Bom dia ADVFN - Dados de empregos e inflação no Brasil e Fórum de Bancos Centrais no radar

LinkedIn

Esse é o Bom dia, Investidor!  29 de Setembro de 2021, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!

Bolsas mundiais: Os futuros em Nova York apontam para dia de recuperação enquanto os mercados asiáticos fecham em queda.

Na Ásia, as bolsas fecharam em sua maioria quedas, após as fortes perdas nos Estados Unidos. No Japão, o Nikkei recuou 2,12%; na Coreia do Sul, o Kospi perdeu 1,22%; na China continental, o Shanghai composto perdeu 1,83%. E em Hong Kong, o índice Hang Seng avançou 0,67%, com destaque positivo das ações do China Evergrande Group, que avançaram 14,98% após a incorporadora anunciar que venderá uma participação de US$ 1,5 bilhão no Banco Shengjing a uma empresa estatal de gestão de ativos. O indicador de ações asiáticas da MSCI teve a maior queda em quase seis semanas – se encaminhando para sua primeira queda trimestral em seis semanas com o agravamento da crise da dívida do China Evergrande Group.

Na Europa, os índices operam em alta. O índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, avança 0,8%, com desempenho positivo do setor automobilístico, que tem alta de 1,2%. Todos os principais setores operam em território positivo. A atenção das bolsas europeias deve se concentrar sobre o Fórum de Bancos Centrais realizado pelo Banco Central Europeu nesta quarta. Devem falar o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell; a presidente do BCE Christine Lagarde; o governador do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda; e o governador do Banco da Inglaterra, Andrew Bailey. Também devem ser divulgados dados sobre o sentimento econômico na União Europeia.

Nos Estados Unidosos índices operam em alta no momento. Na terça, o Nasdaq registrou seu pior dia desde março, após uma alta no rendimento de títulos do Tesouro americano com vencimento em dez anos a 1,567% prejudicar o desempenho do mercado de ações. Foi a décima queda do Nasdaq entre as últimas 15 sessões. O Nasdaq recuou 2,83%; o S&P perdeu 2,04%; e o Dow Jones perdeu 1,63%. Ações do setor de tecnologia, lideraram as perdas. Facebook, Microsoft e Alphabet perderam mais de 3%, e a Amazon perdeu mais de 2%. O rendimento de títulos do Tesouro se movem inversamente aos preços, e ações de forte crescimento, como as do setor de tecnologia tendem a ser prejudicadas com a alta do rendimento dos títulos porque reduzem o valor relativo dos rendimentos futuros. Outro ponto que vem pesando no mercado acionário é o debate sobre o teto da dívida em Washington, assim como preocupações com cadeias de suprimento e alta dos preços ao consumidor. Durante uma audiência no Senado, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, e a secretária do Tesouro, Janet Yellen, alertaram que um calote dos EUA devido a uma falha em aumentar o teto da dívida teria consequências catastróficas. Os republicanos bloquearam uma ação democrata no Senado para aumentar o limite da dívida. Comentários acalorados da senadora Elizabeth Warren também pesaram nos mercados. Depois de criticar o trabalho de Jerome Powell frente ao FED, Warren disse que ele é um “homem perigoso para chefiar o Fed” e é por isso que ela se opõe a sua renomeação.

==> Acompanhe os mercados mundiais pela ADVFN (aqui)

Os futuros internacionais de petróleo WTI estão sendo negociados a US$ 74,69, com baixa de 0,80%. O Brent opera em baixa de 0,70%, negociado a US$ 77,78.

Bitcoin (COIN:BTCUSD) é negociado a US$  42.166,26 (+0,43%). O ouro  é negociado a US$ 1.745,15 por onça-troy (+0,43%).

⇒ Bitcoin – Acompanhe o Mundo Cripto na ADVFN

Minério de ferro: O minério de ferro negociado na Bolsa de Dalian registra alta de 2,13%, a 694 iuanes, ou US$ 107,32

Coronavírus

O mundo registra 232.861.440 de casos de coronavírus e 4.767.341 mortes, confirmadas pela Universidade Johns Hopkins.

Painel Vacinas Covid-19 Brasil:  Doses Distribuídas pela União: 284.552.109. Doses aplicadas: 223.750.346.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) autuou a Prevent Senior por não informar aos pacientes que eles estavam recebendo os medicamentos do “kit Covid”.

Brasil

O Ministério da Saúde anunciou, ontem (28/9), a terceira dose da vacina contra a covid-19 para maiores de 60 anos. Até então, a pasta havia confirmado apenas a dose de reforço para imunossuprimidos, profissionais de saúde e pessoas com 70 anos ou mais. O anúncio foi feito durante evento em comemoração aos mil dias do governo Jair Bolsonaro, em João Pessoa (PB). A medida foi divulgada pelo secretário executivo Rodrigo Cruz, ministro interino da Saúde, enquanto o chefe da pasta, Marcelo Queiroga, permanece em isolamento nos Estados Unidos após ter recebido diagnóstico positivo para covid-19.

Poderes

A Petrobras está novamente na berlinda. Nesta quarta-feira (29/9), os líderes partidários na Câmara dos Deputados, convocados pelo presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), discutirão medidas alternativas para reduzir o preço dos combustíveis. Ontem, Lira utilizou as redes sociais para criticar a política de reajustes da estatal, baseada na paridade dos preços internos com a cotação internacional do barril do petróleo. “O fato é que o Brasil não pode tolerar gasolina a quase R$ 7 e o gás a R$ 120”, afirmou o presidente da Câmara, por meio do Twitter. “O diretor da Petrobras Cláudio Mastella diz que estuda com ‘carinho’ um aumento de preços diante desse cenário. Tenho certeza que ele é bem pago para buscar outras soluções que não o simples repasse frequente”, completou Lira.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia ouvirá, nesta quarta-feira (29), o empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan.

Economia

Bolsas financeiras do mundo todo caem com o aumento dos sinais de que a crise de energia não é pontual e está atingindo países em um movimento global, embora aconteça por razões diferentes: a crise energética brasileira ocorre em decorrência de outra crise, a hídrica. Classificada como a pior em mais de 90 anos, a falta de chuvas, ligada às mudanças climáticas, levou os reservatórios de usinas hidrelétricas a níveis muito baixos. Enquanto isso, com a perspectiva de petróleo em alta, o mercado se dá conta de que a inflação global pode não ser transitória, como bancos centrais vêm afirmando. Ontem, o petróleo do tipo Brent, referência global, ultrapassou os US$ 80, atingindo o maior valor em três anos. A consequência desse cenário é uma perspectiva de aumento de juros antes do esperado, o que reduz a atratividade das bolsas em relação aos títulos de renda fixa, com efeitos principalmente para ações de tecnologia.

Agenda Econômica

– FGV: IGP-M de setembro projeta deflação de 0,43% (mediana), na margem (8h)
– BC: Setor público consolidado deve ter déficit de R$ 10,6 bilhões em agosto (9h30)
– Caged projeta criação líquida de 330.000 postos de trabalho em agosto (10h)
– CPI da Covid: o empresário Luciano Hang presta depoimento (10h)
– EUA: Presidente do Fed da Filadélfia, Patrick Harker, participa de evento virtual da Risk Management Association (10h)
– EUA/NAR: Vendas pendentes de imóveis em agosto (11h)
– EUA/DoE: Estoques de petróleo da semana até 24/09 (11h30)
– EUA: Presidente do Fed de San Francisco, Mary Daly, participa de evento na Universidade da Califórnia em Los Angeles (14h)
– BC: Fluxo cambial semanal (14h30)
– China/NBS: PMI industrial de setembro e PMI de serviços (22h)
– China/IHS Markit/Caixin: PMI industrial de setembro (22h45

Ibovespa e dólar no último pregão:

Ibovespa:  

Referência do mercado brasileiro, o índice encerrou em queda de 3,05%, a 110.123 pontos com volume financeiro negociado de R$ 36,134 bilhões. Foi a maior baixa do índice em um único dia desde 8 de setembro, quando o benchmark despencou 3,78% na esteira dos atos pró-governo do dia 7. Também foi o segundo pior patamar de fechamento do Ibovespa no ano, atrás apenas do dia 20 de setembro, quando a Bolsa encerrou a sessão cotada a 108.844 pontos.

Maiores altas do Ibovespa

BEEF3 +1.75% R$ 10,48
BRFS3 +0.99% R$ 26,54
TAEE11 +0.14% R$ 36,73

Maiores baixas do Ibovespa

IDI11 -11.82% R$ 51,77
BIDI4 -11.70% R$ 17,29
CASH3 -8.65% R$ 6,02
CSNA3 -7.64% R$ 27,68
USIM5 -7.40% R$ 14,77

Dólar    

dólar comercial: encerrou o dia em alta cotado a 0,85% a R$ 5,424 na compra e a R$ 5,424 na venda. Já o dólar futuro com vencimento em outubro registra ganhos de 0,66% a R$ 5,432 no after-market.

Juros

O DI para janeiro de 2022 subiu três pontos-base a 7,18%, DI para janeiro de 2023 teve alta de nove pontos-base a 9,17%, DI para janeiro de 2025 avançou 12 pontos-base a 10,29% e DI para janeiro de 2027 registrou variação positiva de 10 pontos-base a 10,68%.

Ifix   

O índice fechou a sessão em queda de 0,42%, aos 2.700,32 pontos. A mínima para o dia bateu em 2.698,98 pontos, enquanto a máxima foi de 2.716,19 pontos. No acumulado para setembro, o índice concentra uma queda de 1,8%. Já no ano, recua 6,47%. A movimentação financeira foi de R$ 210,27 milhões.

Fonte: CNN, CNBC, Infomoney, TC, G1, Agência Brasil e BDM, correio braziliense, estadão.

Deixe um comentário