Vendas líquidas da Even somam R$ 587 milhões no 1T21, alta de 129%

LinkedIn

A construtora Even divulgou suas prévias operacionais referentes ao primeiro trimestre de 2021. No período, os lançamentos totais somaram R$ 903 milhões, ante R$ 143 milhões no mesmo período do ano passado. A participação da Even neste total é de R$ 716 milhões.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:EVEN3) na noite desta quinta-feira (08).

De acordo com a companhia, foram lançados entre janeiro e março três empreendimentos com Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 568 milhões, e quatro no Rio Grande do Sul de R$ 148 milhões, contando somente a fatia da Even.

As vendas líquidas no primeiro trimestre chegaram a R$ 587 milhões, avanço de 129% na comparação anual. A velocidade de vendas (VSO) saiu de 12% para 24%. Deste total, R$ 412 milhões são referentes a vendas de lançamentos, e R$ 175 milhões de estoques.

Os distratos durante os três primeiros meses do ano ficaram em R$ 55 milhões, número 22,5% menor que no mesmo período de 2020. O valor de 2021 representa 9% das vendas brutas, ante 22% um ano antes.

A geração operacional de caixa da Even no primeiro trimestre foi de R$ 253 milhões, ante R$ 31 milhões em 2020. Em 12 meses, retirando o IPO da subsidiária Melnick, a Even gerou R$ 997 milhões em caixa.

A Even pretende divulgar os resultados do 1T21 no dia 13 de maio.
VISÃO DO MERCADO
Guide Investimentos 
 
Para o analista Luis Sales, os números da Even surpreendem pela robustez dos lançamentos no trimestre. Apesar do lançamento do Hotel Fasano (R$ 280 milhões) contribuir para o mix de projetos no período, avaliamos que os lançamentos tradicionais (residenciais e comerciais) também apresentaram bom desempenho. A geração e caixa também surpreendeu, influenciado pelo bom ritmo de vendas e entregas no período. Avaliamos que a companhia deve atingir lançamentos entre R$ 2 bi e R$ 2,5 bi para 2021, o que na nossa visão sustenta nossa recomendação de compra para o ativo.

Lucro líquido de R$ 215 milhões em 2020, crescimento de 80%

A Even registrou lucro líquido em 2020, antes do impacto contábil da descontinuidade da operação de negócio do Rio de Janeiro, de R$ 215 milhões, representando um crescimento de 80% versus 2019.

A receita líquida caiu 5,12%, indo a R$ 455 milhões. Por outro lado, o Ebitda, que mede o resultado operacional, disparou 239% para R$ 133 milhões. A margem Ebitda pulou de 8,3% para 29,4%.

Em 2020, foram lançados 13 empreendimentos, somando R$ 1,4 bilhão.

Deixe um comentário