Vibra celebra contrato para adquirir até 50% do capital social da Comerc Participações

LinkedIn

A Vibra celebrou contratos que lhe possibilitam adquirir até 50% do capital social da Comerc Participações.

O comunicado foi feito pela companhia (BOV:BRDT3) na sexta-feira (08).

A operação foi aprovada pelo seu conselho de administração e não dependerá da apreciação da Assembleia Geral, afirmou a Vibra.

A Comerc é uma sociedade holding de empresas que atuam na comercialização, gestão de energia para consumidores livres, geradores e pequenas distribuidoras, soluções de eficiência energética, baterias e plataformas de informação e tecnologia, sendo uma das principais comercializadoras de energia do Brasil.

Segundo fato relevante enviado ao mercado pela Vibra, com a celebração dos contratos da operação, a Comerc não mais realizará sua oferta pública de distribuição primária de ações (IPO). “O negócio representa mais um passo no reposicionamento da Vibra para se tornar uma empresa de energia, privilegiando a transição energética e rumo a uma economia de baixo carbono”, destaca a distribuidora.

A Vibra salientou também que a associação com a Comerc está alinhada ao seu planejamento estratégico, já que permite agregar competências complementares em uma plataforma integrada de energia, preparada para fornecer soluções para clientes finais com potencial e capacidade financeira para ser uma das mais relevantes empresas de energia do Brasil.

A Comerc, tradicional comercializadora de energia, possui atualmente um portfólio de produtos e serviços que alcança um volume de energia comercializada de aproximadamente 2 GW médios com mais de 3,4 mil unidades consumidoras sob gestão.

Com sua reorganização a companhia passa a ser detentora de parques de geração solar cuja capacidade instalada ascende a 1.839 MWp, sendo 242 MWp em operação e o restante em implantação ou em desenvolvimento.

“Nos próximos anos, a Comerc será uma das principais investidoras em geração solar no país, seja por meio de usinas para atendimento ao mercado livre ou para geração distribuída”, destaca o fato relevante.

A operação

A operação se dará por meio de um aporte primário e uma aquisição secundária.

Conforme os instrumentos da Operação celebrados nesta data, a Vibra subscreveu debêntures conversíveis em ações ordinárias de emissão da Comerc, representativas de 30% do seu capital social, comprometendo-se a transferir à Comerc, por meio da integralização das debêntures, o valor de R$ 2 bilhões; e assegurou opção para adquirir (parcela secundária), de sócios da Comerc, até 20% de ações ordinárias por um preço de R$1,25 bilhão.

“A depender do atingimento de determinadas métricas de desempenho de longo prazo e da implantação de capacidades adicionais às previstas em seu plano de negócios, os sócios poderão fazer jus, futuramente, a uma parcela complementar a título de earnout”, explicou a Vibra.

A conclusão da operação está sujeita à verificação de determinadas condições precedentes, incluindo a obtenção da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

VISÃO DO MERCADO

Citi 

O Citi afirmou que com a compra de 50% da Comerc a Vibra (ex-BR Distribuidora) dá um passo à frente em sua nova estratégia de focar em energia como um todo, não apenas na distribuição de combustíveis.

Segundo o relatório: “O negócio tem sinergias interessantes com os negócios da empresa e da Targus (comercialização de energia). Acreditamos que a empresa provavelmente precisará de fundos adicionais para pagar a parcela secundária do negócio, uma vez que os recursos da parte primária e secundária poderiam ser levantados por meio de dívida”.

A aquisição atingiu R$ 4,5 bilhões, sem considerar o valor da cláusula que remunera o vendedor de acordo com metas atingidas, acima da faixa inferior da oferta pública de ações da empresa, R$ 4,1 bilhões.

A Vibra irá emitir R$ 2 bilhões em debêntures conversíveis em 30% das ações ordinárias da Comerc, que representam a parte primária. Além disso, a Vibra terá a opção de adquirir outros 20% das ações ordinárias da Comerc por R$ 1,25 bilhão, o que representa a parte secundária do negócio e pode ocorrer concomitantemente com a conversão das debêntures. Finalmente, dependendo de alcançar métricas de desempenho, os parceiros da Comerc podem ter direito a uma compensação adicional como um ganho.

“Após a aquisição da Comerc, a última etapa a se alcançar na nova estratégia da empresa de se tornar um fornecedor de energia completo é o negócio de gás natural, o que acreditamos que possa acontecer no curto prazo. No entanto, ainda dependeria de uma visão mais clara do regulamento de comercialização de gás”, diz.

Goldman Sachs 

O Goldman Sachs comentou que a compra de 50% da Comerc pela Vibra Energia (ex-BR Distribuidora), anunciada na sexta-feira à noite, é positiva e está em linha com o plano estratégico da empresa de diversificar suas operações por meio da geração de receitas a partir de novos negócios, como a comercialização de energia elétrica e gás natural.

Goldman Sachs tem recomendação de compra com preço-alvo de R$ 32,00…

Informações FinanceNews

Deixe um comentário