Hashdex anuncia patrocínio ao atleta Gabriel Benetton, promessa do kitesurf brasileiro

LinkedIn

A Hashdex, uma das prinpais gestoras do mercado de criptoativos, anuncia o patrocínio de Gabriel Benetton. Com apenas 17 anos, o atleta é uma das mais recentes e maiores promessas do kitesurf brasileiro. A iniciativa da gestora integra uma série de ações ESG, que buscam a construção de um mundo melhor e mais sustentável para o futuro.

“Acreditamos no enorme talento do Gabriel e vamos dar todo apoio e suporte para que possa alcançar todos os seus objetivos em sua trajetória esportiva”, comenta Roberta Antunes, Chief of Growth da Hashdex. “Somos uma empresa que possui um DNA inovador e disruptivo. Por isso, patrocinar um atleta de kitesurf faz todo o sentido”, diz.

Gabriel iniciou na vida esportiva com apenas 7 anos, no wakeboard. Desde então, foi campeão mundial júnior da modalidade em 2014. E, ainda, conquistou o título brasileiro em 2015. Nos últimos anos decidiu se dedicar ao kitesurf. Recentemente tornou-se campeão cearense (única competição estadual realizada no Brasil no último ano devido a pandemia da covid-19).

Atualmente, o atleta se prepara para os campeonatos brasileiro e mundial de kitesurf em 2022.

“Treino bastante e estou muito confiante para obter bons resultados nas competições. Atualmente estou entre os três melhores do país”, comenta Gabriel Benetton. “Fico muito contente pela Hashdex ter acreditado no meu talento e potencial como atleta e, ainda, por ajudar a fomentar minha modalidade no Brasil”, diz.

“Somos uma empresa de cripto, e nossa tese se baseia em pensar o investimento para o longo prazo. Com o patrocínio do Gabriel não é diferente. Acreditamos e incentivamos hoje, um talento que vai brilhar muito nos próximos anos” comenta Antunes.

Ethereum

Recentemente, em evento online da XP investimentos, Samir Kerbage, diretor de tecnologia (CTO) da Hashdex, disse que o Ethereum (ETH) é a grande sensação atualmente entre as blockchains e tem um cronograma interessante que busca conferir escalabilidade e criar o que se conhece por ‘Ethereum 2.0’.

A Hashdex, que tem ganhado destaque em todo o mundo, é especializada em fundos de criptomoedas e listou o primeiro ETF do tipo na B3, chamado de HASH11.

O Ethereum teria vantagem na disputa por já ser a plataforma onde estão programadas a maior parte dos protocolos de finanças descentralizadas (DeFi).

Segundo Kerbage, essa corrida pela nova internet “é um dos desenvolvimentos mais interessantes que tem acontecido na tecnologia dos criptoativos”.

“Quanto maior a demanda por serviços descentralizados baseados em cripto, maior será o preço do ethereum. O potencial dessa indústria é medido em centenas de trilhões de dólares. O vencedor tende a capturar boa parte da apreciação desse mercado.”, afirmou.

Por Cassio Gusson

Deixe um comentário