Eletrobras: Marcos Rogério será o relator da MP de privatização da companhia no Senado

LinkedIn

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) será o relator da MP de privatização da Eletrobras (BOV:ELET3) (BOV:ELET5) (BOV:ELET6) no Senado, onde a matéria será analisada após aprovação da Câmara dos Deputados no final de maio.

A escolha deve facilitar a tramitação da matéria na Casa, já que o senador é um dos integrantes da tropa de choque do governo na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, além de líder do partido na Casa.

Marcos Rogério tem familiaridade com assuntos ligados à energia. Ele foi o relator do novo marco do setor elétrico no Senado (PLS 232/2016), que tramita hoje na Câmara e foi renomeado (PL 414/2021).

A MP de desestatização precisa ser aprovada pelos senadores antes de 22 de junho para que a operação seja levada adiante. Se não for deliberada até o final do prazo, a medida caducará e deixará de produzir efeitos. Se os senadores aprovarem mudanças no texto, a proposta terá que voltar para análise dos deputados.

Eletrobras (ELET3): lucro líquido de R$ 1,6 bilhão no 1T21, alta de 31%

Eletrobras fechou o primeiro trimestre com lucro líquido de R$ 1,609 bilhão, uma alta de 31% frente aos R$ 1,228 bilhão de igual período do ano passado.

Segundo a estatal, o lucro do primeiro trimestre sofreu o impacto positivo dos resultados da transmissão, em decorrência da Revisão Tarifária Periódica com efeitos a partir de julho de 2020.

O resultado da última linha do balanço poderia ser ainda melhor se não fosse pelas provisões para contingências de R$ 932 milhões, com destaque para R$ 436 milhões relativos às contingências judiciais que discutem a correção monetária de empréstimo compulsório

A receita operacional líquida atingiu R$ 8,208 bilhões no período, 8% superior ao mesmo trimestre do ano anterior. A receita operacional líquida recorrente, que engloba receita do Procel, registrou alta 8% e somou R$ 8,200 bilhões na mesma base de comparação.

Informações Estadão

Deixe um comentário