Samuel Reed, cofundador da BitMEX, se declara culpado por violações dos EUA

LinkedIn

O terceiro fundador da exchange de criptomoedas BitMEX se declarou culpado em um tribunal federal na quarta-feira (09) por violar as regras antilavagem de dinheiro (AML) dos EUA, de acordo com o Departamento de Justiça dos EUA.

Samuel Reed se declarou culpado no Tribunal Distrital dos EUA no Distrito Sul de Nova York por violar a Lei de Sigilo Bancário (BSA) por “deliberadamente falhar em estabelecer, implementar e manter” um programa de combate à lavagem de dinheiro na BitMEX.

Sob o acordo de confissão, Reed pagará uma multa de US$ 10 milhões. A acusação também acarreta uma pena máxima de cinco anos de prisão. A sentença de Reed será decidida por um juiz federal.

Reed é o terceiro e último cofundador da BitMEX a se declarar culpado do mesmo crime, seguindo as alegações de Arthur Hayes e Benjamin Delo em fevereiro.

“Como a confissão de culpa de hoje reflete, este Escritório não permitirá que as exchanges de criptomoedas operem como um sistema financeiro paralelo que permite que os criminosos movam seus lucros ilícitos sem serem detectados, e investigará e processará vigorosamente os operadores de tais exchanges que deliberadamente desrespeitam a lei dos EUA”., disse o procurador dos EUA Damian Williams em um comunicado.

O DOJ e a Commodity Futures Trading Commission (CFTC) apresentaram acusações federais contra a BitMEX e seus fundadores em outubro de 2020, com a CFTC resolvendo seu caso no ano passado.

A BitMEX foi acusada de estabelecer operações offshore para burlar os regulamentos de AML dos EUA, enquanto ainda permitia que os clientes dos EUA fizessem transações na plataforma.

Com informações de CoinDesk

Deixe um comentário