Meta Platforms fica abaixo das estimativas no 2T22 e prevê segundo trimestre consecutivo de queda nas vendas

LinkedIn

A Meta Platforms Inc (NASDAQ:META), controladora do Facebook, relatou uma queda mais acentuada do que o esperado na receita, perdeu as estimativas de lucros e emitiu uma previsão surpreendentemente fraca, apontando para um segundo declínio consecutivo nas vendas ano a ano. As ações caíram 3,8% em negociações estendidas em Nova York.

A Meta Platforms Inc também é negociada na B3 através do ticker (BOV:M1TA34).

As ações M1TA34 haviam subido 0,3%, ou mais R$ 0,10 centavos por ação, no pregão de quarta-feira (27).

Resultados:

  • EPS: US$ 2,46 por ação versus US$ 2,59 por ação esperado, de acordo com a Refinitiv
  • Receita: US$ 28,82 bilhões contra US$ 28,94 bilhões esperados, de acordo com a Refinitiv
  • Usuários ativos diários (DAUs): 1,97 bilhão contra 1,96 bilhão esperado, de acordo com StreetAccount
  • Usuários ativos mensais (MAUs): 2,93 vs 2,94 bilhões esperados, de acordo com StreetAccount
  • Receita média por usuário (ARPU): US$ 9,82 contra US$ 9,83 esperados, de acordo com StreetAccount

As ações da Meta perderam cerca de metade de seu valor desde o início do ano, ressaltando a preocupação dos investidores com a saúde do principal negócio de publicidade online da empresa. Essa unidade foi prejudicada pela atualização de privacidade do iOS da Apple no ano passado, limitando a capacidade do Meta de rastrear usuários, e por uma economia enfraquecida que levou algumas empresas a reduzir seus orçamentos de anúncios.

A receita no segundo trimestre caiu quase 1% em relação ao ano anterior. A Meta também divulgou uma previsão decepcionante para o terceiro trimestre, citando uma “continuação do ambiente fraco de demanda por publicidade que experimentamos ao longo do segundo trimestre, que acreditamos estar sendo impulsionado por uma incerteza macroeconômica mais ampla”.

A empresa disse que as vendas no trimestre ficarão na faixa de US$ 26 bilhões a US$ 28,5 bilhões, abaixo da estimativa média de analistas de US$ 30,5 bilhões, segundo a Refinitiv. Isso se traduz em um declínio projetado entre 2% e 11% em relação ao ano anterior.

Os resultados preocupantes do Facebook seguem uma tendência iniciada na semana passada pelos rivais Snap e Twitter. Essas empresas relataram números decepcionantes no segundo trimestre , e os executivos citaram desafios econômicos e de plataforma móvel que permearam o mercado de anúncios online. O clima havia azedado tanto nesta semana que as ações da Alphabet e da Microsoft subiram na quarta-feira, embora ambas as empresas tenham perdido as estimativas dos analistas sobre os lucros e resultados.

A Meta disse que seu número de funcionários aumentou 32% em relação ao ano anterior, para 83.553. No entanto, a empresa indicou no início do período que planeja diminuir o ritmo de contratação, ecoando o sentimento de muitos de seus pares de tecnologia.

A empresa também espera que suas despesas totais em 2022 fiquem entre US$ 85 bilhões e US$ 88 bilhões, em vez de US$ 87 bilhões a US$ 92 bilhões, indicando que está apertando o cinto.

A unidade de negócios Reality Labs da Meta, responsável pelo desenvolvimento do metaverso e tecnologias relacionadas de realidade virtual e realidade aumentada, arrecadou US$ 452 milhões em vendas, mas registrou uma perda de US$ 2,8 bilhões no segundo trimestre. Essa unidade de negócios também deve gerar menos dinheiro no terceiro trimestre em comparação com o segundo, acrescentou Meta.

À medida que a empresa continua a promover a ideia do metaverso como parte de seu rebranding corporativo, também está gastando mais em marketing e vendas; os custos associados a marketing e vendas aumentaram 10% ano a ano, para US$ 3,6 bilhões em seu segundo trimestre.

No início desta semana, a Meta elevou o preço de seu headset Quest 2 VR em US$ 100, citando o aumento dos custos de produção e envio. Embora a Meta seja atualmente a líder na venda de headsets VR, o mercado ainda é pequeno em comparação com a publicidade móvel.

Com a Meta Platforms lutando para satisfazer as demandas de Wall Street, o diretor financeiro David Wehner está assumindo um novo papel de diretor de estratégia, supervisionando o desenvolvimento corporativo, disse a empresa. A Meta está promovendo Susan Li, atual vice-presidente de finanças da empresa, a CFO.

Os executivos discutirão os resultados com analistas em um webcast a partir das 18:00 (horário de Brasília).

Com informações de CNBC

Deixe um comentário