El Salvador enviará US$ 30 em Bitcoin para cada cidadão adulto

LinkedIn

O presidente de El Salvador anunciou que o governo vai realizar um airdrop de US$ 30 em Bitcoin (COIN:BTCUSD) para cada cidadão adulto do país.

O anúncio foi bem recebido pelos Bitcoiners, com influenciadores especulando que o governo de El Salvador precisará comprar o BTC necessário que pretende distribuir, adicionando mais de US$ 100 milhões em pressão de compra nos mercados.

Uma pesquisa rapida da população adulta estimada de El Salvador é imprecisa, com o analista onchain, Willy Woo, tuitou que base de usuários global da rede Bitcoin crescerá 2,5%, graças ao influxo de 4,5 milhões de salvadorenhos.

Outros colocaram a população adulta salvadorenha em até 6,5 milhões (que é na verdade a população total), com o âncora do Yahoo Finance, Zack Guzman, usando o número para cálculos aproximados, sugerindo que US$ 195 milhões em Bitcoin serão distribuídos em todo o país.

CapturadeTela2021-06-25às10.37.36CEO da Binance: “6 milhões de pessoas entraram no ecossistema cripto de uma vez”

Os números exatos são difíceis de encontrar, mas o Statista mostra que em 2019 a população com 15 anos ou mais era de 4,72 milhões.

No entanto, a euforia da comunidade cripto no Twitter pode ser um pouco prematura, já que a publicação local Prensa Latina observa que os cidadãos de El Salvador só receberão o Bitcoin gratuito depois de baixar o aplicativo de carteira de criptomoeda emitido pelo governo.

A notícia foi anunciada durante uma coletiva de imprensa em 25 de junho, com o presidente Bukele declarando que “o aplicativo de carteira do governo funcionará em qualquer lugar com uma conexão de celular, e você não precisará ter um plano de celular para o aplicativo”.

O presidente Bukele também afirmou que a muito celebrada lei Bitcoin do país, que reconhece o BTC como moeda legal em todo o país, entrará em vigor em 7 de setembro.

A lei do Bitcoin de El Salvador foi aprovada há cerca de duas semanas. Embora a medida tenha sido elogiada pela comunidade cripto global, a legislação enfrentou oposição de um partido político minoritário e do Banco Mundial.

Por Samuel Haig

Deixe um comentário