Ouro fecha em alta com os rendimentos do Tesouro recuando

LinkedIn

Os preços do ouro subiram nesta quarta-feira, pairando abaixo do pico de quase cinco meses atingido na sessão anterior, com os rendimentos do Tesouro dos EUA recuando, enquanto os investidores aguardavam os principais dados econômicos desta semana que lançarão luz sobre as perspectivas para a inflação.

O ouro à vista subiu 0,3%, para US$ 1.905,75 por onça, após atingir seu maior valor desde 8 de janeiro a US$ 1.916,40 na terça-feira. Os futuros de ouro dos EUA firmaram 0,2%, para US$ 1.908,10.

“Neste ponto, é a antecipação de algumas das notícias econômicas que sairão esta semana… o que aumentará as preocupações em relação à inflação e terá um impacto positivo na dinâmica do mercado de ouro”, disse Jeffrey Sica, fundador da Circle Squared Alternative Investments.

Como referência, os rendimentos do Tesouro dos EUA de 10 anos caíram abaixo de 1,60%, reduzindo o custo de oportunidade de manter ouro, que não paga juros, enquanto os mercados de ações pairaram perto de máximos recordes.

Os investidores agora aguardam os dados da folha de pagamento dos EUA, que serão divulgados na sexta-feira, para avaliar as pistas sobre a política monetária futura.

Gargalos na cadeia de suprimentos e o aumento dos preços das commodities podem limitar o potencial de crescimento da manufatura dos EUA, e o Federal Reserve está prestando atenção aos dados do mercado de trabalho, disse o analista do Commerzbank Daniel Briesemann.

O índice do dólar diminuiu após as altas da sessão, tornando o ouro mais acessível para outros detentores de moeda.

Entre outros metais preciosos, o paládio ficou estável em US$ 2.858,68 por onça, a prata subiu 0,6% para US$ 28,07 e a platina caiu 0,9% para US$ 1.181,55.

(Com informções da CNBC e BDM)

Deixe um comentário