JBS (JBSS3): lucro líquido de R$ 6,473 bilhões no 4T21, alta de 61%

LinkedIn

A JBS, companhia da família Batista, encerrou o quarto trimestre de 2021 com lucro líquido de R$ 6,473 bilhões, ou R$ 2,69 por ação, 61% maior do que o lucro de R$ 4,019 bilhões verificado em igual período de 2020.

Em todo 2021, o frigorífico registrou um lucro líquido de R$ 20,48 bilhões, alta de 54,5% na base anual e o maior para o período de um ano em sua história.

Em parte, o melhor resultado da JBS acompanha a alta da sua receita líquida. A receita líquida ficou em R$ 97,192 bilhões, aumento anual de 27,8%. Em 2021, a receita líquida também foi recorde, atingindo R$ 350,7 bilhões.

O frigorífico acrescenta que a melhora em seu desempenho se deve ao crescimento do faturamento em todas as unidades de negócio. A Seara viu sua receita líquida avançar 34,2%, para R$ 10,1 bilhões, e a JBS Brasil, em 5,1%, para R$ 14,07 bilhões.

Nos Estados Unidos, o braço de bovinos faturou 38,3% mais na base anual, chegando a R$ 41,8 bilhões, e o de suínos, 14,1%, indo a R$ 10,6 bilhões. A Pilgrims Pride Corporation viu sua receita líquida crescer 34%, para R$ 22,5 bilhões no quarto trimestre.

ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – foi de R$ 13,150 bilhões, alta de 86,9% ante o quarto trimestre de 2020, com margem de 13,5%. A margem Ebitda do período foi de 13,5%.

Segundo o frigorífico, o destaque do período ficou com a unidade JBS EUA Bovinos, que cresceu 180% no indicador, somando um lucro operacional de R$ 7,79 bilhões no 4T21.

No ano, o Ebitda ajustado da JBS bateu um novo recorde, indica os resultados do 4T21 da companhia. O lucro chegou a R$ 45,7 bilhões, refletindo um recorde na margem também, de 13%.

“A demanda de carne bovina maior que a oferta, tanto no mercado doméstico americano quanto no mercado internacional, sustentou os resultados do ano e do trimestre”, explica a companhia sobre a USA BEEF.

O resultado financeiro no quarto trimestre ficou negativo em R$ 1,2 bilhão, alta de 29,5% na comparação com os gastos de R$ 866,4 milhões do quarto trimestre de 2020. Em 2021, os gastos financeiros ficaram em R$ 3,9 bilhões, estáveis na comparação anual – mesmo com o endividamento líquido tendo crescido 39,6% na base anual.

O lucro bruto totalizou R$ 19,321 bilhões no 4T21, um aumento de 66,3 % em relação ao mesmo trimestre de 2020.

As despesas administrativas e gerais somaram R$ 4,467 bilhões no último trimestre do ano passado, cifra 34 superior ao registrado em igual etapa de 2020.

O fluxo de caixa das atividades operacionais foi de R$ 10,3 bilhões, um aumento de 50% em função principalmente da melhora da performance operacional. No ano, a geração operacional de caixa foi de R$25,2 bilhões, em linha com o ano de 2020.

A JBS informou também ter gerado R$ 10,3 bilhões em caixa nas atividades operacionais, crescimento de 50% na comparação com o quarto trimestre de 2020. O fluxo de caixa livre, por sua vez, foi de R$ 5,9 bilhões, 56,8% maior na mesma base comparativa. A empresa informou também que, no 4T21, o valor total das atividades de investimentos foi de R$ 5,5 bilhões. Já o Capex, no período, totalizou R$ 3,3 bilhões.

Por unidade de negócio, o maior crescimento no Ebitda ajustado foi da JBS USA Beef, com alta de 180%, seguido pela Pilgrim’s Pride, com avanço de 44%, e pela JBS USA Pork, que teve aumento de 39,4%. O Ebtida ajustado da JBS Brasil teve crescimento de 1,3%, enquanto o da Seara subiu 6,6% no período.

A marca brasileira Seara teve receita líquida 34,2% maior no trimestre ante igual período do ano anterior, para R$ 10,121 bilhões. A companhia atribui o resultado a um aumento de 15,1% no volume vendido e de 16,6% no preço médio de venda. As vendas no mercado interno, que responderam por 53% da receita da unidade, totalizaram R$ 5,3 bilhões, aumento de 30,7% ante igual período de 2020. Em 2021 a Seara registrou uma receita líquida de R$ 36,5 bilhões, aumento de 36,6% em relação a 2020.

“No segmento de congelados, a operação completou 30 meses consecutivos na liderança e alcançou 29,6% de market share valor, ampliando sua vantagem para 10,0 pontos porcentuais em relação à segunda colocada”, disse a JBS em comunicado enviado à imprensa. No mercado externo, a receita líquida da Seara foi de R$ 4,8 bilhões, um crescimento de 38,4% em relação ao quarto trimestre de 2020.

A JBS Brasil registrou de outubro a dezembro de 2021 uma receita 5,1% maior na comparação anual, de R$ 14,072 bilhões, apesar da redução de 3% no número de bovinos processados no período, reflexo do cenário de escassez de matéria prima e pela suspensão temporária das exportações brasileiras para China, que durou pouco mais de três meses.

Em 2021 a receita líquida da operação foi de R$ 53,8 bilhões, 29% superior que 2020 e o Ebitda ajustado foi de R$ 2,3 bilhões, queda de 24,8% com margem de 4,3%. No mercado doméstico, que representou 64% da receita dessa unidade, houve aumento de 13,3% na comparação anual, resultado do aumento nos preços no mesmo período, segundo a companhia.

Já o mercado externo das operações da JBS registrou uma receita líquida de R$ 5,1 bilhões, queda de 6,9% em relação ao mesmo período do ano anterior. O principal impacto no trimestre foi a ausência da China nas compras da proteína brasileira.

A dívida líquida da companhia somou R$ 69,279 bilhões, 49,9% superior ao reportado em igual trimestre de 2020, de R$ 46,277 bilhões. Em dólares, a dívida líquida aumentou de US$ 8,895 bilhões para US$ 12,414 bilhões. Já a alavancagem, medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda, ficou em 1,52 vez em reais e 1,46 vez em dólares no quarto trimestre, contra 1,56 vez e 1,58 vez, respectivamente.

⇒ Acumulado de 2021

A empresa informou que a receita consolidada no ano de 2021 foi de R$ 350,7 bilhões (US$ 65 bilhões), alta de 29,8% sobre 2020, sendo 74,8% das vendas realizadas em mercados domésticos e 25,2% por meio de exportações.

O Ebitda foi de R$ 45,7 bilhões, ganho de 54,5%, e lucro líquido de R$ 20,5 bilhões, alta de 345,5% na comparação anual, com lucro por ação de R$ 8,26.

No período, considerando o dividendo mínimo e os dividendos intercalares, foram distribuídos R$ 7,4 bilhões, o que implica em um dividend yield de 8,2%. Em 2021 a geração operacional de caixa foi de R$ 25,2 bilhões, em linha com o ano de 2020, segundo a JBS.

⇒ Recompra de ações

O conselho de administração da JBS aprovou um plano de recompra que permite a aquisição de até 116.167.197 ações ordinárias.

Além disso, também foi aprovado o cancelamento da totalidade de 129.064.700 de ações ordinárias, sem valor nominal, de emissão da JBS, mantidas em tesouraria nesta data, sem redução do valor do capital social.

Os resultados da JBS (BOV:JBSS3) referentes suas operações do quarto trimestre de 2021 foram divulgados no dia 21/03/2022. Confira o Press Release completo!

Teleconferência

Em teleconferência com analistas, Gilberto Tomazoni, CEO da JBS (JBSS3), afirmou que fusões e aquisições recentes da empresa deverão representar mais US$ 2 bilhões de acréscimo no faturamento, com base no esperado pelo projeto da decisão de compra.

Mas ele ressaltou que a empresa vem observando resultados acima daqueles previstos durante a compra. Ele afirmou que uma vantagem competitiva da empresa é a capacidade de integrar os negócios rapidamente à empresa.

André Nogueira, presidente da JBS (JBSS3) na América do Norte, afirmou que os últimos anos vêm sendo de grandes incertezas, ressaltando a guerra na Europa, que traz riscos humanitários e impactos na cadeia de produção, em grãos e transporte, além de uma perspectiva de redução de incentivos nos Estados Unidos e pressão inflacionária forte.

Apesar disso, afirmou que a demanda nos Estados Unidos e nos mercados para os quais o país importa continua “fortíssima” para as três proteínas (carne de boi, frango e porco). Ele ressaltou que a produção de carne de vaca nos EUA e de porco serão mais de 1% menores do que a do ano passado, mas a de frango será 0,7% maior. Este fator poderá impulsionar os preços, disse. As vendas para as três proteínas vêm sendo, no trimestre atual, maiores do que aquelas do mesmo período do ano passado, o que deve impulsionar as margens.

Em teleconferência de apresentação de resultados, Wesley Batista Filho, presidente da JBS (JBSS3) na América Latina, reconheceu que a guerra na Ucrânia traz pressão de preços dos grãos, principalmente na primeira metade do ano. Isso deve pressionar o mercado e as margens da empresa. O executivo destacou a inflação de custos na unidade Seara.

Batista afirmou, no entanto, que a produção de grãos terá uma safrinha no Brasil até a primeira metade do ano, com boa perspectiva. Assim, disse ver um desafio especialmente grande no primeiro trimestre, e mais suave no segundo trimestre. O impacto da alta dos preços, no entanto, deve se estender por todo o ano. Este fator se soma a um dólar mais fraco, o que traz um primeiro trimestre especialmente desafiador para a Seara.

André Nogueira, presidente da JBS (JBSS3) na América do Norte, destacou a alta do preço do trigo, que teve alta especialmente forte com a guerra na Europa, trazendo dificuldade de repassar preços de grãos para o continente europeu. Nos Estados Unidos, há demanda muito forte no mercado doméstico e nos itens de exportação. O executivo destacou as margens fortes na carne de frango por conta da demanda aquecida.

Nogueira afirmou que tem havido esforço da empresa para repassar os preços, mas com repasses mais lentos no Brasil e mais rápidos no internacional.

Questionado sobre os planos para a listagem da JBS (JBSS3) nos Estados Unidos, o CEO Gilberto Tomazoni afirmou que o grande objetivo da listagem da empresa nos EUA é destravar valor para os acionistas, e que nunca deixou de ser uma prioridade. Mas disse que é necessário que o procedimento seja feito no momento certo e não mencionou uma possível data para o procedimento.

André Nogueira, presidente da JBS na América do Norte, afirmou que o fator mais importante da operação nos Estados Unidos é o consumo global, já que o país é um grande exportador. Ele destacou que a Ásia vem sendo um fator de demanda muito importante, e que esta deve subir conforme a pandemia de Covid fica para trás. Quanto a preços, disse que estes devem ficar elevados neste ano por conta da demanda, mas não tanto quanto aqueles do ano passado.

Agora, diz que observa como o investidor reagirá à redução de estímulos nos Estados Unidos e à inflação de diversas áreas, com destaque para a gasolina.

Wesley Batista Filho, presidente da JBS (JBSS3) na América Latina, afirmou que o frango vem se tornando uma “ótima opção” de proteína em um momento de redução da renda no Brasil. Assim, a demanda interna vem aumentando por produtos da Seara.

No mercado externo, ressaltou que a Ucrânia é exportadora não só de grãos, mas de frango, e que a JBS vem trabalhando para suprir mercados para os quais o país exportava.

VISÃO DO MERCADO

Ativa Investimentos

Analistas da casa de análise comentaram que o frigorífico apresentou forte expansão de receita e Ebitda na comparação anual, com destaque para as operações nos EUA, que estão apresentando altas margens, sustentadas pelo retorno do food service e a capacidade de repasse de preços da companhia. Com isso, o lucro líquido também ficou em linha com as estimativas.

A geração de caixa foi de R$ 5,9 bilhões, levando a alavancagem para 1,52x Dívida Líquida/EBITDA, um excelente nível em perspectiva histórica. O destaque negativo ficou com as operações domésticas da JBS Brasil e da Seara, que sofreram com alta de custos das matérias primas e ainda a “vacilante demanda interna” por carne bovina, além do embargo chinês às carnes brasileiras, que perdurou ao longo do trimestre.

Bradesco BBI

Para analistas do banco, os resultados foram positivos, com Ebitda ajustado 14% acima do consenso e 19% acima das estimativas do BBI, impulsionado principalmente por margens Ebitda acima do esperado para as divisões de carne bovina e suína dos EUA.

A rentabilidade acima do esperado deveu-se ao CPV inferior ao esperado (principalmente de matérias-primas), que ficou 3% abaixo das estimativas, levando a margem bruta consolidada superando a perspectiva em 480 pontos-base. Por fim, o lucro líquido ficou 20% acima do consenso e 10% acima do projetado pelo BBI, principalmente graças ao EBITDA mais forte.

Bradesco BBI mantém recomendação neutra com preço-alvo de R$ 36,00…

Itaú BBA

O Itaú BBA diz que a JBS reportou Ebitda no 4T21 14% acima de suas estimativas e 10% acima do consenso. A JBS US Beef mais uma vez foi a grande responsável pela surpresa positiva. A empresa gerou fluxo de caixa ao acionista (FCFE) de R$ 5,9 bilhões e anunciou outro programa de recompra para adquirir até 116 milhões de ações.

Por outro lado, a Seara registrou mais um trimestre de compressão de margem devido à inflação de custos e menores exportações, enquanto a JBS Brazil Beef continuou sofrendo com a baixa disponibilidade de gado e redução nas exportações devido à proibição na China.

Itaú BBA mantém recomendação de compra com preço-alvo de R$ 47,00…

Morgan Stanley

O Ebitda ficou 8% acima das projeções do banco. Assim como ocorreu em resultados anteriores, foi outro sólido trimestre para sua principal divisão (USA Beef), o que para o Morgan não foi uma grande surpresa.

Olhando para o futuro, o banco está particularmente interessado ​​na perspectiva de rentabilidade para o 1T22 (para o qual permanece bastante construtivo).

Morgan Stanley tem recomendação overweight com preço-alvo de R$ 68,00…

XP Investimentos 

A XP diz que, embora dentro do esperado, a JBS apresentou bons resultados no 4T21 e 2021, com inúmeros recordes positivos. A receita líquida consolidada no 4T21 veio 5% acima das estimativas da XP, com o Ebitda ajustado 11% acima das projeções, enquanto o lucro líquido veio em linha.

As operações brasileiras seguem performando abaixo do esperado, com margens estáveis em relação ao ano anterior para Friboi, enquanto a Seara apresentou uma contração já esperada, levando a 86% do Ebitda da empresa vindo das operações no exterior.

No entanto, a principal questão agora é o ciclo do gado nos EUA e no Brasil, possivelmente em direções opostas. A empresa também anunciou o cancelamento de ações em tesouraria e um novo programa de recompra de ações.

XP mantém recomendação de compra com preço-alvo de R$ 51,80…

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário