Bolsas mundiais sobem após recordes nos EUA e com ações de commodities em destaque.

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta segunda-feira, ignorando os relatórios de empregos americanos mais fracos do que o esperado.

O Kospi da Coreia do Sul subiu 1,63%, fechando em 3.249,30 pontos.

No Japão, o Nikkei 225 subiu 0,55% para encerrar a sessão em 29.518,34 pontos e o Topix saltou 0,99% para 1.952,27 pontos.

Na China continental, o composto de Xangai subiu 0,27% para 3.427,99 pontos, enquanto as ações em Shenzhen saltaram 0,19% para 2.243,91 pontos no fechamento. O governo da China disse que os destroços de seu foguete caíram no Oceano Índico.

O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 0,05%.

Na Autrália, o S&P/ASX 200 fechou em alta de 1,3%, a 7.172,80 pontos, batendo o recorde histórico anterior de 7.162,5 pontos estabelecido em 20 de fevereiro de 2020, impulsionado pelo aumento do preço do minério de ferro por conta da demanda insaciável das siderúrgicas chinesas. A BHP fechou em alta de 3,1%, a US$ 51,65, enquanto a Rio Tinto fechou 4,6% maior, batendo um novo preço recorde ao fechar em US$ 132,94. Fortescue Metals disparou 7,9%, para US$ 24,79. Entre as empresas produtoras de petróleo, Santos subiu 1,8% e Woodside Petroleum avançou 0,6%.

As vendas no varejo australiano em março aumentaram 1,3% em relação ao mês anterior, ligeiramente abaixo da previsão de 1,4% dos analistas, mas a confiança empresarial no país atingiu uma alta recorde em abril, de acordo com uma pesquisa do National Australia Bank.

Os ganhos regionais estão vindo apesar do recente aumento de infecções por coronavírus na Ásia. A OMS aprova a vacina Covid produzida pela Sinopharm da China para uso emergencial. No Japão, crescem as preocupações com dezenas de milhares de atletas e funcionários que entram no país para os Jogos Olímpicos de Tóquio, previsto para acontecer em julho. Muitos serão de países onde as pessoas foram vacinadas, enquanto a distribuição tem sido extremamente lenta no Japão, com cerca de 3% da população imunizada até agora. Os organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio estão prometendo medidas rigorosas para prevenir aglomerações e testar regularmente os atletas e funcionários.

EUROPA: As bolsas europeias negociam de forma mista nesta segunda-feira. O índice Stoxx Europe 600 cai 0,36%, com recursos básicos subindo, enquanto as ações de tecnologia e viagens e lazer caem. O pan-índice atingiu um novo recorde de fechamento na sexta-feira, de 444,93 pontos.

O alemão DAX 30 cai 0,21%, o francês CAC 40 recua 0,19%, enquanto o IBEX 35 da Espanha e o FTSE MIB da Itália sobem 0,31% e 0,20%, respectivamente.

Em Londres o FTSE 100 sobe 0,15%, a medida que a libra esterlina avança sobre o dólar e o euro após o Partido Nacional Escocês, o principal partido na Escócia que pressiona pela independência, ficar a um assento de garantir maioria geral.

Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American sobe 1,1%, Antofagasta avança 2,9%, enquanto BHP e Rio Tinto sobem 2,7% e 3,3%, respectivamente. Entre as gigantes petrolíferas, BP sobe 1,1% e Royal Dutch Shell sobe 0,6%.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, deve anunciar nesta segunda-feira que o governo avançará com o relaxamento das medidas de bloqueio a partir de 17 de maio. As viagens internacionais poderão ser retomadas na maioria das circunstâncias, embora quarentenas e testes sejam necessários no retorno ao Reino Unido. Pubs e restaurantes também devem receber os clientes em ambiente interno novamente e reuniões domésticas será permitida para grupos de até seis pessoas. O governo disse que espera suspender todas as restrições de contato social até 21 de junho.

EUA: Os contratos de futuros dos índices de ações dos EUA operam sem direção definida nas negociações matinais de segunda-feira, com os principais índices dos EUA se aproximando de recordes quando as sessões regulares começarem em Nova York, depois que as negociações da semana passada terminaram com um tom otimista, com o Dow Jones Industrial Average e o S&P 500 atingindo novos recordes na sexta-feira.

Na semana passada, o Dow subiu 2,7% e o S&P 500 subiu 1,2%. Apesar da alta de 0,88% na sessão de sexta-feira, o Nasdaq Composite caiu 1,5% no mesmo período.

As ações de tecnologia sensíveis às taxa de juros foram revigoradas à medida que os Títulos do Tesouros valorizavam, puxando para baixo os rendimentos, com a taxa de referência de 10 anos chegando a cair abaixo de 1,5%, porém o rendimento voltou ao território positivo, terminando o dia em alta de 1,5 ponto base, a 1,576%. Os rendimentos são inversamente proporcionais à valorização dos títulos.

O otimismo do final da semana veio apesar de um relatório de empregos muito mais fraco do que o esperado em abril, onde mostrou que os empregadores dos EUA ofertaram 266.000 postos de trabalho no mês passado. Economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam 1 milhão de novos empregos. A taxa de desemprego subiu para 6,1%. O relatório de empregos sombrio sinalizou aos investidores que as taxas de juros provavelmente permanecerão baixas.

Analistas observam que os “traders” parecem já terem precificado uma robusta reabertura econômica graças ao declínio dos casos Covid-19 mas que só notícias que possam ameaçar essa premissa pode impactar esse otimismo.

A queda dos rendimentos dos títulos do governo americano atrelada a uma visão mais relaxada do Fed também contribuiu para uma queda do dólar americano. O índice de dólar americano ICE DXY, um índice da moeda contra uma cesta de seis importantes pares rivais, caiu 0,7% para ser negociado no menor nível desde 26 de fevereiro, de acordo com a FactSet. A retomada da fraqueza do dólar deve fazer com que os investidores considerem aumentar a exposição à ações internacionais, na medida que a Europa avança com a implantação de vacinas, sua economia também começará a voltar à vida normal. É provável que o Japão reaviva sua economia depois da Europa, com grande parte da Ásia pronta para seguir o exemplo e assim sucessivamente.

Um ataque cibernético forçou o fechamento do maior oleoduto de combustível dos Estados Unidos no fim de semana. A Colonial Pipeline, que opera o sistema de 5.500 milhas, disse que foi forçada a interromper o transporte de combustível da Costa do Golfo para a área metropolitana de Nova York na sexta-feira, para conter a ameaça. Não se sabe o impacto final do ataque sobre os preços dos combustíveis. Ações de grandes petrolíferas sobem após invasão.

Não está prevista a divulgação de dados econômicos relevantes para hoje.

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:
Dow: +0,26%
SP500: +0,06%
NASDAQ: -0,29%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +10,00%
Brent: -0,10%
WTI: -0,20%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra ou venda de ativos.

Deixe um comentário