Santander anuncia linhas de crédito para capital de giro com uso de garantia imóvel ou automóvel

LinkedIn

Santander Brasil anunciou linhas de crédito para capital de giro nas quais clientes oferecem como garantia imóvel ou automóvel para obter taxas de juros menores.

Segundo o banco, o produto vale inclusive para empresas que não se enquadram nas regras do Pronampe – programa federal de crédito para micro e pequenas empresas.

Numa das linhas, um automóvel é dado como garantia, mesmo que o bem não pertença à empresa, podendo até mesmo ser de uma pessoa física, como o dono da empresa ou parente.

A linha vale para empresas de varejo. Os planos de pagamento são de até 60 meses, com carência de até seis meses para começar a pagar o principal, com taxa pré-fixadas a partir de 1,2% ao mês.

A outra linha, que tem o imóvel como garantia, tem planos de pagamento de até 10 anos e carência de até um ano. A taxa começa também em 1,2% mensais.

O imóvel pode ser próprio ou de terceiros, e o valor máximo do crédito pode chegar a 60% do valor venal do bem.

Neste caso, o crédito é disponível para empresas com faturamento anual bruto de 3 milhões a 30 milhões de reais. O imóvel, o bem precisa estar quitado e não ter débitos de IPTU.

Os tomadores também poderão usar veículo ou imóvel em oferta como garantia para renegociar créditos.

Nesta modalidade, o tomador pode juntar todos os compromissos em um única parcela mensal, dividido em até 60 meses e com até 6 meses de carência para começar a pagar o principal.

Lucro líquido gerencial de R$ 4 bilhões, alta de 4,1%

Santander Brasil apresentou lucro líquido gerencial, que não considera ágio de aquisições, de R$ 4,012 bilhões no primeiro trimestre deste ano, 4,1% maior que no mesmo período de 2020.

carteira de crédito ampliada encerrou março com R$ 497,566 bilhões, 2,9% menor que no final do ano passado. Na comparação anual, a carteira se expandiu em 7,4%.

Os ativos totais detidos pela subsidiária brasileira do banco espanhol se retraíram em 2,2% se comparados a um ano antes, e encerraram o primeiro trimestre em R$ 978,15 bilhões.

patrimônio líquido, por sua vez, avançou 7,4% na mesma comparação, e alcançou R$ 77,763 bilhões, no período encerrado em março. A retorno sobre o patrimônio líquido médio (ROAE, na sigla em inglês), ficou em 20,9%.

Informações Reuters

Deixe um comentário