Itaúsa (ITSA4): lucro líquido de R$ 3,72 bilhões, alta de 68,5%

LinkedIn

A Itaúsa, holding que controla o Itaú Unibanco e as empresas Dexco (ex-Duratex) e Alpargatas, registrou lucro líquido de R$ 3,72 bilhões no primeiro trimestre deste ano, o que representa alta de 68,5% em relação ao mesmo período de 2021. Já o lucro líquido recorrente cresceu 59,1%, para R$ 3,8 bilhões.

“A Itaúsa reportou sólido desempenho, representando recorde histórico para um primeiro trimestre da holding, apesar do cenário ligeiramente mais desafiador nos segmentos de bens de consumo e materiais para construção civil, com destaque para a alienação de participação acionária na XP Inc. e o melhor resultado do setor financeiro”, diz a empresa.

O lucro do Itaú Unibanco foi impulsionado pelo crescimento da carteira de crédito e melhor margem financeira, parcialmente compensados por maiores perdas esperadas com operações de crédito, combinado com o controle eficiente das despesas gerais e administrativas, que cresceram abaixo da inflação, destacou a holding, destacou a holding.

O banco divulgou seus números no último dia 9 de maio com um lucro recorrente de R$ 7,36 bi no 1º tri de 2022, alta de 15% na base anual.

Já em bens de consumo e materiais para construção civil, Alpargatas e Dexco apresentaram crescimento de receita, apesar da desaceleração de demanda e pressões no custo de alguns insumos, destacou a companhia.

Em distribuição de gás, a Copa Energia também reportou crescimento de receita e lucro bruto, refletindo, principalmente, o incremento de preço médio e a recuperação de margens após os sucessivos aumentos no preço do GLP implementados pela Petrobras.

O retorno sobre o patrimônio líquido (ROE, na sigla em inglês) recorrente médio foi de 23,3%, uma alta de 6,7 pontos percentuais na comparação anual.

O total de ativos subiu para R$ 73,797 bilhões, uma alta de 15,5% na base anual. Já o endividamento líquido cresceu 156,3% no trimestre, atingindo R$ 3,340 bilhões.

As despesas administrativas totalizaram R$ 35 milhões no 1T22, o aumento de 6% em relação ano anterior, menor do que a inflação do período, se deu, principalmente, em função de aumento de despesas com pessoal e iniciativas de TI relacionadas à segurança da informação, parcialmente compensados por menores despesas com consultorias.

O resultado financeiro atingiu R$112 milhões de despesa no 1T22. O aumento de R$ 95 milhões em relação ao ano anterior decorreu, principalmente, das novas debêntures emitidas para financiar as aquisições de participação acionária na Copa Energia e na Aegea Saneamento, além de maiores despesas com juros em decorrência da maior taxa básica de juros no período, parcialmente compensado pela maior rentabilidade do caixa.

A empresa também destacou em seu release de resultados a oferta pública de distribuição primária de ações (follow-on) realizada pela Alpargatas em fevereiro no total de R$ 2,5 bilhões, cujos recursos líquidos foram destinados para financiar o pagamento da aquisição de participação societária na Rothy’s Inc. Com a operação, a Itaúsa passou a deter 29,6% do capital total da Alpargatas.

A alavancagem da companhia ao final de março era de 4,5% da dívida líquida sobre o patrimônio líquido. O resultado financeiro foi negativo em R$ 112 milhões no trimestre. O aumento de R$ 95 milhões em relação ao ano anterior decorreu, principalmente, das novas debêntures emitidas para financiar as aquisições de participação acionária na Copa Energia e na Aegea Saneamento, além de maiores despesas com juros em decorrência da maior taxa básica de juros no período, parcialmente compensado pela maior rentabilidade do caixa, explicou a companhia.

Os resultados da Itaúsa (BOV:ITSA3) (BOV:ITSA4) referentes às suas operações do primeiro trimestre de 2022 foram divulgados no dia 16/05/2022. Confira o Press Release!

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário