Netflix encomenda documentário sobre lavagem de criptomoedas ligada ao hack da Bitfinex

LinkedIn

Na sexta-feira, o Netflix (BOV:NFLX34) anunciou que encomendou uma série documental sobre lavagem de criptomoedas ligada ao hack histórico da Bitfinex de 2016. A Netflix chegou a esse movimento depois que a aspirante a rapper Heather Morgan e seu marido Ilya Lichtenstein foram presos em Nova York na semana passada, alegado pelo Departamento de Justiça (DOJ) em lavagem de criptomoedas, movimentando bilhões de dólares em Bitcoins vinculados ao hack da Bitfinex.

Leitura relacionada: Governo dos EUA apreende US$ 3,6 bilhões em bitcoin vinculado a hack de 2016 da exchange Bitfinex

A corporação revelou que Chris Smith dirigiria a produção do documentário do casal de lavagem de criptomoedas, produtor de sucessos bizarros como “FYRE: The Best Occasion That By no mean Occurred” e produtor executivo de “Tiger King”. Além disso, Nick Bilton desempenhará seu papel como produtor executivo cujo portfólio inclui séries de documentários, incluindo “Pretend Well-known”, “American Kingpin: The Epic Hunt for the Prison Mastermind Behind the Silk Street” e “The Inventor: Out for Blood in Silicon Valley.”

A Netflix ainda não divulgou a data de lançamento do documentário.

A série documental seguirá os personagens do casal que supostamente lavou Bitcoins no valor de mais de US$ 5 bilhões, diz Netflix.

DOJ apreendeu 94.636 Bitcoins de esquema de lavagem de criptomoedas

Morgan, uma rapper de 31 anos também conhecida como RazzleKhan, foi uma ex-colaboradora da Forbes e se descreve como a “crocodilo de Wall Road”. Enquanto Lichentenstein, que possui cidadanias gêmeas da Rússia e dos EUA, foi cofundador da Mixrank e apoiou uma startup Y-Combinator.

O Departamento de Justiça dos EUA (DOJ) anunciou na terça-feira que Lichtenstein e Morgan foram presos por “suposta conspiração para lavar US$ 4,5 bilhões em criptomoedas roubadas” vinculadas ao hack da Bitfinex 2016. Em particular, a documentação do tribunal os apresentou envolvidos no processo de lavagem de criptomoedas que movimentou 119.754 Bitcoins de criptomoedas roubadas da exchange Bitfinex. Uma pessoa desconhecida transferiu Bitcoins roubados para uma carteira conectada a Lichentenstein e Morgan.

O DOJ recuperou 94.636 Bitcoins de criptomoeda roubada. O departamento chamou de a maior apreensão de criptomoedas da história, avaliada em mais de US$ 3,6 bilhões no momento da apreensão.

O valor dos BTCs roubados era de quase US$ 72 milhões na época do hack em 2016. E o valor atual do Bitcoin aumentou para mais de US$ 5 bilhões.

Os funcionários explicaram ainda que o casal, agora apelidado de ‘cripto Bonnie e Clyde’, confiou nas estratégias refinadas de lavagem de cripto para receber fundos na carteira criptográfica e ocultá-los online. Eles usaram aplicativos de laptops diferentes para automatizar transações e transferir fundos em diversas bolsas e mercados da darknet.

Os advogados acrescentaram que sacaram milhões de dólares por meio de caixas eletrônicos de Bitcoin e através da compra de NFTs e ouro, além de comprar itens do dia a dia, como cartões-presente do Walmart, usados ​​para despesas pessoais.

Com informações de Bitcoinist

Deixe um comentário