Viveo (VVEO3): lucro líquido de R$ 97 milhões no 1T22, alta de 184,8%

LinkedIn

A Viveo registrou lucro líquido de R$ 97 milhões no primeiro trimestre deste ano, alta de 184,8% em relação ao mesmo período de 2021.

A receita líquida somou R$ 1,899 bilhão entre janeiro e março deste ano, alta de 27,9% na comparação com igual etapa de 2021.

ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – do grupo de produtos e serviços de saúde somou R$ 164,018 milhões no trimestre, alta anual de 88,4%. No critério ajustado, a empresa registrou avanço de 55,2%, para R$ 167,323 milhões.

A margem Ebitda ficou em 8,6%, com aumento de 2,8 pontos porcentuais (p.p.), enquanto a margem ajustada fechou o trimestre em 8,8%, com alta de 1,5 p.p.

As despesas com vendas no trimestre somaram R$ 52,0 milhões, aumento de 25,6% em relação ao 1T21. Esse desempenho é explicado basicamente pelas aquisições realizadas nos últimos 12 meses e pelo aumento das vendas.

As despesas gerais e administrativas somaram R$ 174,7 milhões no 1T22, um crescimento de 26,3% em relação ao mesmo período de 2021.

O lucro bruto somou R$ 293,3 milhões no primeiro trimestre de 2022, um crescimento de 46,5% frente ao primeiro trimestre de 2021. A margem bruta foi de 15,7% no 1T22, avanço de 2 p.p. sobre a mesma etapa de 2021.

Segundo a Viveo, o desempenho foi em função principalmente da melhoria da margem no canal de hospitais e clínicas decorrente de mix, com maior venda de materiais médicos ex-EPIs, que possuem margens mais elevadas (as aquisições de Tecno4, Pointmed, BEMK e Medcare contribuíram para esse aumento), maior receita para o governo, melhoria na margem da Tecnocold (vacinas) e incremento da receita com vendas na modalidade de operações logísticas.

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 36,4 milhões no primeiro trimestre de 2022, um aumento de 117,2% na mesma etapa de 2021.

Em 31 de março de 2022, o endividamento bruto da Companhia, considerando derivativos, era de R$ 2.138,5 milhões, maior em R$ 7,3 milhões do que o saldo apurado em 31 de dezembro de 2021.

Assim, no encerramento do 1T22, a Viveo apresentava dívida líquida de R$ 381,2 milhões, comparado à posição de caixa líquido de R$ 72,5 milhões no encerramento do exercício de 2021. No decorrer do 1T22 foram pagos R$ 51,9 milhões em juros e principal dos empréstimos, financiamentos e debêntures.

Com relação ao perfil de vencimento, ao final do 1T22, 86,62% da dívida da Companhia tinha seu vencimento no longo prazo, sendo que o prazo médio do endividamento é de 4,8 anos. 87,85% da dívida é contratada em moeda nacional e praticamente toda a parcela registrada em moeda estrangeira está integralmente “hedgeada” com instrumentos financeiros para o real. No 1T22, o custo médio da dívida da Companhia foi de CDI + 2,01% e no 4T21 foi CDI + 2,19%.

Os resultados da Viveo (BOV:VVEO3) referentes suas operações do primeiro trimestre de 2022 foram divulgados no dia 10/05/2022. Confira o Press Release completo!

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Estadão, Infomoney

Deixe um comentário