JBS: apresenta transações entre partes relacionadas com a JBJ, para fornecimento de gado às unidades de abate da companhia

LinkedIn

A JBS vem apresentar as transações entre partes relacionadas com a JBJ Agropecuária.

O comunicado foi feito pela companhia (BOV:JBSS3) nesta quarta-feira (23). Confira o documento na íntegra.

A JBJ é controlada por integrante da família dos maiores acionistas indiretos da Companhia, porém sem qualquer participação acionária na J&F Investimentos S.A., controladora da JBS.

O objeto da transação é o fornecimento de gado às unidades de abate da JBS. As transações com a JBJ são recorrentes e efetuadas no curso normal dos negócios da JBS, conforme as necessidades da Companhia e a capacidade de entrega de animais pela JBJ.

O valor referente a compra de animais para abate realizadas no período entre 01 de junho de 2021 a 21 de junho de 2021 foi de R$ 52.411.450,70.

Em relação ao fornecimento de gado com entrega futura (180 dias), não houve compromissos firmados entre JBS e JBJ nessa modalidade no período de 01 de junho de 2021 até 21 de junho de 2021.

Essa alternativa é utilizada pela Companhia com fornecedores em geral, quando há necessidade de garantir antecipadamente o preço que será pago pelos animais quando recebidos pela Companhia.

Tendo em vista que a obrigação de pagamento da Companhia só surge quando o gado é entregue, a transação é aceita por aqueles fornecedores que pretendem ceder esse crédito para antecipar os recebíveis decorrentes do fornecimento.

A JBS não se obriga de antemão a adquirir gado da JBJ com exclusividade, estando apenas previamente definidas as condições gerais, conforme descritas abaixo, a serem observadas em cada operação de compra e venda específica.

A JBJ se obriga a entregar animais de alto padrão genético que recebem tratamento especializado em todas as fases de produção, com dieta balanceada, manejo adequado, transporte eficiente e utilização de alta tecnologia em seu processo produtivo, o que possibilita agregar ao produto final alto padrão de qualidade.

A JBJ se obriga a entregar animais em perfeitas condições sanitárias, com os respectivos certificados de origem e a documentação fiscal e sanitária regular.

A JBS tem a prerrogativa de fazer o controle da cadeia de produção dos animais vendidos pela JBJ, a fim de verificar o atendimento dos padrões de qualidade aplicáveis.

O preço de venda dos animais corresponde ao custo incorrido pela JBJ com a aquisição de garrotes, novilhas ou gado jovem e sua engorda até o momento do abate, acrescido de atualização pela variação do CDI no período.

As operações de compra e venda de gado são individualmente formalizadas por meio de notas de negociação, onde constam os valores, termos e condições específicos de casa negócio, incluindo data de entrega do gado e unidade da JBS responsável pelo abate. Observadas as condições gerais acima descritas.

Não há obrigação de exclusividade com a JBJ ou de aquisição de um número mínimo de cabeças em determinado período.

A JBJ, seus administradores e/ou seus sócios não participam ou têm qualquer influência sobre a tomada de decisões pela JBS acerca das transações e tampouco participam da negociação das transações como representantes da JBS.

A compra de gado da JBJ está fortemente alinhada à estratégia comercial da JBS.  O gado adquirido da JBJ supre parte da demanda da JBS por animais de altíssima qualidade (acabamento, precocidade, raça etc.) e sua carne é direcionada às marcas premium da Companhia, com maior valor agregado, como Swift Black e 1953.

Essas marcas fortalecem a imagem da JBS perante o consumidor (ex: a marca Swift Black já recebeu diversos prêmios no Brasil e no mundo por sua qualidade) e valorizam todo o portfólio da Companhia.

A aquisição de gado da JBJ também é estratégica para suprir a demanda de abate de determinadas plantas da JBS, permitindo que essas unidades operem com maior estabilidade e segurança de abastecimento.

O fornecimento de gado ocorre ao longo do ano, em todas as temporadas, observando as necessidades de abate das plantas em questão. As transações com a JBJ observam condições compatíveis com as praticadas pela JBS com fornecedores de gado estratégicos em mercados internacionais.

Em qualquer caso, não há obrigação de exclusividade com a JBJ, de modo que a JBS é livre para contratar com outros fornecedores que lhe ofereçam melhores condições.

Lucro líquido de R$ 2 bilhões no 1T21, revertendo prejuízo bilionário

A JBS, companhia da família Batista, reportou ontem um lucro líquido de R$ 2 bilhões no primeiro trimestre, já sinalizando um dividendo superior a R$ 3 bilhões em 2022, novo recorde. Nos três primeiros meses do ano passado, a empresa divulgou prejuízo de R$ 5,9 bilhões.

A JBS, companhia da família Batista, reportou ontem um lucro líquido de R$ 2 bilhões no primeiro trimestre, já sinalizando um dividendo superior a R$ 3 bilhões em 2022, novo recorde. Nos três primeiros meses do ano passado, a empresa divulgou prejuízo de R$ 5,9 bilhões.

“Nossa plataforma diversificada por geografias e por tipo de proteína tem demonstrado uma importante resiliência no nosso resultado. Independente dos desafios enfrentados, nossas unidades de negócios responderam bem e apresentaram evolução em indicadores financeiros importantes, como receita líquida, ebitda e lucro líquido”, disse o presidente da companhia, Gilberto Tomazoni.

ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – aumentou 69,4%, para R$ 6,71 bilhões. Em termos ajustados, o ebitda aumentou 75,8%, para R$ 6,876 bilhões.

Deixe um comentário