iFood investe em blockchain para tirar 4.000 toneladas de lixo das praias do Rio de Janeiro

LinkedIn

A empresa de delivery Ifood fechou uma parceria com a startup Polen para retirar mais de 4.000 toneladas de lixo das praias do Rio de Janeiro usando a tecnologia blockchain. A matéria é do Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

Segundo o texto, o objetivo da parceria é equipar todos os quiosques ta orla sul do Rio de Janeiro com pontos de coleta voluntária até 2024, em espaços que terão objetivo de estimular os frequentadores das praias a ajudarem na separação correta dos resíduos.

O plano prevê 325 pontos de entrega espalhados pelos 35 quilômetros de praia da orla carioca. Os resíduos serão levados para um centro de triagem para separação, compactação e venda por empresas de reciclagem.

A startup Polen vai usar blockchain para tokenizar a ação, possibilitando a negociação dos tokens entre as empresas envolvidas. A estimativa é que as 4.000 toneladas sejam convertidas em R$ 1,7 milhão.

O fundador da Polen, Renato Paquet, diz que a iniciativa segue a mesma lógica dos créditos de carbono, que no Brasil são tokenizados e negociados pela startup MOSS, parceira de clubes como o Flamengo.

Ele diz que desde que o iFood lançou um programa de metas ambientais, as negociações foram abertas com a empresa de delivery, até o fechamento de um contrato de 3 anos, com possibilidade de expansão.

A iniciativa deve começar no dia 1 de julho pela orla sul do Rio e todo o financiamento dos pontos de recolha de resíduos será feito pelo iFood:

“Não é um procedimento barato. O iFood é peça fundamental desse negócio”

A startup Polen já se envolveu em outras iniciativas para sustentabilidade e recuperação de resíduos nas praias do Rio de Janeiro. Em 2019, o projeto Recicla Orla recuperou mais de 70 toneladas de lixo usando a tecnologia blockchain.

Por Lucas Caram

Deixe um comentário