Alpargatas (ALPA4): lucro líquido atribuído de R$ 64,2 milhões no 2T22, recuo de 40%

LinkedIn

A fabricante de calçados Alpargatas, dona da marca Havaianas, registrou um recuo de 40% no lucro líquido atribuído aos sócios em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 64,2 milhões. Já o lucro contábil caiu 39,6%, para R$ 63,8 milhões, na mesma base de comparação.

A empresa destaca que o lucro recorrente de Havaianas ficou em R$ 63,8 milhões, queda de 6,4%.

Excluindo os dados da Rothy’s, empresa da qual a Alpargatas comprou 49,9% do capital social em dezembro, o lucro líquido recorrente chegou a R$ 114 milhões, uma queda de 6,4% na base anual.

A receita líquida atingiu R$ 1,06 bilhão no 2T22, apresentando alta de 1,9% na comparação com o 2T21.

A companhia informou que houve crescimento de 9% da receita líquida de Havaianas em moeda constante em reais. As iniciativas de Revenue Growth Management (RGM) resultaram em aumento da receita líquida por par em 12%. O lucro bruto cresceu 5%, explicado principalmente pela performance de Havaianas Brasil.

“No Brasil, as medidas de mitigação do impacto da inflação de custos impulsionaram o preço por par em 21%, e contribuíram para expansão de 2 pontos percentuais da margem bruta e de 4 pontos da margem Ebitda (Ebitda, ou lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações, sobre receita líquida)”, apontou.

No internacional, contudo, a receita líquida caiu 2%, explicada principalmente pela retração nos EUA e pelas restrições decorrentes da Covid-19 na China. A nova campanha de marketing da Rothy’s impulsionou o crescimento de 82% da receita líquida.

Ebitda – juros, impostos, depreciação e amortização – ajustado foi de R$ 177,8 milhões, queda de 17,2% ante mesmo período de 2022. A margem recuou 3,9 pontos no período, para 16,7%.

O lucro bruto da Alpargatas atingiu R$ 553,8 milhões no 2T22, apresentando retração de -4,5% na comparação com o 2T21.

O custo dos bens e serviços vendidos totalizou R$ 507,5 milhões no 2T22, apresentando crescimento de 9,9% na comparação com o 2T21.

O resultado financeiro da Alpargatas totalizou um prejuízo de -R$ 6,8 milhões no 2T22, retração de 83,4% quando comparado ao 2T21.

No 2T22, as despesas operacionais totalizaram R$ 416 milhões, alta de +5% em comparação com o 2T21. Excluindo os itens não recorrentes, as despesas operacionais representaram 39% da receita líquida, +1pp versus o 2T21.

As despesas de vendas totalizaram R$349 milhões, alta de +4%, explicada, principalmente, pelo aumento de despesas com distribuição (frete, armazenagem e serviços logísticos).

As despesas gerais e administrativas totalizaram R$ 55 milhões, alta de +37%, explicada pelos investimentos de estrutura organizacional, focados no digital, infraestrutura e segurança.

Foram investidos R$ 146 milhões, dos quais R$90 milhões direcionados ao Programa de Excelência em Manufatura e Logística (ILEP), que visa à ampliação da capacidade produtiva, ganho de eficiência e melhoria do nível de serviço. Conforme o planejado, os principais equipamentos para aumento de capacidade foram adquiridos, com pagamento da primeira parcela e início às adequações e preparações para instalação; e R$ 56 milhões em projetos de transformação digital / inovação. No 1S22, foram investidos R$ 320 milhões, dos quais R$ 228 milhões direcionados ao ILEP e R$ 92 milhões a projetos de transformação digital / inovação.

A companhia encerrou o 2t22 com posição financeira líquida de R$ 58 milhões, representando redução de R$ 579 milhões em relação ao 2T21. A retração deve-se principalmente à intensificação dos investimentos estratégicos (capex) relacionados ao ILEP, além do pagamento de R$ 159 milhões em proventos aos acionistas.

A geração de caixa operacional nos últimos 12 meses totalizou R$ 215 milhões, e combinada ao aumento de capital realizado em fev/22, deu suporte aos movimentos estratégicos, bem como às aquisições de ioasys e 49,9% da Rothy’s.

Os resultados da Alpargatas (BOV:ALPA3) e (BOV:ALPA4) referentes suas operações do segundo trimestre de 2022 foram divulgados no dia 05/08/2022.

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, TheCap

Deixe um comentário