Embraer anunciou assinatura de um contrato com a GrandView Aviation para a conversão de um jato Phenom 300MED

LinkedIn

A Embraer anunciou a assinatura de um contrato com a GrandView Aviation para a conversão de um jato Phenom 300MED, solução de transporte aeromédico, por meio de um STC (Certificado de Tipo Suplementar). A aeronave será convertida no Centro de Serviços da Embraer  (BOV:EMBR3) em Fort Lauderdale, na Flórida, nos Estados Unidos, e operada pela empresa de fretamento de voos sob demanda GrandView Aviation.

Em nota, Marsha Woelber, diretora Global de Suporte ao Cliente de Aviação Executiva e Pós-Venda da Embraer Serviços & Suporte, diz que esta deve ser a primeira de muitas conversões ao redor do mundo. “Este contrato é um exemplo da capacidade da Embraer em adicionar valor ao nosso portfólio de produtos líderes de mercado”, diz.

O Phenom 300MED é uma solução exclusiva de transporte aeromédico (MEDEVAC) para a série de jatos Phenom 300. A solução, que também está disponível para aviões novos, é instalada exclusivamente pela rede de Serviços e Suporte da Embraer, assegurando qualidade, confiabilidade e experiência de serviço, diretamente do fabricante.

“Como solução criada especificamente para transporte aeromédico, em colaboração com as empresas líderes na indústria aeromédica, o Phenom 300MED é projetado para fornecer o transporte aéreo ideal para aplicações civis e governamentais, sendo configurado de forma rápida e fácil visando atender às várias necessidades tanto dos prestadores de assistência médica quanto dos pacientes”, destaca a empresa.

A GrandView Aviation opera uma frota de jatos privados fretados Phenom 300 e helicópteros que dão apoio ao transporte VIP e médico nos Estados Unidos a partir das bases da empresa em Baltimore, Chicago, Atlanta, Austin, Phoenix, Boston, Denver e, em breve, Los Angeles.

Prejuízo líquido de R$ 489,8 milhões no primeiro trimestre

Embraer registrou um prejuízo líquido atribuído aos acionistas de R$ 489,8 milhões no primeiro trimestre, contra uma perda de R$ 1,276 bilhão nos 3 primeiros meses de 2020, ainda impactada pela pandemia do novo coronavírus.

Conforme a companhia, descontados eventos extraordinários, o prejuízo líquido ajustado foi de R$ 522,9 milhões no 1º trimestre de 2021, pior que a perda de R$ 433,6 milhões no mesmo período fiscal do ano passado.

receita líquida atingiu R$ 4,45 bilhões, representando aumento de 55% na comparação anual, impulsionada principalmente pelo crescimento das receitas na Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa &Segurança e Serviços e Suporte (+17%).

Informações Broadcast

Deixe um comentário