Ouro fecha em alta, recupera parte das perdas recentes com estabilidade do dólar

LinkedIn

O contrato mais líquido do ouro fechou em alta nesta terça-feira, 4, recuperando partes das perdas após começar a semana com queda acima de 1,5%. A commodity havia sido pressionada por um avanço nos rendimentos dos Treasuries e do dólar ante rivais, ambos movimentos que ficaram perto da estabilidade hoje, abrindo espaço para a recuperação. A possibilidade de alta de juros pelo Federal Reserve (Fed) segue um dos grandes temas avaliados pelo mercado.

Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para fevereiro subiu 0,80%, a US$ 1.814,60 por onça-troy. O Commerzbank lembra que apesar de uma alta final, o ouro fechou o ano passado em queda de 3,6% – seu primeiro recuo de preço em uma base anual em três anos.

“Os preços mais altos do ouro são inconsistentes com os preços dos mercados globais com uma probabilidade de 70% de um aumento da taxa do Fed em março, o que impõe um teto aos preços” do metal, avalia o TD Securities. Os investidores continuam focados no banco central, mas a propagação do coronavírus ameaça a demanda e a oferta, o que pode afetar as perspectivas de crescimento dos EUA, sugerindo que o Fed pode querer permanecer cauteloso até que a onda da variante Ômicron diminua, pondera. Amanhã, a ata da última reunião do Fed será divulgada, e o payroll de dezembro nos EUA será publicado na sexta-feira.

Em outro tema, o Goldman Sachs afirma que o bitcoin deve ganhar mais fatia de mercado em relação ao ouro. O banco aponta que, segundo o Conselho Mundial do Ouro, o setor privado detém 44 mil toneladas de ouro para investimentos. No atual valor de mercado de US$ 1.800 a onça-troy, isso implica que o público detém cerca de US$ 2,6 trilhões para investimentos.

Em comparação, o valor de capitalização de mercado ajustada do bitcoin está atualmente em pouco menor que US$ 700 bilhões. Para a Goldman, a tendência é que a criptomoeda se valorize com o tempo, diante da adoção mais disseminada de moedas digitais e também com potenciais soluções de escala para o bitcoin.

Informações Estadão

Deixe um comentário