Iguatemi homologa reestruturação societária; units começam a ser negociadas em 22/11

LinkedIn

A Iguatemi informou a homologação de sua reestruturação societária, unificando, assim, a Jereissati Participações com a Iguatemi empresa de Shopping Centers (IESC).

As units da nova empresa passam a ser negociadas na próxima segunda-feira (22/11), sob o código #IGTI11.

A empresa informou também que que acionistas titulares de 692 ações ordinárias da IESC (antigo Iguatemi) exerceram direito de retirada, totalizando um valor de reembolso de R$ 12.331,44, além de 1.670 ações ordinárias da antiga Jereissati Participações, totalizando um valor de reembolso de R$ 30.711,30.

O valor do reembolso pelas ações corresponde a R$ 17,82 por ação ordinária da IESC e R$ 18,39 por ação ordinária da Jereissati.

Iguatemi (IGTA3): prejuízo líquido de R$ 58,7 milhões no 3T21

A empresa de shoppings Iguatemi registrou prejuízo líquido de R$ 58,7 milhões no terceiro trimestre deste ano, revertendo o lucro de R$ 61,7 milhões registrado no mesmo período de 2020.

Na explicação do resultado líquido a empresa destaca a linha do resultado financeiro, que apresentou perdas de R$ 211,533 milhões, cifra 913% acima da reportada um ano antes, que foi negativa em R$ 20,869 milhões.

“Grande parte do resultado negativo é devida à marcação a mercado das ações da Infracommerce”, escreveu, ressaltando que essas ações tiveram desvalorização de 28,5%, gerando resultado negativo de R$ 143,0 milhões no financeiro.

“Se excluirmos o efeito da Infracommerce, o resultado financeiro seria de R$ 75,2 milhões negativos”, acrescentou. No mais, as despesas financeiras aumentaram em 43,1%, por conta do maior nível de endividamento bruto da companhia e aumento da SELIC, se comparado ao mesmo período de 2019.

A empresa acrescentou que sem o efeito da variação do preço da ação da Infracommerce o resultado teria sido de um lucro líquido de R$ 32 milhões no 3º trimestre, 48% abaixo do lucro do mesmo período do ano passado.

receita líquida avançou 16,6% no comparativo trimestral, para R$ 209,6 milhões. A companhia destaca que o último trimestre foi marcado “pelo forte avanço do processo de vacinação” do país e pela “queda expressiva” nos indicadores da pandemia em todo o país. Pela primeira vez, o Iguatemi passou a operar com 100% da capacidade de utilização.

As vendas totais nos shoppings da Iguatemi foram de R$ 3,3 bilhões no terceiro trimestre de 2021, crescimento de 82,7% em relação ao mesmo período de 2020 – quando boa parte dos empreendimentos estavam fechados.

Informações BDM

Deixe um comentário