Petróleo fecha em alta apesar da crise do coronavírus na Índia

LinkedIn

O petróleo fechou em alta esta terça-feira, após fontes da OPEP+ dizer que o grupo produtor seguiria os planos existentes para aumentar ligeiramente a produção de petróleo a partir de 1º de maio, sugerindo que eles não vêem um impacto duradouro na demanda da crise do coronavírus na Índia.

O grupo também abandonou os planos de realizar uma reunião ministerial completa na quarta-feira, disseram as fontes.

Uma reunião técnica de hoje, expressou preocupação sobre o aumento de casos COVID-19, mas manteve sua previsão de demanda de petróleo inalterada.

O petróleo tipo Brent para junho avança 1,29% no fechamento, a US$ 65,87; WTI para o mesmo mês sobe 1,66%, a US$ 62,94.

“Os comerciantes não querem perder uma reunião potencial otimista da OPEP+, então um otimismo limitado se reflete nos preços”, disse Bjornar Tonhaugen, da Rystad Energy.

A OPEP+ deve reduzir ligeiramente os cortes na produção de petróleo a partir de 1º de maio, sob um plano acordado antes do aumento do coronavírus na Índia.

A Índia, o terceiro maior importador de petróleo do mundo, registrou um aumento diário de mais de 300.000 caixas durante vários dias.

Os cortes recordes de oferta da OPEP + no ano passado ajudaram a impulsionar uma recuperação dos preços de baixas históricas. A maior parte das restrições ainda está em vigor, mesmo após o plano de aumentar ligeiramente a produção a partir de maio.

Em outro desenvolvimento que poderia eventualmente adicionar oferta ao mercado, as negociações em Viena com o objetivo de reviver o acordo nuclear com o Irã de 2015 foram programadas para retomar na terça-feira.

Também em foco esta semana estarão os últimos relatórios de estoque de petróleo dos EUA, que os analistas esperam que mostre um aumento nos estoques de petróleo. O primeiro relatório, do American Petroleum Institute, é devido às 2030 GMT.

(Com informações do BDM e CNBC)

Deixe um comentário