FUTURO VERDE: COMO FICA O SETOR DE SIDERURGIA?

LinkedIn

Especialistas e estudos mostram que investir em ferro e aço é um bom negócio nos próximos cinco anos. A partir daí…

Por Brasa

A notícia veio da Associação de Comércio Exterior do Brasil: temos um novo rei nos portos. As receitas com exportações de minério de ferro do Brasil deverão crescer cerca de 60% em 2021 em relação a 2020, fazendo com que o minério desbanque a soja pela primeira vez em seis anos. Estima-se que o ferro traga para os cofres brasileiros 41,25 bilhões de dólares neste ano.

As boas notícias para o setor devem continuar até mais ou menos 2025. A partir daí…

Vamos explicar aos poucos.

Devido à pandemia, a 26ª. Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26) foi adiada de 2020 para novembro de 2021, então ninguém esperava ou tinha cabeça para declarações sobre ecologia ano passado. Foi aí que a China surpreendeu o mundo, quando seu presidente Xi Jinping afirmou: “A China atingirá o máximo de emissões de carbono antes de 2030 e será um país neutro em poluição em 2060”. Fale o que quiser do ursinho Po – quer dizer, do senhor Jinping –, mas sob sua direção a China joga um xadrez geopolítico de primeira. Com essa declaração, conseguiu carta branca para produzir à vontade por uns cinco anos, além de afastar a imagem de país inimigo do meio ambiente. Aqui, a boa vontade verde da China se bifurca. São dois caminhos que afetam o Brasil.

PRIMEIRO CAMINHO – Uma das primeiras ações já começou: continue lendo aqui… 

Deixe um comentário