China proíbe mineração de Bitcoin e criptomoedas em região estratégica

LinkedIn

A região chinesa de Xinjiang, conhecida pela alta concentração de mineração de Bitcoin, reprimiu os mineradores locais, exigindo que interrompam as operações até às 14h00 de hoje, 9 de junho.

Xinjiang é frequentemente chamada de “região energética estratégica” da China por conta do seu abundante suprimento de gás natural, carvão e outros recursos fósseis.

Com a medida, uma queda na taxa de hash do Bitcoin pode ser esperada depois que os mineiros desta região desligarem seus equipamentos.

A ordem para os mineiros foi emitida pela Comissão de Reforma e Desenvolvimento da Prefeitura de Changji. Assim que o trabalho das plataformas for suspenso, os mineiros devem relatar isso à comissão.

O influenciador chinês e fundador da Primitive Ventures, Dovey Wan, twittou que Xinjiang agora está seguindo o exemplo da Mongólia Interior ao encerrar a mineração de Bitcoin.

Ela chama a província de Sichuan de “última esperança” para os mineiros na China. Ele agora espera que as autoridades chinesas comecem uma ação contra o comércio de criptomoedas, incluindo o comércio de balcão (OTC).

O presidente chinês Xi Jinping anunciou que, a partir de 2026, a China começará a cancelar projetos de alto consumo de energia para reduzir a pegada de carbono produzida pelas indústrias do país.

A mineração de criptomoedas está entre os “projetos” que já estão sendo reprimidos, o que está fazendo alguns mineiros deixarem a China para outras jurisdições com leis mais amigáveis ​​e fontes de energia mais limpas e mais baratas.

Vale ressaltar que essa medida pode não impactar o hashrate do Bitcoin no médio prazo, visto que o hardware de mineração pode sempre ser movidos ou mesmo vendido para locais que não reprimam a atividade.

Enquanto a China tenta reprimir a revolução monetária, El Salvador tornou o Bitcoin uma moeda de curso legal no país ontem em uma votação histórica com maioria absoluta.

Deixe um comentário