Fechamento Ibovespa: Bolsa termina em alta de 0,87% + todos os destaques de hoje (17/05/2021)

LinkedIn

A Bolsa de valores de São Paulo (B3) encerrou o dia em alta de 0,87% aos 122.937,87 pontos, na mínima o Ibovespa ficou em 121.680,47, e na máxima 123.074,21 pontos. O volume financeiro somou R$ 31,2 bilhões.

O Ibovespa acelerou os ganhos no fim do dia e fechou em alta descolando do desempenho das Bolsas norte-americanas com suporte dos papéis da Vale (VALE3). Segundo analistas, o movimento foi amparado pela forte demanda doméstica por minério de ferro.

No exterior, os índices em Wall Street terminaram a segunda-feira em queda, repercutindo as preocupações com a trajetória inflacionária norte-americana e sua possível consolidação em longo prazo.

O fim da temporada balanços e as expectativas para o tom da ata da última reunião de política monetária do FOMC (Federal Open Market Committee), a ser divulgada nesta quarta-feira (19), colaboram para o ambiente de cautela.

O dólar fechou o dia com variação discreta, com operadores locais acompanhando o desempenho da moeda no exterior em meio a dúvidas acerca da força do dólar num cenário de inflação em alta e juros baixos nos EUA.

➡️ Veja o fechamento desta segunda-feira:

🇧🇷 IBOV: +0,87% / 122.937 pts
🏢 IFIX: -0,53% / 2.811 pts
💵 Dólar: -0,09% / R$ 5,26
💶 Euro: +0,03% / R$ 6,40
💰Bitcoin: -1,28% / R$ 232.875,00

🇺🇸 Nova York
Dow Jones: -0,16% / 34.327 pts
S&P 500: -0,25% / 4.163 pts
Nasdaq: -0,38% / 13.379 pts

Acompanhe as altas e baixas da bolsa nos últimos dias:

Data Variação Pontuação Volume Financeiro
03/05/2021  0,27% 119.209,48 R$ 29,1 bilhões
04/05/2021 -1,3% 117.712,00 R$ 29,5 bilhões
05/05/2021  1,58% 119.564,44 R$ 34,3 bilhões
06/05/2021  0,30%  119.920,61  R$ 36,2 bilhões
10/05/2021 -0,11% 121.909,03  R$ 28,4 bilhões
11/05/2021 0,87% 122.964,01 R$ 30,1 bilhões
12/05/2021 -2,65% 119.710,03 R$  33,8bilhões
13/05/2021 0,83% 120.705,91 R$  30,9 bilhões
14/05/2021  0,97% 121.880,82  R$ 37 bilhões
17/05/2021  0,87%   122.937,87 R$ 31,2 bilhões

DESTAQUES DO IBOVESPA

  • ALTAS IBOVESPA

JHSF3: +4,87% a R$ 7,53
GGBR4: +3,48% a R$ 35,40
IGTA3: +3,21% a R$ 43,04
BPAC11: +3,18% a R$ 115,87
BRKM5: +3,15% a R$ 53,76

  • BAIXAS IBOVESPA

TOTS3: -2,06% a R$ 30,37
B3SA3: -1,51% a R$ 17,58
MGLU3: -1,51% a R$ 18,86
SULA11: -1,41% a R$ 32,77

Confira o ranking completo de todos os papéis negociados na B3.

Carteira recomendada semanal: semana de 17 a 21 de maio de 2021

Confira os destaques corporativos de hoje:

Brasil Brokers (BBRK3)

A Brasil Brokers reduziu em 66,5% seu prejuízo líquido atribuível aos controladores no primeiro trimestre deste ano em relação ao 1T20. Passou de prejuízo de R$ 71,1 milhões para prejuízo de R$ 23,8 milhões.

Braskem (BRKM5)

O lançamento de salmoura com óleo pela Braskem, no solo de uma área de preservação em Maceió, em março do ano passado, é investigado pelo Ministério Público Federal, informa o Painel da Folha. Saiba mais…

O Conselho de Administração da Braskem autorizou a alienação em bolsa da totalidade das ações da companhia mantidas em tesouraria que perfazem, nesta data, 902.166 ações preferenciais classe A de emissão da Braskem. Saiba mais…

BRF (BRFS3)

A BRF aprovou R$ 103,4 milhões como remuneração de conselheiros e da diretoria executiva para o ano de 2021.

CCR (CCRO3)

A CCR registrou aumento de 32,3% no tráfego na semana de 7 a 13 de maio de 2021 no comparativo com o mesmo período de 2020. Saiba mais…

Cemig (CMIG4)

A Cemig publicou o resultado do 1T21. A estatal mineira reportou lucro líquido de R$ 422,35 milhões no primeiro trimestre de 2021. Dessa forma reverteu o prejuízo de R$ 68,1 milhões do 1T20. O Ebitda teve expansão de 133,2% na comparação com o 1T20 para R$ 1,84 bilhão.

Cielo (CIEL3)

A Cielo informou que não procede notícia veiculada pelo jornal “O Globo” sobre possível parceria em negociação com o Facebook para processamento de serviços financeiros, incluindo marketplace. Saiba mais…

Cogna (COGN3)

A Cogna tem interesse em aquisições de faculdades de medicina e soluções tecnológicas para compor a plataforma digital de educação (marketplace) que está em construção. No entanto, essas iniciativas só devem ser feitas após a redução do endividamento da companhia, que deve ocorrer ao longo dos próximos trimestres deste ano.

Cosan (CSAN3)

A empresa de energia e infraestrutura Cosan reportou lucro líquido de R$ 827,7 milhões no primeiro trimestre, avanço de 28% na comparação anual, informou a companhia em balanço financeiro na sexta-feira.

CVC (CVCB3)

A operadora de turismo CVC registrou prejuízo de R$ 81,4 milhões no primeiro trimestre de 2021, o que representou uma queda de 92,9% ante as perdas de R$ 1,151 bilhão acumuladas no mesmo período de 2020.

Eletrobras (ELET3/ELET5/ELET6)

As alterações propostas pelo relator da Medida Provisória (MP) que abre caminho para a privatização da Eletrobras, deputado Elmar Nascimento (DEM-BA), seguem mobilizando o setor elétrico, mas ainda não há consenso nem mesmo dentro do governo. Saiba mais…

Enjoei (ENJU3)

A Enjoei, companhia do setor de marketplace de compra e venda de itens usados e novos de moda e decoração, aumentou o prejuízo de R$ 1,3 milhão para R$ 31 milhões no primeiro trimestre de 2021.

Fertilizantes Heringer (FHER3)

Fertilizantes Heringer, que está em processo de recuperação judicial, registrou lucro líquido de R$ 149,3 milhões no primeiro trimestre deste ano, crescimento de 20,2% sobre o mesmo período do ano passado. Segundo a companhia, foi o melhor primeiro trimestre de sua história.

Grazziotin (CGRA4)

O lucro líquido da Grazziotin cresceu 88,5% no primeiro trimestre de 2021. O indicador passou de R$ 7,2 milhões no 1T20  para R$ 13,6 milhões 1T21. Já a margem líquida cresceu de 8,9% para 18,9%.

JBS (JBSS3)

A JBS fechou a captação US$ 500 milhões em bonds emitidos nos Estados Unidos, segundo fonte com conhecimento do assunto. Saiba mais…

Locaweb (LWSA3)

O avanço na criação de lojas virtuais durante a pandemia colaborou para elevar a representatividade da receita de tecnologias de e-commerce da Locaweb para 40,6% da receita líquida da empresa no primeiro trimestre. Um ano antes, a participação era de 21,9%.

Lojas Americanas (LAME4)

As Lojas Americanas comunicaram ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a aquisição do grupo Uni.co, dono das marcas Puket, Imaginarium, Mind e Lovebrands. Saiba mais…

Lupatech (LUPA3)

A Lupatech – em recuperação judicial – encerrou o primeiro trimestre de 2021 com prejuízo líquido de R$ 42,7 milhões. Isso corresponde a uma redução de 33% em relação ao prejuízo do mesmo período de 2020.

Méliuz (CASH3)

A companhia de cashback Méliuz reportou lucro líquido de R$ 3,01 milhões no primeiro trimestre de 2021. Esse valor corresponde à queda de 51,2% em relação ao 1T20.

Orizon (ORVR3)

A Orizon teve prejuízo líquido de R$ 45,5 milhões no primeiro trimestre de 2021, cerca de cinco vezes acima dos R$ 9,1 milhões registrados no primeiro trimestre de 2020.

Petrobras (PETR3/PETR4)

A Petrobras negou que haja um surto de covid-19 na Bacia de Campos. A FUP afirma que 13 petroleiros desembarcaram com sintomas da doença, e a categoria entrou em estado de greve pedindo melhorias nos protocolos.

Petrobras concluiu operações de desinvestimento, de janeiro a maio, que somadas vão gerar US$ 2,5 bilhões ao caixa da empresa. Saiba mais…

PDG Realty (PDGR3)

A PDG Realty  – em recuperação judicial – encerrou o primeiro trimestre de 2021 com prejuízo líquido de R$ 220 milhões, contra um resultado negativo de R$ 175 milhões no mesmo período do ano passado.

Portobello (PTBL3)

A Portobello lucrou R$ 40,4 milhões no primeiro trimestre, alta de 92%. A receita cresceu 51,9%, para R$ 416,4 milhões. A companhia destaca o avanço de todas as unidades de negócios.

Porto Seguro (PSSA3)

A Porto Seguro divulgou sua intenção de desdobrar as ações da companhia na proporção de 1 para 3. Saiba mais…

Rede D’or (RDOR3)

A Rede D’or São Luiz, um dos maiores grupos hospitalares privados do país, reportou lucro líquido recorde de R$ 402,4 milhões no primeiro trimestre de 2021 (1T21). Esse valor corresponde à alta de 254,6% em relação ao 1T20.

Renova Energia (RNEW3/RNEW4)

A Renova Energia, em recuperação judicial, registrou prejuízo líquido de R$ 30 milhões no primeiro, queda de 43,5% na comparação anual. A receita cresceu 83% de janeiro a março, para R$ 22,6 milhões. A alta está relacionada ao contrato Light I que estava suspenso no mesmo período do ano anterior.

Restoque (LLIS3)

A Restoque melhorou em 19,4% o prejuízo líquido no primeiro trimestre de 2021 em relação ao mesmo período do ano passado. O prejuízo líquido foi de R$ 47,1 milhões no 1T20 contra prejuízo de R$ 38 milhões no 1TRI21.

Riva (RIVA3)

A Riva registrou um prejuízo líquido de R$ 6,7 milhões no balanço do primeiro trimestre de 2021. O indicador foi maior do que os R$ 132 mil de prejuízo que a empresa computou nos três primeiros meses do ano passado.

Saraiva (SLED3/SLED4)

A Saraiva – em recuperação judicial – registrou prejuízo líquido de R$ 20,3 milhões no primeiro trimestre de 2021, contra prejuízo de R$ 40,9 milhões no mesmo período do ano passado.

Sequoia (SEQL3)

A Sequoia celebrou o Termo de Fechamento do Contrato de Compra e Venda de Quotas e Outras Avenças para aquisição de 100% das quotas do capital social da Plimor. Saiba mais…

Smartfit (SMFT3)

A Smartfit teve prejuízo líquido de R$ 144,7 milhões no primeiro trimestre deste ano, revertendo lucro líquido de R$ 16,9 milhões no mesmo período do ano passado, segundo demonstrações financeiras enviadas à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Vivara (VIVA3)

A Vivara teve lucro líquido de R$ 3,9 milhões no período, queda de 79,4% em relação ao mesmo período de 2020.

Wine (WNBR3)

A Wine celebrou contrato com os sócios da Cantu Importadora para adquirir a totalidade de seu capital social pela companhia. Saiba mais…

Outras notícias e comunicados

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) anunciou que o WhatsApp assumiu o compromisso de colaborar com órgãos reguladores brasileiros e não encerrar nenhuma conta de usuários no País após a implementação de sua nova política de privacidade e termos de serviço. Saiba mais…

O Nubank atualiza, sua logomarca em todos os pontos de contato com seus mais de 38 milhões de clientes. De acordo com o banco digital, a nova versão tem formas mais suaves e em um tom levemente diferente de roxo. A mudança também pretende refletir o novo momento da fintech – com três aquisições estratégicas, alterações no conselho de administração e o crescimento em Brasil, Colômbia e México. Saiba mais…

(Com informações do Forbes Money e Momento B3)

Deixe um comentário