Intelbras (INTB3): lucro líquido de R$ 100,1 milhões no 4T21, queda de 51,6%

LinkedIn

A Intelbras registrou lucro líquido de R$ 100,1 milhões no quarto trimestre de 2021, queda de 51,6% em relação ao resultado do quarto trimestre de 2020.

A receita operacional líquida foi de R$906.785 mil no trimestre, representando um crescimento de 24,2% com relação ao mesmo período do ano anterior e 19,5% com relação ao trimestre anterior.

Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – atingiu o valor de R$ 115.951 mil, 30,3% superior ao trimestre anterior e 27,1% abaixo do apresentado no mesmo período do ano anterior, período no qual reconhecemos o ganho de causa da ação judicial da exclusão do ICMS como base de cálculo do PIS/COFINS.

Do ponto de vista do Capex de manutenção, a companhia realizou R$ 68,4 milhões que representam 2,2% da nossa receita operacional líquida, proporção bastante alinhada com nosso histórico de 2,5% ao longo dos últimos anos.

Os resultados da Intelbras (BOV:INTB3) referentes às suas operações do quarto trimestre de 2021 foram divulgados no dia 25/02/2022. Confira o Press release na íntegra!

VISÃO DO MERCADO

BTG Pactual

A Intelbras anunciou excelentes resultados ontem à noite, superando nossas estimativas otimistas em geral. A empresa cresceu 20% t/t e 24% a/a (+4,2% vs. BTGE). Apesar de uma margem bruta menor (28,4% no 4T21 vs. 29,6% no 3T21) devido a desafios logísticos, a Intelbras conseguiu manter o SG&A sob controle e a margem EBITDA cresceu 110bps t/t para 12,8%.

Enquanto isso, o EBITDA cresceu 30,3% t/t e superou nossa projeção em 12,2%. O lucro líquido foi de R$ 100 milhões (+13,4% t/t e 8% superior ao nosso).

Acreditamos que a demanda continua forte no segmento, e a empresa está bem posicionada para se beneficiar da demanda reprimida por produtos assim que a cadeia de suprimentos se normalizar.

A energia voltou a apresentar ótimo desempenho. Tínhamos uma expectativa otimista de que a receita cresceria mais de 40% t/t no segmento, mas na verdade cresceu quase 60%, atingindo R$ 217,5 milhões (24% do total das receitas).

Como a participação da energia solar no mix de segmentos está aumentando rapidamente, a margem bruta da divisão encolheu 120bps t/t para 19,5%.

A Intelbras está sendo negociada a 22x P/L 2022E e acaba de reportar um crescimento de receita de 45% a/a para 2021 (36% maior do que estávamos modelando um ano atrás). Acreditamos que esta é uma avaliação muito atraente para uma empresa que apresenta um crescimento consistente e um ROIC de 30-40%.

Além disso, a Intelbras anunciou sua maior aquisição até hoje (Renovigi), pagando um múltiplo que adiciona valor (8,7x EBITDA 2021E) e aumentando sua participação no segmento solar em expansão.

Acreditamos que a empresa poderá extrair rapidamente sinergias da Renovigi, ampliando as margens da empresa e surpreendendo os investidores novamente este ano.

BTG Pactual mantém recomendação de compra com preço-alvo de R$ 35,00…

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário