Tegma aprova pagamento de R$ 12,5 milhões em dividendos complementares

LinkedIn

A Tegma aprovou o pagamento de R$ 12,5 milhões em dividendos complementares no dia em que anunciou seu balanço do 4T20.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:TGMA3) nesta terça-feira (09).

Conforme informou a Tegma em Proposta da Administração enviada dia 9 de março, a administração propôs para aprovação em AGO, que será realizada no próximo 13 de abril, a distribuição de R$ 12,5 milhões em dividendos e JCP complementares, dos quais R$ 9.405.826,23 em dividendos, correspondentes a R$ 0,1426470132 por ação ordinária da Companhia, e R$ 3.135.275,41 em juros sobre capital próprio, correspondentes a R$ 0,0475490044 por ação da Companhia, equivalentes a R$ 0,0404166537 por ação da Companhia, líquido de imposto de renda na fonte, exceto para os acionistas comprovadamente isentos ou imunes.

A data de corte prevista será dia 13 de abril e, para pagamento, 27 de abril.

Terão direito ao recebimento dos referidos proventos todos os titulares de ações ordinárias da Companhia nesta data, 13 de abril de 2021, sendo que as ações da Companhia passarão a ser negociadas “ex-dividendos e ex-juros sobre capital próprio” a partir de 14 de abril de 2021.

⇒ Confira a agenda completa da divulgação dos resultados do 4T20 e referente ao ano de 2020. Confira a cobertura completa de todos os balanços referente ao ano de 2020 das empresas negociadas na B3.

Lucro líquido de R$ 73,6 milhões em 2020, queda de 62%

A Tegma registou lucro líquido deR$ 73,6 milhões em 2020, queda de 62%. Segundo a Tegma, os resultados foram impactados pela crise dos volume na logística automotiva e do impacto não-recorrente na divisão de logística integrada, relacionada à desmobilização de um armazém.

4T20

O lucro líquido do quarto trimestre foi de R$ 28,8 milhões, resultado 33,8% inferior ao do 4T19 devido aos impactos da pandemia de COVID-19 na divisão de logística automotiva e custos não recorrentes na logística integrada referentes à desmobilização de um armazém na cidade de Barueri-SP.

A receita líquida apresentou uma queda de 17,3% na comparação anual em função do impacto negativo no mercado automotivo ocasionado pela pandemia de COVID-19, que embora tenha se recuperado em relação ao 3T20 (+8,2%), ainda está abaixo do registrado no 4T19, por conta da queda na quantidade de veículos transportados da divisão de logística automotiva e da perda de um cliente da operação de armazenagem.

(Informações Eu Quero Investir)

Deixe um comentário