Isa Cteep (TRPL4): lucro líquido de R$ 74,1 milhões no 2T22, queda de 70,1%

LinkedIn

A transmissora de energia Isa Cteep, controlada pelo grupo colombiano Isa, registrou lucro líquido de R$ 74,1 milhões no segundo trimestre de 2022, o que representa queda de 70,1% frente aos R$ 248,1 milhões registrados no mesmo período de 2021. No semestre foi apurada queda de 12% no lucro líquido no comparativo anual, para R$ 1,448 bilhão.

O resultado é explicado pelo reperfilamento da receita com a Rede Básica Sistema Existente (RBSE), que no trimestre alcançou R$ 321,8 milhões, redução de 34,8%. No semestre, a queda foi de porcentual igual, registrando R$ 643,6 milhões.

A receita líquida somou R$ 732,9 milhões no segundo trimestre de 2022, um recuo de 7,5% na comparação com igual etapa de 2021.

Ebitda – juros, impostos, depreciação e amortização – foi de R$ 555 milhões no 2T22, uma redução de 12% frente ao Ebitda do mesmo período de 2021. A margem Ebitda foi de 75,7% no 2T22, baixa de 3,9 p.p. na comparação ano a ano.

Segundo a companhia, o resultado é explicado, principalmente pela redução da receita líquida devido redução do volume de RBSE após seu reperfilamento, ocorrido a partir de julho de 2021.

A projeção Refinitiv era de um lucro de R$ 288 milhões, Ebitda de R$ 960 milhões e receita líquida de R$ 842 milhões.

A Companhia registrou despesa de R$ 23,5 milhões com Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido no 2T22, frente a despesa de R$ 103,2 milhões contabilizados no 2T21. No 1S22 o valor contabilizado foi de R$ 61,9 milhões, 74% abaixo do registrado no 1S21. A variação do IRPJ/CSLL está em linha com as variações do resultado, totalizando uma alíquota efetiva de 21%.

De acordo com a Cteep, a performance mais fraca foi compensada parcialmente pela atualização da Receita Anual Permitida (RAP) do ciclo, pelo IPCA, pela entrada em operação de novos projetos de Reforços e Melhorias e de projetos Greenfield; variação na Parcela de Ajuste (PA) e antecipações, além de maiores encargos regulatórios no período.

O retorno sobre patrimônio líquido (ROE, na sigla em inglês) foi de 6,5% no segundo trimestre deste ano, recuo de 17,9 p.p. em relação ao mesmo período de 2021.

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 301 milhões no segundo trimestre de 2022, uma elevação de 117,5% sobre as perdas financeiras da mesma etapa de 2021.

As receitas financeiras do 2T22 tiveram aumento de 121,4% em comparação ao resultado apresentado no 2T21 devido, principalmente, ao melhor rendimento das aplicações financeiras com a alta do CDI no período. No período acumulado o aumento foi de 77,3%.

Do ponto de vista das despesas financeiras, que aumentaram 117,9% na comparação anual, a variação deve-se, principalmente ao crescimento da dívida bruta devido às novas captações: 11ª emissão de debêntures e 8ª emissão de notas promissórias comerciais e; mudanças no cenário macroeconômico, com a elevação dos indicadores IPCA, CDI e TJLP, que são responsáveis pela indexação de 55%, 36% e 8% da dívida da Companhia, respectivamente.

O resultado da equivalência patrimonial foi positivo em R$ 4,1 milhões no 2T22, 63% menor que o registrado no 2T21, principalmente pelo aumento das despesas financeiras na IE Ivaí, com redução de R$ 11,5 milhões na equivalência da ISA CTEEP, considerando participação de 50% na Companhia.

O PMSO (gerenciável), foi de R$ 146,6 milhões no 2T22, aumento de 7,1% na comparação com mesmo período do ano anterior.

A ISA CTEEP registrou R$ 15,7 milhões em Outras Despesas Operacionais no 2T22, aumento de R$ 4,0 milhões comparado ao mesmo período do ano anterior. Já nos primeiros seis meses de 2022 a Companhia registrou R$ 37,5 milhões, 56,7% acima do mesmo período de 2021. Essa variação explica-se, principalmente, pela realização da mais valia (goodwill) da aquisição de controle das empresas PBTE e SF energia, incorporadas pela ISA CTEEP em outubro de 2021. A mais valia será amortizada no prazo remanescente da concessão da PBTE, até setembro de 2046.

No 2T22, o Índice de Energia Não Suprida (IENS) da Companhia totalizou 0,000154% vs. 0,000244% no 2T21, e um IENS acumulado de 0,0005%. Como referência, o Sistema Interligado Nacional, registrou 0,0023% até junho de 2022.

⇒ Investimentos e dívida

No 2T22, foram realizados R$ 169,5 milhões de investimentos em reforços e melhorias, o maior volume nominal já registrado em um único trimestre na Companhia, aumento de R$ 91,2 milhões (+116,3%) em relação ao mesmo período de 2021. O volume de investimentos no período atingiu um novo recorde trimestral da Companhia e consolida a tendência de crescimento com aumento de capacidade e modernização de seus ativos desde 2020.

Nos últimos 3 anos o investimento nesses projetos apresentou taxa de crescimento anual composto (CAGR) de 66% e os investimentos realizados no 1S22 representam 88% do investimento realizado em todo ano de 2021. As oportunidades de investimento em reforços e melhorias estão concentradas em contratos renovados, assim como o contrato 059, da ISA CTEEP.

Além da remuneração no Capex, a renovação do ativo permite redução de custos de operação e manutenção (O&M). Os investimentos em Reforços e Melhorias apresentam média recente de relação RAP / Investimento ANEEL de 20% e, caso haja eficiência no projeto, a relação pode apresentar otimização do retorno esperado.

Em 30 de junho de 2022, a dívida bruta atingiu o montante de R$ 7.991,9 milhões, aumento de R$ 632,2 milhões (+8,6%) em relação ao saldo verificado em 31 de dezembro de 2021, principalmente por captações junto ao BNDES de R$ 277 milhões e da 12ª emissão de debentures incentivadas de R$ 700 milhões, e aumento nos indicadores macroeconômicos aos quais os passivos estão indexados, principalmente IPCA e CDI.

Redução de 7,8% nas disponibilidades da ISA CTEEP e subsidiárias 100% no 2T22, e consequente acréscimo da dívida liquida que é reflexo das captações executadas para recomposição de caixa frente aos investimentos e dívidas vincendas no período. Considerando a exclusão das disponibilidades das subsidiárias não consolidadas, a dívida líquida da Companhia atingiu R$ 7.343,6 milhões em junho de 2022 vs R$ 6.656,9 milhões em dezembro de 2021.

Considerando os critérios de medição estabelecidos na 5ª emissão de debêntures a alavancagem da Companhia, medida pela relação Dívida Líquida/EBITDA foi de 3,25x no fechamento do 2T22.

Os resultados da Isa Cteep (BOV:TRPL3) (BOV:TRPL4) referentes suas operações do segundo trimestre de 2022 foram divulgados no dia 28/07/2022. Confira o Press Release completo!

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário