Confira os Indicadores Econômicos desta quarta-feira (05/05/2021) - Copom, Fluxo Cambial, PMIs…

LinkedIn

Confira os principais indicadores econômicos desta hoje, em destaque o crescimento do emprego privado nos Estados Unidos acelerou em abril, mas ainda ficando abaixo das expectativas de Wall Street, de acordo com um relatório na quarta-feira da empresa de processamento de folha de pagamento ADP.

Brasil

  • Contração de serviços do Brasil se intensifica em abril com produção em mínima de 9 meses, mostra PMI

A intensificação da pandemia de Covid-19 no Brasil levou o setor de serviços a se aprofundar mais em território de contração em abril, com a produção em mínima de nove meses, de acordo com a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

O PMI de serviços do Brasil caiu para 42,9 em abril, de 44,1 em março, indicando a maior contração da produção desde julho de 2020, ainda que menos pronunciada do que as perdas vistas no início da pandemia.

As empresas que citaram redução mencionaram, segundo a pesquisa realizada pelo IHS Markit, fechamento de negócios, restrições e aumento nos números de casos de coronavírus, levando o índice ainda mais abaixo da marca de 50, que separa crescimento de contração.

  • Produção industrial cai 2,4% em março, segundo mês seguido de retração

A produção industrial caiu 2,4% em março em comparação ao mês anterior e intensificou a perda de 1,0% que havia sido registrada em fevereiro, quando houve a interrupção de nove meses de resultados positivos.

O recuo de março teve predomínio de taxas negativas entre as atividades industriais investigadas e foi puxado principalmente pela queda de 8,4% na produção de veículos automotores, reboques e carrocerias.

Com os resultados desse mês, o setor industrial encontra-se 16,5% abaixo do patamar recorde registrado em maio de 2011. A indústria acumula no ano crescimento de 4,4% e, nos últimos 12 meses, queda de 3,1%. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal (PIM), divulgada hoje (5) pelo IBGE.

  • Fluxo cambial total do ano de 2021 até 30 de abril foi positivo em US$ 12,713 bilhões

O fluxo cambial total do ano de 2021 até 30 de abril foi positivo em US$ 12,713 bilhões, informou nesta quarta-feira, 5, o Banco Central. No mesmo período de 2020, o resultado havia sido negativo em US$ 12,730 bilhões.

Em 2021 até 30 de abril, a entrada líquida de dólares pelo canal financeiro foi de US$ 3,444 bilhões. Este resultado é fruto de aportes no valor de US$ 175,338 bilhões e de envios no total de US$ 171,894 bilhões. O segmento reúne investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo acumulado ficou positivo em US$ 9,269 bilhões, com importações de US$ 67,285 bilhões e exportações de US$ 76,553 bilhões. Nas exportações estão incluídos US$ 10,641 bilhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 22,096 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 43,817 bilhões em outras entrada.

  • BC: Decisão da taxa Selic (18h30) 

Em atualização…

Estados Unidos

  • Atividade do setor de serviços dos EUA cresceu a um ritmo ligeiramente mais lento em abril, diz ISM

A atividade do setor de serviços dos Estados Unidos cresceu a um ritmo ligeiramente mais lento em abril, provavelmente contida pela escassez de insumos em meio a um aumento da demanda causado por forte estímulo fiscal e rápida melhora da situação sanitária.

O Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) informou nesta quarta-feira que seu índice da atividade não manufatureira caiu para uma leitura de 62,7 no mês passado, de 63,7 em março –este o número mais alto já registrado.

Economistas esperavam alta do índice a 64,3 em abril. Leitura acima de 50 indica crescimento do setor de serviços, que responde por mais de dois terços da atividade econômica.

O resultado de abril espelhou a pesquisa do ISM para o setor fabril publicada na segunda-feira, a qual mostrou que gargalos na cadeia de fornecimento seguraram a atividade industrial em abril.

  • PMI do setor de serviços nos EUA indicou expansão sem precedentes em abril

O índice de gerentes de compras (PMI na sigla em inglês) do setor de serviços nos Estados Unidos, da IHS Markit, indicou uma expansão sem precedentes da atividade do setor em abril, subindo a 64,7 pontos e anotando a maior leitura do indicador desde que os dados começaram a ser registrados, em 2009.

O dado superou a expectativa dos economistas consultados pelo “The Wall Street Journal”, de 63,3 pontos. O indicador composto também indicou a maior expansão da atividade já registrada pela IHS Markit, subindo para 63,5 pontos em abril, de 59,7 da leitura de março.

  • Crescimento do emprego privado nos EUA acelerou em abril, mas ainda abaixo das expectativas

O crescimento do emprego privado nos Estados Unidos acelerou em abril, mas ainda ficando abaixo das expectativas de Wall Street, de acordo com um relatório na quarta-feira da empresa de processamento de folha de pagamento ADP.

As empresas contrataram 742.000 trabalhadores no mês, um salto em relação aos 565.000 revisados ​​para cima em março, mas um pouco tímido das 800.000 previsões de economistas consultados pela Dow Jones.

Na área de lazer e hotelaria, o setor mais afetado pelos bloqueios de negócios relacionados à pandemia, liderou o crescimento com 237.000 novos empregos. O setor ainda está cerca de 3 milhões de distância de onde estava antes da pandemia, mas tem gerado empregos de forma constante desde que os governos têm relaxado as restrições.

Alemanha

  • PMI composto da Alemanha caiu para 55,8 em abril, abaixo da estimativa prévia

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da Alemanha, que engloba os setores de serviços e industrial, caiu de 57,3 em março para 55,8 em abril, segundo pesquisa final divulgada nesta quarta-feira pela IHS Markit.

A leitura definitiva ficou um pouco abaixo da estimativa prévia de abril, de 56, mas o resultado acima de 50 indica expansão da atividade na maior economia da Europa. Somente o PMI de serviços da Alemanha caiu de 51,5 em março para 49,9 em abril, o que significa que o setor voltou a se contrair.

Zona do Euro

  • PMI composto da zona do euro subiu a 53,8 em abril, ficando acima das expectativas

A atividade empresarial da zona do euro acelerou em abril uma vez que o setor de serviços do bloco voltou a crescer apesar dos renovados lockdowns, de acordo com a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) divulgada nesta quarta-feira.

O PMI Composto final do IHS Markit, considerado uma boa medida da saúde econômica, subiu a 53,8 no mês passado de 53,2 em março. O resultado ficou acima da preliminar de 53,7 e da marca de 50 que separa crescimento de contração.

“Os dados da pesquisa de abril fornecem evidências encorajadoras de que a zona do euro sairá de sua recessão de duplo mergulho no segundo trimestre”, disse Chris Williamson, economista-chefe do IHS Markit.

“O salto da indústria, alimentado pela alta da demanda tanto no mercado doméstico quanto no de exportações conforme muitas economias saem dos lockdowns, está sendo acompanhado por sinais de que o setor de serviços retornou também ao crescimento.”

O PMI do setor de serviços subiu a 50,5 de 49,6, superando a preliminar de 50,3. Isso após um PMI de indústria na segunda-feira que mostrou que o crescimento do setor saltou para uma máxima recorde em abril.

Ásia

=> Os resultados de indicadores dos países asiáticos saem após o encerramento das negociações das Bolsas ocidentais, em virtude do fuso horário, portanto, apenas  disponíveis no próximo dia, aguarde para mais atualizações…

Deixe um comentário