Macron enfrentará Le Pen no segundo turno das eleições presidenciais

LinkedIn

O líder francês Emmanuel Macron e sua rival de extrema-direita Marine Le Pen lideraram o primeiro turno das eleições presidenciais neste domingo, de acordo com pesquisas de boca de urna, e devem se enfrentar na votação final em 24 de abril.

Uma enxurrada de projeções iniciais e pesquisas de boca de urna mostraram que Macron ficou em primeiro lugar com 28,1-29,5% dos votos, seguido por Le Pen com 23,3-24,4%. As diferentes projeções mostraram números diferentes, mas todas apontavam para um segundo turno entre Macron e Le Pen dentro de duas semanas, com a diferença entre os dois não tão apertada quanto alguns analistas políticos previam.

A participação foi supostamente 4% menor do que a eleição de 2017.

O candidato de esquerda Jean-Luc Mélenchon ficou em terceiro lugar no campo de 12 com cerca de 20% dos votos. A maioria dos principais candidatos que não conseguiram chegar ao segundo turno imediatamente apoiou Macron depois que as pesquisas de boca de urna chegaram. Mélenchon disse a seus apoiadores que “não deve haver um único voto para Le Pen no segundo turno”.

Macron alertou contra a complacência em um discurso na noite de domingo, dizendo que “nada está decidido” e que ele trabalha duro para convencer mais pessoas a votar nele.

Preocupações com a inflação

O aumento do custo de vida e a guerra Rússia-Ucrânia estiveram no centro das atenções antes do primeiro turno da votação.

O apoio a Macron aumentou após a invasão não provocada da Ucrânia pela Rússia e seus esforços de mediação no início deste ano. O presidente francês tentou intermediar acordos diplomáticos entre Kiev e Moscou e pediu um cessar-fogo, ao mesmo tempo em que pressiona a UE a tomar medidas robustas contra o Kremlin.

Mas esse impulso se dissipou no período que antecedeu a votação de domingo, com Macron atrasado em sua campanha doméstica devido à sua agenda lotada e às pesquisas eleitorais apertando até o dia da eleição.

Vínculo com Putin

Le Pen, vista como economicamente de esquerda, apesar de ser muito afiliada à luta distante na França, tem se concentrado muito no custo de vida. Parte do recente nervosismo nos mercados com a perspectiva de Le Pen à presidência foi atribuída a preocupações em torno da unidade política e econômica da resposta da Europa à Rússia após a invasão da Ucrânia.

Le Pen no passado mostrou simpatia pela Rússia e pelo presidente Vladimir Putin, e tem sido abertamente cética em relação à União Europeia. Ela tentou se distanciar de Putin e sua equipe de campanha negou relatos de que eles foram ordenados a destruir milhares de folhetos que incluíam uma foto de Le Pen ao lado de Putin.

Depois de perder o segundo turno em cinco anos, Le Pen não está mais fazendo campanha pela saída da UE ou do euro, mas sua ascensão à presidência provavelmente atrapalharia os trabalhos do bloco.

Reação do mercado

Stephen Gallo, chefe europeu de estratégia FX da BMO Capital Markets, disse que o resultado de domingo foi em grande parte o esperado “o que removerá a tensão do mercado FX [câmbio estrangeiro] e proporcionará um pouco de alívio ao [euro]”.

“Assim como antes, as probabilidades ainda apontam para uma vitória de Macron, mas os dados disponíveis sobre o posicionamento líquido em EURUSD por parte dos fundos alavancados não sugerem que os investidores de câmbio estavam antecipando um resultado muito diferente”, disse Gallo em nota de pesquisa no domingo.

Ele acrescentou que há uma série de fatores que criam incerteza em relação ao segundo turno, como abstenções e apatia dos eleitores, um debate televisionado em 20 de abril e o fato de o eleitorado ainda parecer muito dividido.

“É digno de nota que os candidatos do segundo turno mal conseguiram captar 50% do total de votos entre eles. Há um alto risco de que os votos capturados pelos candidatos derrotados no primeiro turno não sejam para nenhum dos candidatos no segundo turno”, disse ele.

Uma pesquisa da Ipsos realizada no domingo para as intenções de voto no segundo turno mostrou que Macron ganharia 54% dos votos em 24 de abril e Le Pen 46%.

Com informações de CNBC

Deixe um comentário