Moderna (M1RN34) registrou US$ 4,9 bilhões em lucro líquido no quarto trimestre

LinkedIn

A Moderna (NASDAQ:MRNA) disse na quinta-feira (24) que espera vender pelo menos US$ 19 bilhões de sua vacina contra a Covid-19 este ano, depois de divulgar os resultados do quarto trimestre que superaram os lucros e as estimativas de receita dos analistas.

A Moderna também é negociada na B3 através do ticker (BOV:M1RN34).

A previsão da empresa para vendas de vacinas em 2022 foi US$ 2 bilhões maior do que sua expectativa anterior. A Moderna disse anteriormente que esperava US$ 17 bilhões em vendas de vacinas este ano.

Veja como a empresa se saiu em comparação com o que Wall Street esperava, com base nas estimativas médias dos analistas compiladas pela Refinitiv:

  • Lucro por ação ajustado (EPS): US$ 11,29 contra US$ 9,90 esperados
  • Receita: US$ 7,2 bilhões contra US$ 6,78 bilhões esperados

A Moderna registrou US$ 4,9 bilhões em lucro líquido no quarto trimestre. A empresa vendeu US$ 17,7 bilhões de sua vacina contra a Covid em 2021, entregando 807 milhões de doses de vacina em todo o mundo. A receita da Moderna totalizou US$ 18,5 bilhões em 2021.

O CEO Stephane Bancel disse à CNBC na quinta-feira que o mundo pode estar saindo da fase de pandemia à medida que a onda ômicron diminui em todo o mundo. No entanto, Bancel disse que as pessoas precisarão de doses de reforço no outono, principalmente indivíduos com mais de 50 anos e aqueles com comorbidades.

“Acreditamos que há uma alta probabilidade de estarmos entrando em um ambiente endêmico”, disse Bancel. “Ainda devemos ser cautelosos porque, como vimos com o delta, que veio depois do alfa e era mais virulento, [é] sempre possível obter a variante mais virulenta, é claro”.

A vacina de Covid-19 da Moderna é o único tratamento comercialmente disponível da empresa. A vacina de duas doses, Spikevax, foi totalmente aprovada para adultos com 18 anos ou mais no último mês pela Food and Drug Administration e pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos.

A Moderna está realizando um ensaio clínico para uma injeção de reforço que visa especificamente a variante Ômicron. No entanto, não está claro se haverá uma forte demanda por um reforço da Ômicron, já que novas infecções da variante caem acentuadamente.

A FDA ainda não reduziu a idade de elegibilidade para a vacina da Moderna além dos adultos. A Moderna pediu à FDA no verão passado que autorizasse sua vacina para adolescentes de 12 a 17 anos. No entanto, o regulador de medicamentos está revisando dados sobre o risco de miocardite, uma inflamação cardíaca rara, após a vacinação com as injeções da Moderna.

A Moderna disse que não pedirá à FDA que expanda a elegibilidade para crianças de 6 a 11 anos até que o regulador de medicamentos autorize a injeção para adolescentes. A empresa espera divulgar dados de ensaios clínicos de sua vacina para crianças de 2 a 5 anos em março.

Os EUA administraram mais de 207 milhões de doses da vacina da Moderna desde que o FDA autorizou as vacinas em caráter de emergência em dezembro de 2020.

Segundo a Veja na terça-feira (22), a empresa anunciou que fechou um contrato para a distribuição de sua vacina contra a Covid-19 para 18 países da América Latina, entre eles o Brasil, Argentina, Colômbia e México. A parceria foi firmada com a farmacêutica Adium Pharma SA, que vai apoiar a comercialização do imunizante na região.

Com informações de CNBC e Veja

Deixe um comentário