Bolsas mundiais recuam com a inflação em foco

LinkedIn

ÁSIA: A maioria dos principais mercados asiáticos fecharam em significativa queda na terça-feira, após uma forte baixa nas ações de tecnologia nos EUA.

O Taiex de Taiwan lideraram as quedas regionais, com o benchmark encerrando a sessão em baixa de 3,79%.

No Japão, as bolsas também registraram fortes perdas com o Nikkei caindo 3,08% no fechamento, enquanto o Topix caiu 2,37%.

O Kospi da Coreia do Sul terminou 1,23% menor.

Na Austrália, o ASX 200 caiu 1,06% em relação ao fechamento recorde de segunda-feira, à medida que os preços do minério de ferro pausaram sua alta e os índices dos EUA caíram. O benchmark local recuou abaixo de 7.100 pontos para fechar em 7097,0 pontos na terça-feira, à medida que os investidores aguardavam a entrega do Orçamento Federal. As ações de energia registraram uma forte baixa, com Woodside Petroleum e Santos caindo 2,5% e 2,7%, respectivamente e Oil Search recuou 3,5%. Entre os quatro grandes bancos, Westpac caiu 1,3%, NAB caiu 1%, ANZ 1,1% e Commonwealth Bank 0,6%. As ações de mineradoras que subiram forte na segunda-feira, recuram; BHP caiu 0,7% e Rio Tinto caiu 1,8% e Fortescue caiu 2,8%.

O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 2,03%, afetada principalmente pelo peso das ações chinesas de tecnologia. As ações da gigante Meituan despencaram cerca de 6% e a gigante de tecnologia Tencent caiu 2,3%, enquanto as autoridades em Pequim continuaram a reprimir as empresas de internet.

Na China Continental, no entanto, as bolsas registraram alguns ganhos no final do pregão de terça-feira. O composto de Xangai terminou 0,4% maior e o composto de Shenzhen avançou cerca de 0,36% no fechamento. Os preços ao consumidor em abril aumentaram 0,9% em relação ao ano anterior, ficando ligeiramente abaixo da previsão de 1% dos analistas, no entanto, o índice de preços ao produtor subiu 6,8%, batendo os 6,5% projetados por analistas ouvidos pela Reuters. Além dos dados de inflação, a China divulgou o seu censo anual que apontou um crescimento populacional no continente desacelerando para 0,53% nos últimos 10 anos, ante 0,57% entre 2000 e 2010.

No sudeste asiático, a economia da Malásia contraiu 0,5% no primeiro trimestre em comparação com um ano atrás, menos do que a contração de 2% esperada por analistas, enquanto a economia filipina encolheu 4,2% no ano, mais do que a contração de 3% prevista por analistas em uma pesquisa da Reuters.

EUROPA: As bolsas recuam em toda a Europa nesta terça-feira, com o aumento das preocupações com a inflação nos EUA assustando o sentimento dos investidores.

O índice pan-europeu Stoxx 600 cai 2,15%, após fechar em nova alta na segunda-feira.

O alemão DAX 30 cai 2,23%. A pesquisa ZEW sobre o sentimento econômico da Alemanha para maio subiu para 84,4 pontos, um recorde desde o início da pesquisa em 2004, ante 70,7 em abril e superando amplamente as expectativas de 72,0 pontos dos economistas consultados pela Reuters.

O francês CAC 40 cai 2,09%, o espanhol IBEX 35 e o FTSE MIB da Itália caem 1,49% e 1,99%, respectivamente.

Em Londres, o FTSE 100 cai 2,30%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American cai 1,5%, Antofagasta recua 0,5%, BHP perde 1,7% e Rio Tinto opera em baixa de 2,2%. Entre as produtoras de petróleo, BP cai 1,9% e Royal Dutch Shell cai 2,3%.

Empresas de tecnologia seguem agredidas, incluindo o grupo holandês de semicondutores ASML que perde 2.95%. A gigante alemã de software SAP recua 2,49%, a telecom finlandesa Nokia perde 2,70% e a empresa britânica de alta tecnologia e robótica Ocado perde 3,32%

A ações de viagem como companhias aéreas também sofrem. International Airlines Group, dona da British Airways, despenca 5,24%, Air France-KLM perde 2,31%, Lufthansa recua 2,67%, easyJet cai 3,32%, Ryanair tomba 3,13% e Wizz Air cai 4,32%, assim como as gigantes hoteleiras InterContinental Hotels Group e Accor, que caem 3,47% e 3,02%, respectivamente.

Em sentido contrário, o player britânico de comércio eletrônico The Hut Group sobe 11,58% após um acordo com a gigante japonesa SoftBank na ordem de US$ 1,6 bilhão. As ações da fabricante de baterias Invinity Energy Systems também registra forte alta, depois de fechar um acordo com a Siemens Gamesa para desenvolver baterias de fluxo de vanádio.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA operam em baixa nas negociações matinais de terça-feira, com os investidores continuando a se desfazer das ações de tecnologia.

As “Big Techs” seguem no vermelho mais uma vez nesta terça-feira. Facebook, Apple e Amazon caemm mais de 1,5% no “pre-market”. As ações da Tesla caem quase 4% no “pre-market” após a Reuters relatar que a montadora de veículos elétricos interrompeu os planos de expandir sua fábrica em Xangai.

As empresas de tecnologia sofreram fortes quedas na segunda-feira, quando investidores saíram de ações como Apple e Microsoft, arrastando o Dow Jones Industrial Average e o S&P 500 de seus recordes. O índice de 30 blue chips, que registrou recorde histórico na sexta-feira pelo terceiro dia consecutivo, negociou em alta durante grande parte da sessão de segunda-feira, mas entrou em território vermelho na última meia hora de negociação.

O Nasdaq Composite caiu 2,55% na sessão na segunda-feira. Facebook caiu mais de 4%, enquanto a Amazon e a Netflix caíram mais de 3%. Alphabet, dona do Google caiu mais de 2% após um rebaixamento do Citigroup.

O mercado está dividido em maio, com o Nasdaq Composite caindo 4% e o Dow subindo 2,5%, à medida que os investidores trocam ações de crescimento para ações de valor que se beneficiarão com a reabertura da economia após a pandemia e aumento da inflação. O S&P 500 ainda conseguiu permanecer em território positivo em maio em meio a essa rotação de mercado, mas pode perder esses ganhos se as vendas das ações de tecnologia se intensificar e as ações de valor não compensarem essas quedas.

A inflação tem sido uma preocupação para os investidores desde que os rendimentos dos títulos subiram no início deste ano, mas os rendimentos se estabilizaram desde então. O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos caiu para 1,59% ante 1,61% na última segunda-feira.

Segundo analistas, apesar das garantias do Federal Reserve e de uma leitura de empregos muito mais fraca do que o esperado nos EUA na semana passada, os investidores estão se concentrando no potencial aumento da inflação para pressionar os bancos centrais a diminuir em seus maciços programas de estímulos e mexer nas suas taxas de juros ultra baixas.

Entre as empresas que reportarão balanços, Electronic Arts, Chesapeake Energy, Hanesbrands e Palantir Technologies entregarão resultados nesta terça-feira.

Na agenda econômica, o Departamento de Trabalho publicará os últimos resultados de sua Pesquisa laboral JOLTS, às 11h00. Várias autoridades do alto escalão do Federal Reserve, incluindo o Lael Brainard e o presidente do Fed de Nova York, John Williams, também deverão se apresentar em eventos.

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:
Dow: -0,59%
SP500: -0,83%
NASDAQ: -1,29%
COMMODITIES:
MinFe Dailan: +1,67%
Brent: -0,95%
WTI: -1,00%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra ou venda de ativos.

Deixe um comentário