Confira os Indicadores Econômicos desta segunda-feira (26/07/2021) - Boletim Focus, Balança Comercial, Índice Ifo…

LinkedIn

Confira os principais indicadores econômicos de hoje, em destaque os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) revisaram a previsão da taxa básica de juros ao fim deste ano em alta pela terceira semana seguida, passando de 6,75% para 7,00%.

Brasil

  • Boletim Focus: Selic é mantida em 7,00% ao ano pela segunda semana seguida

Os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) revisaram a previsão da taxa básica de juros ao fim deste ano em alta pela terceira semana seguida, passando de 6,75% para 7,00%. Há um mês, a projeção para a taxa Selic ao fim de 2021 era de 6,50% ao ano.

Para 2022, a previsão para a Selic foi mantida em 7,00% ao ano pela segunda semana seguida. Há um mês, a projeção para a taxa Selic ao fim de 2022 era de 6,50% ao ano. No que se refere a 2023 e 2024, a previsão para o juro básico foi mantida em 6,50% cada, há 17 e 13 semanas, respectivamente.

Enquanto isso, a projeção para o Indice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ao final deste ano foi elevada pela 16 vez seguida, passando de 6,31% para 6,56%. Há um mês, a projeção era de +5,97%. Para 2022, a projeção foi elevada em 3,80%, de 3,75% na semana passada e 3,87% há um mês. Para 2023, a previsão é mantida em 3,25% há 54 semanas. Já em relação a 2024, a estimativa foi cortada pela terceira semana seguida, de 3,06% para 3,00%.

  • Balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 6,94 bilhões até a quarta semana de julho

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 6,94 bilhões até a quarta semana de julho, com crescimento de 23,5% em relação a julho de 2020, pela média diária. As exportações cresceram 42,7% e somaram US$ 20,47 bilhões, enquanto as importações subiram 55% e totalizaram US$ 13,53 bilhões.

Assim, a corrente de comércio (soma das exportações e importações) aumentou 47,3%, alcançando US$ 34,01 bilhões no período. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (26/7) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia.

No acumulado do ano, em comparação ao período de janeiro a julho de 2020, o superávit chegou a US$ 43,67 bilhões, com crescimento de 52,3%, e a corrente de comércio subiu 33,4%, atingindo US$ 269,05 bilhões. As exportações em 2021 cresceram 35,8% e somaram US$ 156,36 bilhões. Já as importações subiram 30,3% e totalizaram US$ 112,69 bilhões.

  • Índice de confiança do consumidorsegue subiu 1,3 pontos em julho, maior valor desde outubro de 2020

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) do FGV IBRE subiu 1,3 pontos em julho, para 82,2 pontos, maior valor desde outubro de 2020 (82,4 pontos). Em médias móveis trimestrais, o índice subiu 3,2 pontos, segundo aumento após seis meses consecutivos de queda.

Em julho, houve melhora da percepção dos consumidores sobre as expectativas em relação aos próximos meses e acomodação da satisfação em relação a situação atua. O Índice de Situação Atual (ISA) cedeu -0,7 ponto, para 70,9 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) cresceu 2,5 pontos, para 90,8 pontos, atingindo o maior patamar desde setembro de 2020.

Entre os quesitos que medem o grau de satisfação com a situação atual, o indicador que mede a percepção dos consumidores em relação à situação econômica geral se manteve estável com recuou de 0,1 ponto em julho, para 76,6 pontos, segundo maior valor desde março de 2020 (82,1). O indicador que mede a satisfação sobre as finanças pessoais caiu 1,2 ponto, para 65,8 pontos.

Europa

  • Índice de sentimento das empresas da Alemanha caiu para 100,8 pontos em julho

O índice de sentimento das empresas da Alemanha caiu de 101,7 pontos em junho para 100,8 pontos em julho, segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira pelo instituto alemão IFO. O resultado deste mês ficou aquém da expectativa de analistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam avanço do indicador a 102,5 pontos.

O chamado subíndice de expectativas econômicas do IFO recuou de 103,7 pontos em junho para 101,2 pontos em julho, enquanto o subíndice de condições atuais subiu de 99,7 para 100,4 pontos no mesmo período.

“Gargalos de oferta e preocupações com o aumento do número de infecções por covid-19 estão pesando na economia alemã”, disse o presidente do IFO, Clemens Fuest. As empresas avaliaram sua situação atual de negócios como melhor, mas suas expectativas para os próximos meses eram significativamente menos otimistas, ressaltou o instituto.

Estados Unidos

  • Vendas de imóveis residenciais novos nos Estados Unidos caíram 6,6% em junho ante maio

As vendas de imóveis residenciais novos nos Estados Unidos caíram 6,6% em junho ante maio, saindo de 724 mil unidades (dado anualizado e revisado) para 676 mil, descontados os fatores sazonais, de acordo com o Departamento do Comércio.

O mercado previa alto de 3,4% nas vendas de junho ante maio. O número de novas casas à venda em junho duraria 6,3 meses no ritmo atual, acima dos 4,3 meses do mesmo mês do ano anterior.

O preço médio de venda de uma casa nova em junho foi de US$ 428,7 mil, abaixo dos US$ 434 mil registrados em maio e acima dos US$ 382,2 mil registrados em junho de 2020. Os dados de vendas podem ser voláteis e sujeitos a revisões.

Ásia

=> Os resultados de indicadores dos países asiáticos saem após o encerramento das negociações das Bolsas ocidentais, em virtude do fuso horário, portanto, apenas  disponíveis no próximo dia, aguarde para mais atualizações…

Deixe um comentário