PetroReconcavo: ANP aprova cessão dos contratos de concessão do Polo Remanso da Petrobras para a companhia

LinkedIn

A PetroReconcavo comunica que, a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (“ANP”) aprovou, por unanimidade, a cessão dos contratos de concessão do Polo Remanso da Petróleo Brasileiro S.A – Petrobras (BOV:PETR3) (BOV:PETR4) para a Companhia.

O comunicado foi feito pela companhia (BOV:RECV3) nesta sexta-feira (28). Confira o documento na íntegra.

O Polo Remanso, localizado na bacia do Recôncavo, no estado da Bahia, contempla 12 campos de produção terrestre: Brejinho, Canabrava, Cassarongongo, Fazenda Belém, Gomo, Mata de São João, Norte Fazenda Caruaçu, Remanso, Rio dos Ovos, Rio Subauma, São Pedro e Sesmaria.

A Companhia informa ao mercado que ainda deverão ser aprovados pela ANP, como condição para a assinatura dos aditivos aos Contratos de Concessão desta aquisição, a proposta de constituição dos instrumentos das garantias de desativação e abandono a ser apresentada pela Companhia e o cronograma de transição da operação.

Além disso, para o fechamento da transação com a Petrobras, ainda deverão ser transferidas as titularidades das licenças ambientais e a Companhia deverá realizar à Petrobras o pagamento de uma parcela no valor de US$ 21,0 milhões, abatidos da geração de caixa do ativo e demais condições de ajuste de preço, a serem apresentados pela Petrobras, desde julho de 2020 até a data do Closing.

O saldo remanescente a pagar à Petrobras, no valor de US$ 5,0 milhões serão devidos e pagos em doze meses após o Closing. A Companhia já opera os campos do Polo Remanso através de Contrato de Produção com Cláusula de Risco celebrado com a Petrobras, concessionária dos mesmos, desde 1º de fevereiro de 2000.

Assim, após o Closing, esses campos passarão a ser operados como concessões próprias e o resultado econômico passará a ser 100% contabilizado e incorporado nas demonstrações financeiras da Companhia. Com esta etapa do processo, a Companhia continua a se posicionar na liderança do processo de transformação da indústria onshore de petróleo e gás natural no Brasil.

Prejuízo líquido de R$ 12,9 milhões no 1T21, queda de 90,5%

Petrorecôncavo registrou prejuízo líquido de R$ 12,9 milhões no primeiro trimestre deste ano, o que representa queda de 90,5% em relação ao mesmo período de 2020.

receita líquida nos três primeiros meses de 2021 avançou 25,7%, para R$ 245,8 milhões.

“Destacamos na receita líquida o incremento de 70,2% no faturamento do Distrito Potiguar, que passou de R$ 94,4 milhões no primeiro trimestre de 2020, para R$160,7 milhões no primeiro trimestre de 2021”, explica a PetroReconcavo em seu balanço.

A alta da receita também é justificada majoritariamente pelo avanço do preço médio do Brent, que ficou 21,2% mais caro, chegando a US$ 60,90, ante US$ 50,26 no primeiro trimestre de 2020. Além disso, apesar da alta de 12,7% do custo médio de produção por barril em reais, a desvalorização do câmbio acabou diminuindo o custo quando avaliado em dólares em 8,2%.

ebtida – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – foi de R$ 131,6 milhões entre janeiro e março, o que representa avanço de 25% em relação ao mesmo período do ano passado. A margem Ebitda recuou 0,6 ponto percentual no período, para 53,56%.

Deixe um comentário