Petróleo fecham a sexta sessão em queda por variante Delta e dólar

LinkedIn

Os preços dos contratos futuros de petróleo terminaram a sexta sessão seguida com perdas, atingindo o menor nível desde maio, pressionados por temores de que da variante Delta do coronavírus limite a demanda. A ata de ontem do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) também influenciou nas perdas.

A disparada de casos de covid-19 em países como China e Japão, que na segunda-feira adotou novas medidas restritivas para conter a disseminação do novo coronavírus, tem alimentado preocupações de que a demanda global por combustíveis deve perder força. Sinais de desaceleração da economia norte-americana também contribuem para esse quadro.

“As preocupações com a demanda pelo surto de covid-19 estão ofuscando os números sólidos da demanda nos Estados Unidos, embora haja sinais de que a temporada do verão já passou do pico”, disse o analista sênior de mercado do The Price Futures Group, Phil Flynn.

Além disso, a ata da reunião de política de 27 a 28 de julho do Federal Reserve deixou os investidores alarmados. Primeiro porque o documento mostrou que as autoridades veem a disseminação da variante Delta como um possível atraso à reabertura total da economia, o que poderia restringir o mercado de trabalho. Segundo porque a ata sinalizou com a retirada de estímulos ainda este ano, o que fez o dólar disparar hoje.

A valorização do dólar torna commodities denominadas na moeda norte-americana menos atrativas para detentores de outras divisas.

“Os preços do petróleo foram atingidos pelo modo de aversão ao risco, pois o Fed sugeriu que a redução gradual das compras de ativos pode ocorrer este ano. Além disso, as preocupações contínuas com a covid-19 pesaram”, acrescentou Flynn.

Com isso, o preço do contrato do petróleo WTI negociado na Nymex com entrega para setembro caiu 2,70%, cotado a US$ 63,69 o barril. Já o preço do contrato do Brent negociado na plataforma ICE, com entrega para outubro recuou 2,61%, cotado a US$ 66,45 o barril.

(Com informações do Tc e CMA)

Deixe um comentário