Governo não fecha acordo e votação da MP da privatização da Eletrobras pode não ocorrer

LinkedIn

O governo ainda não conseguiu fechar acordo para votar no Senado a medida provisória (MP) que permite a privatização da Eletrobras (BOV:ELET3) (BOV:ELET5) (BOV:ELET6). Sem entendimento entre os parlamentares sobre o conteúdo da proposta, a votação inicialmente prevista para esta semana pode não ocorrer, na avaliação de fontes que acompanham o assunto.

A MP precisa ser votada até o dia 22, próxima terça-feira, para não perder a validade. Mas pontos incluídos na proposta pela Câmara, além da resistência do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), a mudanças na gestão do lago de Furnas têm atrasado a votação.

texto aprovado pela Câmara determina a contratação de 6 mil megawatts (MW) de energia gerada por usinas térmicas a gás natural nas regiões Nordeste, Norte e Centro-Oeste, e a contratação de 2 mil MW de energia gerada por pequenas hidrelétricas.

Algumas entidades do setor elétrico se manifestaram contra essas obrigações e estão fazendo pressão para que as mudanças sejam barradas pelo Senado. Isso gerou um impasse. Parte dos senadores favoráveis à privatização se mostraram contra à contratação de termelétricas, se juntando à oposição. Outros senadores favoráveis às termelétricas não abrem mão na medida.

O temor do governo agora é que a votação da MP, nesse modelo, não tenha maioria. Por isso, um acordo que está sendo ventilado é de votar as mudanças da Câmara separadamente. Seria uma forma de garantir a aprovação da privatização.

Eletrobras (ELET3): lucro líquido de R$ 1,6 bilhão no 1T21, alta de 31%

Eletrobras fechou o primeiro trimestre com lucro líquido de R$ 1,609 bilhão, uma alta de 31% frente aos R$ 1,228 bilhão de igual período do ano passado.

Segundo a estatal, o lucro do primeiro trimestre sofreu o impacto positivo dos resultados da transmissão, em decorrência da Revisão Tarifária Periódica com efeitos a partir de julho de 2020.

O resultado da última linha do balanço poderia ser ainda melhor se não fosse pelas provisões para contingências de R$ 932 milhões, com destaque para R$ 436 milhões relativos às contingências judiciais que discutem a correção monetária de empréstimo compulsório

A receita operacional líquida atingiu R$ 8,208 bilhões no período, 8% superior ao mesmo trimestre do ano anterior. A receita operacional líquida recorrente, que engloba receita do Procel, registrou alta 8% e somou R$ 8,200 bilhões na mesma base de comparação.

Informações O Globo

Deixe um comentário