Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq subiram acentuadamente na terça-feira

LinkedIn

Os principais índices dos Estados Unidos se recuperaram na terça-feira (05) após uma queda no mercado de tecnologia na sessão anterior.

O Dow Jones subiu 311,75 pontos, ou 0,92%, para 34.314,67. O S&P 500 subiu 1,05% para 4.345,72 e o Nasdaq Composite subiu 1,25% para 14.433,83. Todas os três benchmarks de ações ainda estão em baixa durante a semana contando com o fechamento de terça-feira, mas o Dow Jones por pouco recuperou quase todas as perdas de segunda-feira.

Os nomes da tecnologia Mega-cap estavam solidamente no verde na terça-feira. A Netflix subiu 5,1%, a Amazon subiu 1% e a Apple e a Alphabet avançaram 1,4% e 1,8%, respectivamente. As ações do Facebook subiram 2,1% após uma queda de 5% na segunda-feira devido a denúncias no The Wall Street Journal contra a empresa e uma interrupção global nos serviços.

As ações de energia subiram novamente, à medida que os preços do petróleo continuaram a escalada. Os preços do petróleo nos EUA chegaram a US$ 79 por barril na terça-feira. A Chevron avançou 1,1% e a Enphase Energy subiu 1,6%.

As ações vinculadas à recuperação econômica, como empresas de cruzeiros, companhias aéreas, varejistas e bancos, também cresceram junto com o mercado mais amplo. Norwegian Cruise Line subiu 1,1%, Goldman Sachs subiu 3,1%, Wells Fargo adicionou 2%.

Embora o mercado tenha se dividido recentemente entre ações alavancadas para o retorno econômico e Big Tech, ambas tiveram ganhos na terça-feira. Apenas quatro setores do Dow Jones fecharam o pregão negativos.

Ajudando o sentimento em torno da recuperação, o PMI de serviços do Instituto de Gerenciamento de Fornecimento de setembro subiu para 61,9 de 61,7 em agosto, 2 pontos melhor do que o esperado.

Na segunda-feira, o Nasdaq Composite despencou 2,1% pelo sexto dia negativo em sete, com o declínio dos pesos pesados ​​da tecnologia. O Dow Jones perdeu mais de 300 pontos, enquanto o S&P 500 caiu 1,3%, puxado por ações de tecnologia.

A tecnologia tem sido o setor de pior desempenho no mês passado, já que um salto nos rendimentos fez com que os investidores abandonassem as ações altamente valorizadas, uma vez que o aumento das taxas pode fazer com que seus lucros futuros pareçam menos atraentes. Os rendimentos estão aumentando à medida que o Federal Reserve sinalizou em setembro que começaria a reduzir sua compra mensal de títulos em breve. O rendimento do Tesouro dos EUA em 10 anos estava em torno de 1,53% na terça-feira, depois de atingir uma alta de 1,56% na semana passada.

O mercado sofreu um mês de setembro tumultuado, à medida que os temores de inflação, a desaceleração do crescimento e o aumento das taxas mantiveram os investidores nervosos. O  S&P 500 caiu 4,8% no mês passado, registrando seu pior mês desde março de 2020 e quebrando uma sequência de altas de sete meses. O benchmark de ações está agora 5,4% abaixo de seu recorde histórico atingido no início de setembro, mas ainda ganhou 14,5% no ano até a data.

Em Washington, os legisladores ainda estão tentando concordar em aumentar ou suspender o limite de endividamento dos Estados Unidos e evitar um perigoso calote pela primeira vez na dívida nacional. O Departamento do Tesouro alertou na semana passada que os legisladores devem  resolver o teto da dívida antes de 18 de outubro, quando as autoridades estimam que os EUA vão esgotar os esforços de emergência para honrar seus pagamentos de títulos.

Ainda assim, alguns acreditam que as perspectivas para as ações permanecem robustas após setembro, à medida que a economia continua a se recuperar da crise de Covid-19.

Os investidores estão se preparando para o relatório de empregos, que será divulgado na sexta-feira.

Deixe um comentário