Destaques de Wall Street de quarta-feira (29/12): Alibaba, BioNTech, Akamai Technologies e outros

LinkedIn

Esse é o Destaque Wall Street do dia 29 de dezembro de 2021, com tudo o que você precisa saber sobre as empresas negociadas nas bolsas americanas!

Principais assuntos do dia

Para começar o dia bem informado, leia o nosso Bom dia ADVFN – Dados de inflação (IGP-M), resultados fiscais no Brasil e estoques de petróleo nos EUA na agenda

Os futuros das ações dos EUA ficaram praticamente estáveis na manhã de quarta-feira, após uma sessão mista, com os investidores continuando a avaliar a ameaça da variante Ômicron da Covid-19.

Os futuros vinculados ao Dow Jones ficaram praticamente inalterados (-0,01%). Os futuros do S&P 500 ficaram ligeiramente mais altos (0,02%) e os do Nasdaq 100 avançaram 0,08%.

Os EUA confirmaram mais de 4,1 milhões de casos de Covid-19 este mês, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins. Isso é bem acima da contagem de novembro de 2,54 milhões. A média de casos de sete dias do país também é de 231.888 casos, mais que o triplo da média de 27 de novembro.

No entanto, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças reduziram esta semana sua recomendação de isolamento para pessoas com teste positivo de 10 dias para cinco, se não apresentarem sintomas. Pesquisas na África do Sul também sugerem que as infecções por Ômicron podem aumentar a imunidade contra a variante delta.

As ações estavam sob pressão no final de novembro, quando a notícia da variante Ômicron foi divulgada pela primeira vez. Desde então, eles se recuperaram, com o S&P 500 subindo 4,8% em dezembro.

No pré-mercado de quarta-feira, as ações da Tesla subiram 1,4% depois que relatórios financeiros publicados na terça-feira mostraram que o CEO Elon Musk vendeu outras 934.090 ações, ou cerca de US$ 1,02 bilhão em suas participações, na empresa de veículos elétricos.

Durante o pregão normal de terça-feira, o Dow Jones atingiu seu quinto dia consecutivo de ganhos, subindo mais de 90 pontos. O S&P 500 alcançou um recorde intradiário antes de fechar em baixa no dia. O Nasdaq Composite ficou para trás, caindo 0,6%.

As movimentações de terça-feira ocorrem durante o período do chamado “Rali do Papai Noel”, que abrange os últimos cinco pregões de dezembro e os primeiros cinco de janeiro. Este é um período historicamente forte para o mercado, com o S&P 500 apresentando um retorno médio de 1,7% desde 1928.

Destaques corporativos de Wall Street para hoje

Tesla (TSLA, TSLA34) – A Tesla subiu 1,4% no pré-mercado, após a notícia de que o CEO Elon Musk concluiu o exercício de todas as suas opções de ações para o próximo ano. Isso sinaliza o fim das recentes vendas de ações por Musk para cobrir as contas fiscais geradas pelo exercício dessas opções.

Alibaba (BABA, BABA34) – A gigante do comércio eletrônico com base na China está considerando a venda de sua participação de 30% na empresa de publicidade em mídia social Weibo (WB, W1BO34) para a estatal Shanghai Media Group, de acordo com um relatório da Bloomberg. O Alibaba caiu 1% no pré-mercado, enquanto o Weibo caiu 0,3%.

Akamai Technologies (AKAM, A1KA34) – A Akamai subiu 1,2% no pré-mercado depois que DA Davidson classificou a empresa de entrega de conteúdo da internet como uma “compra” em nova cobertura. A empresa estabeleceu um preço-alvo de US$ 143 por ação, em comparação com o fechamento de terça-feira de US$ 118,45.

BioNTech (BNTX, B1NT34) – As ações da farmacêutica caíram 3% no pré-mercado, potencialmente estendendo a seqüência de perdas das ações para 7 dias. BioNTech caiu 16% nas últimas 6 sessões. A fabricante rival de vacinas Moderna (MRNA, M1RN34) está em uma queda semelhante, caindo nas últimas seis sessões 18% nesse período. A Moderna caiu 1,6% no pré-mercado.

Didi Global (DIDI) – A Didi caiu 2,4% no pré-mercado depois que a Reuters relatou que a empresa chinesa vai usar o método de “listagem por introdução” para listar em Hong Kong, à medida que vai encerrar a lista em Nova York. Esse método não emitiria novas ações e não levantaria capital.

FuelCell Energy (FCEL) – A empresa de tecnologia de célula de combustível perdeu 7 centavos por ação no último trimestre, maior do que a perda de 4 centavos prevista pelos analistas. A receita também caiu abaixo das previsões dos analistas, e as ações despencaram 4,6% no pré-mercado.

Cal-Maine Foods (CALM) – O maior produtor de ovos dos Estados Unidos ganhou 2 centavos por ação no último trimestre, bem abaixo da estimativa de consenso de 30 centavos. As vendas foram melhores do que o esperado, mas o resultado final foi atingido por custos mais altos com embalagem e mão de obra. As ações da Cal-Maine caíram 7,1% no pré-mercado.

Victoria’s Secret (VSCO) – O varejista de roupas íntimas anunciou um programa de recompra acelerada de ações de US$ 250 milhões.

Deixe um comentário