhia, assim como garantir o abastecimento de combustíveis da região.

“A companhia adotará todas as medidas com vistas a assegurar a prestação dos serviços indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade”, afirmou.

A Petrobras pretende divulgar os resultados do 1T21 no dia 29 de abril.

Lucro líquido de R$ 7,1 bilhões em 2020, queda de 82,3%

Petrobras registrou lucro de R$ 7,1 bilhões em 2020, queda de 82,3% em relação ao montante de 2019. A redução foi atribuída a alguns fatores como a queda de 35% do preço do petróleo, maiores perdas de valor de ativos, menores ganhos com desinvestimentos e desvalorização de 31% do dólar frente ao real.

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, afirmou em sua provável última Carta do Presidente na divulgação do resultado do exercício de 2020, que entregou a recuperação em “J” que havia prometido, e que a empresa teve um desempenho excepcional em 2020, apesar do ambiente desafiador da pandemia de covid-19.

Deixe um comentário

Seu Histórico Recente
BOV
VALE5
Vale PNA
BOV
IBOV
iBovespa
BOV
PETR4
Petrobras
BOV
IGBR3
IGB SA
FX
USDBRL
Dólar EUA ..
Ações já vistas aparecerão nesta caixa, facilitando a volta para cotações pesquisadas anteriormente.

Registre-se agora para criar sua própria lista de ações customizada.

Faça o login em ADVFN
Registrar agora

Ao acessar os serviços da ADVFN você estará de acordo com os Termos e Condições

Support: (11) 4950 5808 | suporte@advfn.com.br

V: D: 20230927 22:05:14