Confira os Indicadores Econômicos desta terça-feira (25/05/2021) - IPCA-15, IPCS, Índice Ifo, PIB…

LinkedIn

Confira os principais indicadores econômicos desta hoje, em destaque o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) foi de 0,44% em maio, 0,16 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa de abril (0,60%).

Brasil

  • IPC-Fipe subiu 0,33% na terceira quadrissemana de maio

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação na cidade de São Paulo, subiu 0,33% na terceira quadrissemana de maio, ganhando força em relação ao ganho de 0,28% observado na segunda quadrissemana deste mês, segundo dados publicados nesta segunda-feira pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Na terceira leitura de maio, cinco dos sete componentes do IPC-Fipe avançaram com mais vigor ou reduziram deflação: Habitação (de 0,25% na segunda quadrissemana para 0,38% na terceira quadrissemana), Transportes (de 0,48% para 0,86%), Despesas Pessoais (de -0,64% para -0,29%), Vestuário (de 0,02% para 0,06%) e Educação (de 0,02% para 0,04%).

  • IPCA-15 mensal fica em 0,44% em maio, maior resultado para um mês desde 2016

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) foi de 0,44% em maio, 0,16 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa de abril (0,60%). Esse foi o maior resultado para um mês de maio desde 2016 (0,86%). O acumulado no ano foi de 3,27% e, nos últimos 12 meses, de 7,27%, acima dos 6,17% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em maio de 2020, a taxa havia sido -0,59%.

Oito dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados apresentaram alta em maio. O maior impacto (0,16 p.p.) veio de Saúde e cuidados pessoais (1,23%), que acelerou em relação a abril (0,44%). Os grupos Habitação (0,79%) e Alimentação e bebidas (0,48%) também tiveram variações superiores às de abril (0,45% e 0,36%, respectivamente), contribuindo conjuntamente com mais 0,22 p.p. no índice de maio.

Já a maior variação ficou com Vestuário (1,42%) e a menor, com os Transportes (-0,23%), único grupo a recuar em maio. Os demais grupos ficaram entre o 0,03% de Comunicação e o 0,89% dos Artigos de Residência.

  • IPC-S acelerou em todas as sete capitais pesquisadas na terceira quadrissemana de maio

O Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) acelerou em todas as sete capitais pesquisadas na terceira quadrissemana de maio, na comparação com a segunda leitura do mês, informou na manhã desta terça-feira, 25, a Fundação Getulio Vargas (FGV). O IPC-S da terceira quadrissemana de maio avançou a 0,66%, após 0,45% na segunda quadrissemana.

A alta acumulada nos 12 meses até maio é de 7,82%.

Entre as capitais que apresentaram acréscimo na variação de preço, destaque para Salvador, que chegou a 0,85%, após 0,49% na leitura anterior. Porto Alegre também registrou avanço significativo, de 0,44% para 0,74%.

  • Sondagem do consumidor: resultados de abril e maio recuperam 81% da queda sofrida no mês de março

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) do FGV IBRE subiu 3,7 pontos em maio, para 76,2 pontos. Os resultados de abril e maio recuperam 81% da queda sofrida no mês de março. Em médias móveis trimestrais, o índice continua em tendência negativa ao cair 0,6 ponto.

Em maio, tanto a percepção dos consumidores sobre o momento atual quanto as expectativas para os próximos meses tornaram-se menos pessimistas. O Índice de Situação Atual (ISA) subiu 4,2 pontos, para 68,7 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) cresceu 3,2 pontos, para 82,4 pontos.

Entre os quesitos que medem o grau de satisfação com a situação atual, o indicador que mede a percepção dos consumidores em relação à situação econômica geral aumentou 2,3 pontos em maio, para 73,9 pontos, retornando a patamar próximo ao de fevereiro. O indicador que mede a satisfação sobre as finanças pessoais subiu 5,9 pontos, para 64,1 pontos, retornando ao nível de janeiro de 2021.

Alemanha

  • Índice Ifo de confiança do empresário na Alemanha subiu para 99,2 pontos em maio

O índice de confiança do empresário da indústria e do comércio na Alemanha subiu para 99,2 pontos em maio, depois de registrar 96,6 pontos em abril, segundo informações do instituto de pesquisas alemão CESifo Group.

O subíndice que mede a avaliação da situação atual das empresas avançou de 94,2 em abril para 95,7 pontos em maio, enquanto o componente que mede as expectativas dos empresários para os próximos seis meses aumentou de 99,2 pontos para 102,9 pontos na mesma base de comparação.

Na indústria, o índice de confiança aumentou pouco com expectativas menos otimistas. No comércio, o índice melhorou com maior satisfação da situação atual, enquanto nos serviços o índice cresceu para seu registro mais alto desde fevereiro de 2020. Por fim, na construção, a confiança também cresceu com expectativas menos pessimistas.

  • PIB da Alemanha encolheu 1,8% no primeiro trimestre de 2021

Em um novo sinal dos reflexos na economia das restrições impostas para conter a covid-19, o Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha encolheu 1,8% no primeiro trimestre de 2021 ante o quatro trimestre de 2020, aponta a segunda leitura da Destatis, agência oficial de estatísticas do país, publicada nesta terça-feira (25).

A queda veio um pouco mais acentuada em relação à leitura preliminar do indicador, divulgada em 30 de abril pela Destatis, que indicava recuo de 1,7%.

Na comparação anual, por sua vez, o PIB da Alemanha sofreu retração de 3,1% entre janeiro e março, também um pouco pior do que a primeira leitura, que foi de -3,0%.

Estados Unidos

  • Sondagem industrial do FED Richmond mensal

A atividade manufatureira na região do Atlântico central dos EUA continuou crescendo em maio, segundo dados de uma pesquisa do Federal Reserve (Fed) de Richmond divulgados nesta terça-feira.

O índice composto da pesquisa saltou a 18 em maio, ante 17 em abril. A leitura está em linha com as projeções de economistas consultados pelo The Wall Street Journal.

O índice é compilado por meio de pesquisas com empresas de manufatura no Quinto Distrito do Fed, que abrange o distrito de Columbia, Maryland, Carolina do Norte, Carolina do Sul, Virgínia e a maior parte da Virgínia Ocidental. Leituras positivas indicam expansão, enquanto leituras negativas indicam contração.

A atividade manufatureira na área tem se expandido ininterruptamente desde julho de 2020, mas o ritmo de expansão diminuiu significativamente nos últimos meses, de um pico recorde alcançado em outubro.

  • Vendas de imóveis residenciais novos nos Estados Unidos caíram 5,9% em abril

As vendas de imóveis residenciais novos nos Estados Unidos caíram 5,9% em abril ante março, saindo de 917 mil unidades (dado anualizado e revisado) para 863 milhão, descontados os fatores sazonais, de acordo com o Departamento do Comércio.

O mercado previa baixa de 4,5% nas vendas de abril ante março. O número de novas casas à venda em abril duraria 4,4 meses no ritmo atual, abaixo dos 6,6 meses do mesmo mês do ano anterior.

  • Índice de confiança do consumidor nos EUA caiu para 117,2 pontos em maio

O índice de confiança do consumidor nos Estados Unidos, medido pelo Conference Board caiu para 117,2 pontos em maio, depois de ter registrado 117,5 pontos em abril.

Analistas esperavam alta para 119,5 pontos em maio, após a leitura original de 121,7 pontos em abril.

O indicador que avalia a situação atual subiu de 131,9 pontos em abril para 144,3 pontos em maio. Já o componente que mede as expectativas recuou de 107,9 pontos no mês passado para 99,1 pontos em maio.

  • 🇺🇸 Variação d3e estoques de petróleo API (17h30)

Em atualização…

Deixe um comentário