Índice de confiança da indústria sobe 0,8 ponto em julho, mas otimismo das empresas desacelera

LinkedIn

Índice de Confiança da Indústria (ICI) do FGV IBRE subiu 0,8 ponto em julho para 108,4 pontos, maior valor desde janeiro (111,3 pontos). Em médias móveis trimestrais, o índice subiu 1,6 ponto.

O resultado do mês é influenciado por uma acomodação da situação atual e melhora do otimismo em relação aos próximos meses. Após cinco quedas consecutivas, o Índice Situação Atual (ISA) subiu pela segunda vez variando 0,5 ponto, para 111,8 pontos. O Índice de Expectativas (IE) subiu 0,9 ponto para 104,9 pontos, o terceiro mês de alta consecutiva. Ambos retornam ao patamar de janeiro desse ano.

Entre os quesitos que compõem o ISA, apenas nível de estoques subiu 7,7 pontos, para 114,4 pontos, maior nível desde março de 2021. Os indicadores para demanda total e situação atual dos negócios caíram ambos 3,2 pontos, para 110,4 e 109,3 pontos, respectivamente.

Dos indicadores que integram o IE, a produção prevista para os próximos três meses foi o único que se manteve relativamente estável ao passar de 100,9 para 100,6 pontos. O indicador que captura o emprego previsto para os próximos três meses aumentou 1,4 ponto, para 108,3 pontos, maior valor desde janeiro de 2021 (108,6 pontos). A tendência dos negócios para os próximos seis meses também subiu 1,4 ponto, para 105,4 pontos, maior valor desde fevereiro (107,1 pontos).

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada subiu 0,7 ponto percentual, para 80,1%, maior valor desde novembro de 2014 (80,3%).

(Com informações do FGV Ibre)

Deixe um comentário