Duratex: agência Fitch Ratings atribuiu o rating corporativo inicial Rating Nacional de Longo Prazo ‘AAA(bra)’ com perspectiva estável

LinkedIn

Duratex comunica que a agência de rating Fitch Ratings atribuiu  à Companhia o rating corporativo inicial Rating Nacional de Longo Prazo ‘AAA(bra)’, com perspectiva estável.

O comunicado foi feito pela empresa  (BOV:DTEX3), nesta quarta-feira (14). Confira o documento na íntegra.

Segundo o relatório da Fitch “o rating da Duratex reflete a forte posição de negócios da companhia e sua comprovada capacidade de gerar robusto fluxo de caixa operacional e livre mesmo em cenários econômicos adversos.

A classificação incorpora a expectativa de crescente capacidade de geração de caixa e rentabilidade, beneficiada pela estratégia da Duratex nos últimos anos de elevar a eficiência operacional e otimizar a estrutura de custos, combinada a perspectiva positiva para a demanda do setor.

O rating também incorpora a forte disciplina financeira da Duratex testada ao longo dos anos, e suportada por um longo histórico de robusta posição de liquidez e conservadora estrutura de capital, em conjunto a um amplo acesso a linhas bancárias e de mercado de capitais.”

A empresa pretende divulgar os resultados do 2T21 no dia 28 de julho

Duratex (DTEX3): lucro líquido de R$ 172,7 milhões, melhor trimestre da história

A Duratex registrou lucro líquido de R$ 172,7 milhões, aumento de 232%, no primeiro trimestre, na comparação anual, para R$ 172,7 milhões. Esse é o melhor primeiro trimestre da sua história em lucro líquido, receita líquida, Ebitda ajustado recorrente e geração de caixa.

receita líquida teve expansão de 52,2%, para R$ 1,7 bilhão, puxada por reajustes de preços e aumentos de volumes. A receita originada do mercado externo cresceu 60,5%, para R$ 353,5 milhões.

De janeiro a março, os investimentos da Duratex somaram R$ 132,4 milhões – R$ 84,5 milhões foram em ativos imobilizados e R$ 47,9 milhões para formação de ativo biológico.

Ebitda – juros, impostos, depreciação e amortização – teve alta de 74,4%, para R$ 464,6 milhões. Já o Ebitda ajustado recorrente cresceu 126%, para R$ 495,9 milhões, como consequência dos altos níveis de utilização da capacidade, de ganhos em produtividade e de reajustes de preços. A margem do Ebitda ajustado e recorrente passou de 18,9%, no primeiro trimestre de 2020, para 28%.

Na divisão madeira, a Duratex registrou recorde do Ebitda ajustado e recorrente de R$ 375,9 milhões, 158% superior ao do mesmo período do ano passado. Na Deca, o indicador cresceu 71,6%, para R$ 65 milhões e, na divisão Revestimentos Cerâmicos, aumentou 53,8%, para R$ 54,9 milhões.

Deixe um comentário