Petróleo fecha em queda, devido a preocupações de que a pandemia de covid-19 corte a demanda na China

LinkedIn

Os preços dos contratos futuros de petróleo fecharam em queda de 4%, com o petróleo Brent finalmente abaixo dos US$ 100 o barril devido a preocupações de que a pandemia de covid-19 corte a demanda na China. A liberação de reserva dos países da Agência Internacional de Energia (AIE) também motivam as perdas.

O WTI fechou em seu menor nível desde 25 de fevereiro, um dia depois que as forças russas invadiram a Ucrânia, uma ação que Moscou chama de “operação militar especial”.

O consumo de combustível na China, o maior importador de petróleo do mundo, estagnou com os bloqueios impostos devido à covid-19 em Xangai. O centro financeiro da China começou a diminuir os bloqueios em algumas áreas, apesar de relatar um recorde de mais de 25 mil novas infecções por coronavírus.

Além disso, o medo de uma recessão diminui as expectativas de apetite por petróleo. “Uma recessão global quase certamente causará a destruição da demanda. Após o forte impulso causado pelo fim dos bloqueios de pandemia na maior parte do mundo, veremos agora se a busca por combustível será sustentável como antes”, afirma o analista da FX Empire, Christopher Lewis.

Para ajudar a compensar um déficit no petróleo russo depois que Moscou foi atingida por sanções, os países membros da AIE, incluindo os Estados Unidos, liberarão 240 milhões de barris de petróleo nos próximos seis meses.

A liberação dos volumes da Reserva Estratégica de Petróleo (SPR) equivale a 1,3 milhão de bpd nos próximos seis meses, o suficiente para compensar um déficit de 1 milhão de bpd no fornecimento de petróleo russo, disseram analistas do JP Morgan.

Adicionando pressão aos preços do petróleo, o dólar norte-americano está a caminho de se fortalecer pelo oitavo dia consecutivo em relação a uma cesta de outras moedas. Um dólar mais forte torna o petróleo mais caro para os detentores de outras moedas.

Em uma medida que pode apertar a oferta global de petróleo, o braço executivo da União Européia (UE) está elaborando propostas para um embargo ao petróleo russo, embora ainda não tenha havido um acordo definitivo.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) disse à UE que as sanções à Rússia podem criar um dos piores choques de oferta de petróleo de todos os tempos e que seria impossível substituir esses volumes. A Opep sinalizou que não iria bombear mais petróleo.

O preço do contrato do petróleo WTI negociado na Nymex com entrega para maio caiu 3,54%, cotado a US$ 94,29 o barril. Já o preço do contrato do Brent negociado na plataforma ICE, com entrega para junho regrediu 3,73%, cotado a US$ 98,48 o barril.

Informações Agência CMA

Deixe um comentário