Indústria do ouro passam a utilizar blockchain para gerenciamento da cadeia de suprimentos e prevenção de fraudes

LinkedIn

Algumas das organizações mais proeminentes da indústria do ouro uniram forças para lançar um novo “programa de integridade” que utiliza a tecnologia blockchain para gerenciamento da cadeia de suprimentos – um movimento que visa ajudar os participantes do mercado a verificar a autenticidade de seus metais preciosos.

A London Bullion Market Association (LBMA) e o World Gold Council (WGC) anunciaram na segunda-feira (28) que estão colaborando para desenvolver um “sistema internacional de integridade de barras de ouro, cadeia de custódia e proveniência” baseado na tecnologia blockchain desenvolvida pelas empresas aXedras e Peer Ledger. O livro-razão será usado para registrar e rastrear barras de ouro em cada etapa do ciclo de produção e distribuição, incluindo mineração, abóbada e compra por fabricantes de joias.

O chamado Programa de Integridade da Barra de Ouro está sendo apoiado por organizações como CME Group, Metalor, Barrick Gold, Brinks, Royal Canadian Mint, Newcrest Mining, Hummingbird Resources, Argos Heraeus SA, Asahi, Aura Minerals (AURA33), Perth Mint e outras.

Inicialmente desenvolvido como piloto, o programa acabará sendo promovido para uso em toda a indústria do ouro, disseram o LBMA e o WGC.

O gerenciamento da cadeia de suprimentos é citado como um dos casos de uso mais promissores da tecnologia blockchain. Mais da metade das empresas adicionadas à lista Blockchain 50 da Forbes em 2021 eram empresas que usavam ativamente a tecnologia de contabilidade distribuída para resolver seus problemas de cadeia de suprimentos e logística. Em abril de 2021, a empresa de defesa americana Lockheed Martin (LMT, LMTB34) disse que estava usando a tecnologia blockchain para gerenciamento da cadeia de suprimentos na Suíça.

Questões como mineração ilegal, ouro lavado, barras de ouro falsas e abusos dos direitos humanos tornaram a indústria do ouro especialmente vulnerável à opacidade da cadeia de suprimentos. Em 2020, a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico divulgou um relatório que fornece orientações sobre como os produtores de ouro podem evitar contribuir para “graves abusos” no processo de mineração e produção.

Por Sam Bourgi

Deixe um comentário