Banco Central aprova compra da Easynvest pelo Nubank

LinkedIn

O Banco Central aprovou a compra da corretora digital Easynvest pelo Nubank. A partir de agora, as duas empresas devem continuar o processo de integração dos negócios. A aprovação se deu sem restrições, e após a integração total, que não tem um prazo definido, todos os produtos serão oferecidos sob o guarda-chuva da fintech.

A compra, que não teve o valor divulgado, foi anunciada em setembro do ano passado, e havia sido antecipada pelo Broadcast. O aval do BC era a última etapa de permissão regulatória para que a integração entre as duas marcas acontecesse. O negócio já havia sido aprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

De acordo com o Nubank, até que os trâmites finais da aquisição sejam concluídos, as duas plataformas vão trabalhar no plano de transação e integração de seus serviços. Neste período, as operações de produtos, aplicativos e atendimento aos clientes permanecerão separadas.

Em abril, como mostrou a Coluna do Broadcast, a Easynvest zerou as taxas para transações com ações, opções ou Brazilian Depositary Receipts (BRDs) na B3, em um alinhamento às práticas do Nubank. Adicionalmente, também no mês passado, o Nubank começou a testar a oferta de três fundos multimercado, com atendimento ao cliente realizado através de seu aplicativo e tíquete inicial de R$ 1.

“Com a aprovação da aquisição da Easynvest pelo Banco Central, o Nubank incrementa a sua prateleira de serviços financeiros”, afirmou a fintech através de nota. A integração entre as marcas colocará em uma mesma plataforma os produtos de investimento da Easynvest e os tradicionais conta digital e cartão de crédito do Nubank.

A Easynvest foi criada em 1968, e tem mais de R$ 26 bilhões em ativos sob custódia e 1,5 milhão de clientes. O Nubank, criado em 2013, tem 21 milhões de usuários de seu cartão de crédito seu anuidade, o primeiro de seus produtos, e 32,5 milhões de usuários da conta digital, também sem tarifas.

Deixe um comentário