Confira os Indicadores Econômicos desta sexta-feira (21/05/2021) - PMIs, Venda no Verejo, Confiança do consumidor…

LinkedIn

Confira os principais indicadores econômicos desta hoje, em destaque os índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) sobre a atividade industrial dos Estados Unidos sobe para 61,5 pontos em maio, de 60,5 pontos em abril, segundo dados preliminares publicados pelo instituto de pesquisas IHS Markit.

Reino Unido

  • PMI composto no Reino Unido sobe a 62 em maio, em nível recorde

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto do Reino Unido, que engloba os setores industrial e de serviços, subiu de 60,7 em abril para 62 em maio, atingindo o maior nível numa série histórica iniciada em janeiro de 1998, segundo dados preliminares divulgados nesta sexta-feira pela IHS Markit em parceria com a CIPS.

O avanço bem acima da marca de 50 mostra que a atividade econômica britânica se expande em ritmo mais forte neste mês. A prévia de maio, contudo, ficou abaixo da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam alta do indicador a 62,3.

Apenas o PMI industrial do Reino Unido avançou de 60,9 para 66,1 no mesmo período, também um recorde. Neste caso, a projeção era de acréscimo marginal a 61.

  • Vendas no varejo do Reino Unido registraram um salto anual de 42,4% em abril

As vendas no varejo do Reino Unido registraram um salto anual de 42,4% em abril, informou nesta sexta-feira o Instituto Nacional de Estatísticas Britânico (ONS, na sigla em inglês).

A leitura superou de longe a previsão de analistas ouvidos pelo Wall Street Journal (WSJ), que esperavam alta de 37,4%. Já na comparação ante o mês anterior, o indicador econômico britânico disparou 9,2% em abril, também muito acima da expectativa do WSJ – neste caso, de ganho de 5,9%.

Zona do Euro

  • PMI composto da zona do euro sobe a 56,9 em maio

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro, que engloba os setores industrial e de serviços, subiu de 53,8 em abril para 56,9 em maio, atingindo o maior nível em 39 meses, segundo dados preliminares divulgados nesta sexta-feira pela IHS Markit.

O avanço acima da marca de 50 indica que a atividade do bloco se expande em ritmo mais forte neste mês. A prévia de maio também superou a expectativa consultados pelo The Wall Street Journal, que previam alta do PMI composto a 54,8.

Apenas o PMI de serviços da zona do euro aumentou de 50,5 para 55,1 no mesmo período, tocando o maior patamar em 35 meses. O consenso do mercado era de alta menor do índice, a 52,4.

  • Índice de confiança do consumidor da zona do euro subiu para -5,1 pontos em maio

O índice de confiança do consumidor da zona do euro subiu para -5,1 pontos em maio, depois de marcar -8,1 pontos em abril, de acordo com informações preliminares divulgadas pela Comissão Europeia.

Na União Europeia (UE), o índice de confiança do consumidor avançou para -6,0 pontos em maio, depois de marcar -9,0 pontos em abril. Os dados revisados sobre a confiança do consumidor serão publicados no dia 28 de maio, juntamente com o índice de sentimento econômico da zona do euro.

Alemanha

  • PMI composto da Alemanha sobe a 56,2 em maio

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da Alemanha, que engloba os setores industrial e de serviços, subiu de 55,8 em abril para 56,2 em maio, segundo dados preliminares divulgados nesta sexta-feira pela IHS Markit. O avanço acima da barreira de 50 mostra que a atividade da maior economia da Europa está se expandindo em ritmo mais forte neste mês.

Apenas o PMI de serviços alemão aumentou de 49,9 para 52,8 no mesmo período, tocando o maior patamar em 10 meses. O resultado superou a expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de alta a 52, e sinaliza que o setor voltou a crescer.

Estados Unidos

  • Vendas de imóveis residenciais usados dos Estados Unidos caíram 2,7% em abril ante março

As vendas de imóveis residenciais usados dos Estados Unidos caíram 2,7% em abril ante março, para 5,85 milhões, segundo dados divulgados pela Associação Nacional dos Corretores de Imóveis (NAR, na sigla em inglês). A previsão era de alta de 0,2% em abril.

De acordo com o economista-chefe da NAR, Lawrence Yun, as vendas caíram como resultado da baixa oferta.

“Veremos mais estoque chegar ao mercado no final deste ano, à medida que mais vacinas contra covid-19 forem administradas e os vendedores de casas em potencial ficarem mais confortáveis em listar e mostrar suas casas. A queda do número de proprietários de imóveis na tolerância de hipotecas também trará mais estoques”, disse Yun.

  • PMI industrial dos EUA sobe para 61,5 pontos em maio

O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) sobre a atividade industrial dos Estados Unidos sobe para 61,5 pontos em maio, de 60,5 pontos em abril, segundo dados preliminares publicados pelo instituto de pesquisas IHS Markit.

Analistas esperavam estabilidade em 60,5 pontos em maio. Números acima de 50 pontos sugerem expansão da atividade, enquanto valores menores sugerem contração. O PMI que mede apenas a produção do setor industrial cresceu para 58,1 pontos em maio, de 57,2 pontos em março.

O PMI do setor de serviços subiu a 70,1 pontos em maio – o maior nível já reportado -, de 64,7 pontos em abril, de acordo com dados preliminares divulgados pelo instituto de pesquisas IHS Markit.

Os analistas esperavam 64,3 pontos em maio. Números acima de 50 sugerem expansão da atividade, enquanto valores menores apontam contração. O PMI composto, que agrega dados dos segmentos industrial e de serviços, subiu para o recorde de 68,1 pontos em maio, de 63,5 pontos em abril.

Japão

      • PMI composto do Japão cai a 48,1 em maio e aponta volta da contração

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto do Japão, que engloba os setores industrial e de serviços, caiu de 51 em abril para 48,1 em maio, segundo dados preliminares divulgados nesta sexta-feira pela IHS Markit em parceria com o Jibun Bank.

A leitura abaixo de 50 mostra que a atividade econômica japonesa voltou a se contrair neste mês. Apenas o PMI industrial do Japão recuou de 53,6 em abril para 52,5 em maio, enquanto o de serviços diminuiu de 49,5 para 45,7 no mesmo período.

Deixe um comentário