Copel irá vender sua participação de 51% na Compagas

LinkedIn

A Copel comunica que recebeu da Petrobras e Gaspetro, carta referente a oportunidade de exercício do direito de preferência na aquisição da totalidade das ações de emissão da Compagas de titularidade da Gaspetro.

O comunicado foi feito pela companhia (BOV:CPLE6) nesta segunda-feira (02). Confira o documento na íntegra.

A Compagas é a concessionária responsável pela distribuição de gás natural canalizado no Estado do Paraná, tendo como acionistas a Copel, com 51% das ações, a Gaspetro, com 24,5%, e a Mitsui, com 24,5%.

Nesse contexto, a oportunidade de exercer o direito de preferência decorre da celebração do contrato de compra e venda de ações, firmado entre a Petrobras, na qualidade de vendedora, e Compass, na qualidade de compradora, por meio do qual a Petrobras, se comprometeu a alienar 51% do capital da Gaspetro à Compass.

A Copel avaliará a oportunidade dentro do prazo estabelecido de 30 dias para manifestação, considerando, entre outros, a precificação do ativo, e seu objetivo estratégico de manter o foco no seu core business, o que pode envolver o desinvestimento na Compagas

A Companhia também informa que encontra-se em aberto a Consulta Pública para colher contribuições para o aperfeiçoamento do Plano Estadual do Gás e da proposta de prorrogação da concessão dos serviços de distribuição de gás canalizado no Estado do Paraná.

A Copel pretende divulgar os resultados do 2T21 no dia 11 de agosto.

Copel (CPLE6): lucro líquido de R$ 795,2 milhões no primeiro trimestre, alta de 55,6%

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) reportou lucro líquido atribuível aos sócios da companhia de R$ 785,8 milhões no primeiro trimestre, um aumento de 53,2% ante os R$ 512,3 milhões em igual período do ano passado. O lucro consolidado chegou a R$ 795,2 milhões, alta de 55,6% no mesmo período de comparação.

O crescimento, segundo a empresa, reflete a maior receita operacional líquida, a equivalência patrimonial e o acréscimo do resultado financeiro.

Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – ficou em R$ 1,3 bilhão, alta de 18,8% sobre janeiro a março de 2020. Já a receita operacional líquida acumulada até março de 2021 somou R$ 4,985 bilhões, alta de 22,6% sobre o mesmo período do ano passado.

receita líquida avançou 22,6%, para R$ 4,98 bilhões, no comparativo anual —, a equivalência patrimonial e o acréscimo do resultado financeiro, compensado pelo aumento nos custos e despesas operacionais, decorrente, principalmente, dos custos relativos à alta do dólar, que afetou a compra de energia de Itaipu, e do despacho térmico fora da ordem de mérito que elevou os encargos do sistema.

Deixe um comentário