VALOR JUSTO DA AÇÃO: entenda isso na prática, de um jeito diferente

LinkedIn

Quanto custa uma pinça?

Há poucos dias, passei um aperto por falta de atenção ao uso de tecnologia – sou do tempo da máquina fotográfica com rolo de filme. Meu notebook tem entrada para alguns cartões de memória e com facilidade descarrego todas as fotos da máquina digital conectando um cartão com as imagens a ele. Isso serve para me adaptar às novas tecnologias e dar maior agilidade ao trabalho.

Até aí tudo bem. O difícil é um sujeito como eu (que está adaptado aos dias de hoje e, por isso, é multitarefa) manter em sua essência a distração e torná-la pertencente ao seu dia a dia. Muitas vezes, dá trabalho, mas garante boas risadas de si mesmo ao fim do dia.

Dessa vez, a minha distração me ajudou a tornar mais claro o papel da ADVFN para os investidores e me mostrou a importância dos assuntos sobre Bolsa de Valores que abordamos constantemente.

Indo direto ao ponto, eu havia tirado algumas fotos e queria descarregar os arquivos do cartão de memória da máquina digital em meu notebook. Tarefa fácil e que qualquer criança sabe fazer. O problema é que, distraído, coloquei o cartão de memória na entrada errada. Acabei inserindo o cartão em uma entrada que parece a do Atari, aquele pré-histórico videogame, em que colocávamos o cartucho de jogos.

Fiquei pensando em como conseguiria retirar o cartão de memória sem a necessidade de desmontar o meu notebook. Tentei com a unha, com clips, tampa de caneta e nada… até que me veio à mente um instrumento que as mulheres conhecem muito bem: a pinça, utilizada por elas para retirar pelos indesejados.

Ok, mas eu não tinha uma pinça. Foi aí que pensei: “Opa, nosso escritório é ao lado do supermercado”. Então, fui até lá na empreitada de comprar uma pinça e salvar meu cartão de memória.

Estava eu com a tarefa cumprida e de pinça na mão, prestes a remover o cartão de memória do local errado do notebook, quando uma das minhas colegas, jornalista da ADVFN, me fez uma pergunta: “A pinça é barata, não é?”. E eu respondi: “Sim, pague R$ 3,60 nesta aqui”. Na sequência e em coro ela e a Renata Silvestre (também jornalista da ADVFN) responderam juntas: “Mas uma pinça, na farmácia, custa R$ 0,50!!!”.

Ora pois, por que eu paguei R$ 3,60 em uma pinça quando a maioria das mulheres paga no máximo R$ 0,50? A resposta é simples: eu não estou inserido no mercado de pinças nem o acompanho, ou melhor, não sou o público-alvo dele.

Isso é entender e conhecer o mercado, e o mesmo acontece com as ações. Como saber se um papel está caro ou barato se eu nem sei quanto é o valor de mercado da empresa? Se estou inserido no mercado, são grandes as chances de saber precificar as companhias, e principalmente ver se as ações estão com o valor real de mercado ou subavaliadas.

Claro que é importante também saber o que é P/L, Ebitda, dividend yield, entre outros indicadores que ajudam a traçar melhor o cenário em que a companhia que você deseja aportar os seus investimentos está inserida. Pense nisso ou você pagará esse mico de não saber se pagou caro ou não pela pinça, ou melhor, pela ação que comprou.

Francisco Tramujas, editor-chefe da Revista ADVFN, em texto adaptado do originalmente publicado em janeiro de 2012. Sim, a ADVFN já teve uma revista física!

E vale dizer que não são apenas as informações comentadas há alguns anos que continuam atuais… Atual também é a presença dos jornalistas da revista Francisco Tramujas, Renata Silvestre, Brasílio Andrade Neto e Aroldo Glomb Jr., pois eles continuam conosco, sempre entregando ótimos conteúdos.

No YouTube da ADVFN, o Francisco conversa com grandes nomes do mercado em entrevistas que agregam muito conhecimento relevante para o investidor de sucesso. Cada vídeo é como uma verdadeira aula que não é dada em nenhum outro lugar, está disponível somente aqui no YouTube da ADVFN. Acesse agora e acompanhe a seção “Momento Com” apresentada pelo Francisco. 

Já a Renata agrega ao conteúdo diário do Jornal ADVFN as chamadas matérias Especiais, que trazem levantamentos e análises profundas sobre empresas, ações, setores, dinâmicas de mercado, além de grandes novidades e curiosidades do universo das finanças e dos investimentos. Um conteúdo riquíssimo e feito por quem está inserido no mercado diariamente. Além disso, os textos da Renata também viraram vídeo para nosso YouTube, com a seção “Biografia B3”, que trata de várias empresas da nossa Bolsa de Valores, sendo apresentada pela queridíssima Tay Rodrigues. Acesse as matérias Especiais ADVFN clicando aqui e veja também as Biografias B3 aqui. 

Outro nome da Revista ADVFN que você também confere aqui é o do nosso querido Brasílio Andrade Neto (o Brasa), que rastreia o mercado em busca das grandes tendências de investimentos. Os textos dele viraram vídeos para a seção “Trends”, apresentados pela Tay Rodrigues também em nosso canal do YouTube. Clique aqui e confira o conteúdo. 

E nosso jornalista Aroldo Glomb Jr. também escreve grandes Especiais ADVFN, mas o coração dele está mesmo é no Podcast ADVFN semanal, programa que reúne todos esses feras que acabamos de apresentar, ao mesmo tempo, em uma sala de conversa, debatendo tudo o que há de mais importante para saber sobre o mercado. É como se o universo financeiro soasse como música para os ouvidos. Acesse para ouvir. 

E não se esqueça de que as últimas notícias do mercado e das empresas podem ser conferidas na hora em que elas acontecem na página do Jornal ADVFN.

ADVFN: sempre o melhor conteúdo para o melhor momento de falar de investimento: todo o tempo.

Deixe um comentário