Ações da Electric Last Mile, empresa de veículos elétricos, disparam na estreia na Nasdaq

LinkedIn

As ações da Electric Last Mile Solutions estouraram em sua estreia na segunda-feira (28) na Nasdaq, acrescentando-se a uma lista crescente de empresas iniciantes de veículos elétricos especulativos que vão abrir o capital por meio de acordos com empresas de aquisição de propósito específico.

A empresa sediada em Michigan planeja iniciar a produção de uma pequena van comercial elétrica em uma fábrica em Indiana neste outono, de acordo com o CEO do ELMS, James Taylor. A última fábrica produziu SUVs Hummer que consomem muita gasolina em meados dos anos 2000.

As ações da empresa – símbolo “ELMS” – abriram na segunda-feira a US$ 11,10. Eles saltaram até 9,8% antes de perder a maior parte desses ganhos. As ações estavam sendo negociadas com alta de cerca de 1,9% por volta das 12h40 (horário de Brasília).

Taylor, um ex-executivo da General Motors, disse acreditar que a empresa é diferente de outras startups de veículos elétricos porque está se concentrando exclusivamente em veículos comerciais. Sua van elétrica também é baseada em um veículo já produzido pela Chongqing Sokon Industry Group Stock na China.

Van Electric Last Mile Solutions
O ELMS Urban Delivery, com lançamento previsto para o final deste ano, deve ser o primeiro veículo elétrico comercial Classe 1 disponível no mercado dos EUA e será produzido nas instalações da empresa em Mishawaka, Indiana.

“Precisamos de muito menos capital. Temos um ponto de equilíbrio muito mais cedo e, francamente, nosso plano desde o primeiro dia tem sido muito, muito conservador”, disse ele durante uma entrevista na segunda-feira a CNBC. “Nosso risco geral é muito, muito menor do que os outros participantes neste espaço do ponto de vista de VEs.”

A ELMS concordou em abrir o capital por meio de uma fusão reversa com a empresa de cheques em branco Forum Merger III Corp. em dezembro, que avaliou a empresa em US$ 1,4 bilhão.

Quando o negócio foi anunciado, os investidores estavam otimistas com as empresas startups de veículos elétricos, como a ELMS. No entanto, esse otimismo se transformou em ceticismo este ano, após as empresas automotivas apoiadas pelo SPAC, como Lordstown Motors e Canoo, mudarem os planos de negócios e demitirem altos executivos em meio a investigações da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos. Também há mais concorrência chegando no mercado de VEs de fabricantes de automóveis estabelecidos, como GM e Ford Motor.

Taylor disse que o ELMS está “muito satisfeito” por ter obtido seu dinheiro e fechado o negócio quando o fez, em vez de tentar fazê-lo agora.

“Estou feliz por não estarmos começando um SPAC hoje”, disse ele. “Sem dúvida, houve alguns desafios em alguns dos SPACs”.

O negócio proporcionou à ELM US$ 379 milhões em receita bruta, incluindo US$ 155 milhões de investidores privados, como BNP Paribas Asset Management e Jennison Associates.

Deixe um comentário